Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

História do ex-prefeito do Paulista Dr. Geraldo Pinho Alves

Geraldo Pinho Alves (Olinda, 24 de dezembro de 1925 — Paulista, 2 de dezembro de 2000) foi um médico e político brasileiro.
Conhecido como Dr. Geraldo, Geraldo Pinho Alves foi prefeito do Paulista em três ocasiôes e Deputado Estadual em outras duas, sendo líder do governo de Miguel Arraes na Assembléia Legislativa de Pernambuco. Sempre militante da esquerda, ajudou a fundar o MDB de Pernambuco e posteriormente o PMDB, juntamente com outros políticos como Jarbas Vasconcelos e Marcos Freire.

 

Educação

Fez seus primeiros estudos no colégio Ateneu Pernambucano, em Olinda, e o segundo grau no Colégio Joaquim Nabuco. Ingressou na Faculdade de Medicina da UFPE em 1946, formando-se em 8 de dezembro de 1952. Defendeu tese no ano de 1953. Fez cursos de Saúde Pública, Radiologia e Medicina do Trabalho.
Foi médico do Departamento de Saúde Pública, trabalhando no Centro de Saúde Gouveia de Barros, do Iapetc e do Sandu (hoje Samu), sendo nomeado diretor do Sandu, em Paulista, em janeiro de 1958.

Primeiro mandato

Elegeu-se prefeito do Paulista pela primeira vez em 15 de novembro de 1958, assumiu a Prefeitura em janeiro de 1959. Começou um grande programa de infra-estrutura e eletrificação do município do Paulista. Seu mandato foi curto, pois elegeu-se deputado estadual no ano de 1960.

Deputado

Eleito pelo PTB, o Deputado Estadual Geraldo Pinho Alves tornou-se um dos principais aliados do governo de Miguel Arraes, além de ter sido líder do governo na Assembléia e posteriormente, com a cassação do Governador pela Ditadura Militar, tornou-se o líder da oposição.
Homem de poucas palavras, mas munido de uma retórica admirável, elegeu a educação e a saúde como suas grandes bandeiras. Ocupou a secretaria e a vice-presidência da assembléia, no período de 1964 a 1966.
Foi reeleito para a assembléia em 1966.
Enquanto deputado estadual, foi escolhido para secretário nacional da União Parlamentar Estadual, com sede no Rio de Janeiro no período 67/68. Sendo cassado pela ditadura militar, em 1968.
Dr. Geraldo foi o responsável pelo projeto de lei que estendia o uso da "meia-passagem" para todos os estudantes da região metropolitana do Recife, e não apenas na Capital como anteriormente. E mesmo como oposição ao Regime Militar, foi eleito "Deputado do Ano" em duas ocasiões 67/68.

Cassação

Democrata convicto, Geraldo Pinho Alves fez discursos inflamados contra a prisão do então governador Arraes, e posteriormente teceu inúmeras críticas ao Vice-Governador que assumiu o cargo, Paulo Guerra. Por seu posicionamento contrário ao "movimento revolucionário" instalado (ditadura militar brasileira) foi cassado em 1968 pelo AI-5, Dr. Geraldo foi obrigado a deixar a vida pública e voltar a lides médicas.
Durante o período em que esteve cassado, Dr. Geraldo participou ativamente dos movimentos políticos, que tinham como objetivo lutar contra os excessos cometidos pelo governo. Inicialmente com a oposição enfraquecida, e finalmente no que culminou na criação do MDB e nas lutas pelas diretas. Essa luta, além dos projetos que levou ao município, fez com que o então ex-prefeito e ex-deputado por Paulista, fosse agraciado com o título de cidadão honorário, concedido por unanimidade pela Câmara Municipal do Paulista em 1978.

A volta em 82

Após 14 anos fora da política, ao término da Ditadura Militar, Dr. Geraldo retorna à vida pública sendo eleito pela segunda vez Prefeito do Paulista. Após constatar os graves problemas enfrentados pelo município, Geraldo Pinho Alves lança a campanha "fé em Paulista e mãos à obra" que pretendia revitalizar o município. Logo no início de seu mandato, Geraldo Pinho Alves juntamente com o então governador Roberto Magalhães, assinam parcerias para renovar e ampliar a estrutura viária de Paulista revitalizando a PE-01 (principal do Janga) e construindo a PE-22 que liga o litoral do município ao Centro da Cidade. Além da inclusão de Paulista no sistema da Adutora de Botafogo.
Com o propósito de conseguir os recursos necessários para o seu plano de reconstrução do Paulista, Dr. Geraldo coloca Geraldo Pinho Alves Filho como candidato a Deputado Estadual, tendo sido este último, eleito como o deputado mais votado do PMDB e o terceiro mais votado de Pernambuco.
Outras realizações:
  • Reforma, ampliação e reequipamento de 19 escolas além da construção de mais 13;
  • Reforma de 6 postos de saúde, além da construção de mais 27;
  • Ampliação da frota de Limpeza Urbana;
  • Projeto de pavimentação e drenagem;
  • 36 abrigos;
  • 3 escadarias.
Em seu mandato a praia de Maria Farinha se tornou uma das mais bem freqüentadas do país. Em 1988, ao término de seu mandato, Dr. Geraldo escolheu Roberto Rêgo como seu sucessor nas eleições que seguiam naquele ano. Porém, o ex-prefeito Ademir Cunha vence as eleições.

Derrota em 1992

Após uma disputada campanha, e de sucessivas recontagens, Dr. Geraldo é derrotado pelo então deputado José Resdende.

Terceiro mandato

Dr. Geraldo volta a prefeitura em 1997, com o desafio de reestruturar o município após um governo marcado por diversas denúncias de corrupção. Assume a prefeitura com 12 meses de atraso salarial. A cidade não possuia um sistema de limpeza urbana, fazendo com que o lixo acumulasse nas ruas, as escolas há muito não recebiam investimentos e os postos de saúde estavam "sucateados". Em pouco mais de um ano de mandato a cidade já se encontrava numa situação de solvência de suas dívidas e começava a se reestruturar.
Em 1998, Geraldo Pinho Alves,no PSB, mesmo partido que o elegera prefeito em 1996, apóia Miguel Arraes para o governo do estado, derrotado por Jarbas Vasconcelos, mas consegue eleger seu filho, Sérgio Pinho Alves, Deputado Estadual. Geraldo Pinho Alves falece antes do fim de seu mandato, sendo substituido por seu vice.

O adeus a Dr. Geraldo

Geraldo Pinho Alves, é internado no hospital Unicórdis no Recife com problemas respiratórios. Após 15 dias de internação morre no hospital. A causa mortis: parada respiratória.
Seu corpo foi velado na Assembléia Legislativa de Pernambuco no dia 2 de dezembro, e posteriormente na Igreja Matriz de Paulista. Seu corpo está enterrado no "Cemitério Morada da Paz" em Paulista.

Família

Dr. Geraldo deixou esposa, Marília Russell de Pinho Alves. Seis Filhos (Marco, Kátia, Lígia, Geraldo Filho, Bianca e Sérgio Pinho Alves). E catorze netos (Filipe, Bruno, Renata, Tatiana, Diogo, Larissa, Thiago, Nicolas, Victor, Elizabeth, Oto, Bryan, Steffanie e Maria Luiza Pinho Alves) . Os filhos Sérgio e Bianca Pinho Alves seguem na política, o primeiro é o atual Secretário de Transportes e Urbanização do Paulista e ela a Diretora da Mulher do município; o neto Bruno Pinho Alves foi candidato a Vereador no Recife mas não conseguiu se eleger, ocupa atualmente o cargo de Conselheiro Tutelar.

Homenagem

No dia 28 de Setembro de 2009, Dr. Geraldo foi homenageado postumamente pelos serviços prestados ao estado e ao município do Paulista. Homenagem prestada pela Assembléia Legislativa de Pernambuco, na figura do Deputado Amaury Pinto. Enquanto no dia 27 de Janeiro de 2010 o Governador Eduardo Campos, inaugurou uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) em Paulista e esta recebeu o nome de Geraldo Pinho Alves em homenagem ao ex-prefeito e ex-deputado.

0 comentários:

Postar um comentário

Comentários ofensivos não serão publicados.