Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

Gestora do Paulista é escolhida para coordenar 18 municípios em fórum de políticas públicas para as Mulheres



A secretária Especial de Políticas para as Mulheres do Paulista, Bianca Pinho Alves, foi eleita na tarde desta quinta-feira (26.02) coordenadora do Fórum de Gestoras de Organismos Municipais de Políticas para as Mulheres da Região Metropolitana do Recife e dos municípios de Goiana, Caruaru, Garanhuns e Petrolina, tendo como suplente Ana Selma Santos, representante da cidade de Jaboatão dos Guararapes. A conquista ocorreu em Caruaru, durante a realização do 18º encontro do Fórum. Nesta edição, o evento teve como pauta "A importância do processo democrático e participativo para a construção das políticas públicas de promoção da igualdade de gênero”.

Adeptos das religiões de matriz africana discutem legalização dos terreiros no Paulista


Com o objetivo de legalizar os terreiros existentes no município do Paulista, adeptos das religiões de matriz africana participaram de um seminário na tarde desta sexta-feira (27.02). O evento, que aconteceu, na Casa do Pai Carlos de Ayrá, no bairro da Mirueira, em Paulista, foi coordenado pela Gerência de Igualdade Racial da Secretaria Municipal de Políticas Sociais, Esportes e Juventude, e teve o intuito de orientar os babalorixás acerca do processo de regularização jurídica e dos benefícios que essa medida pode trazer para o núcleo religioso e seus integrantes.
De acordo com o gerente de Igualdade Racial do Paulista, José Rufino, o processo de legalização será trabalhado em duas etapas. “Hoje será formulado o estatuto e no próximo mês será definida a ata de posse. Nosso objetivo é trazer para esses terreiros a legalidade institucional e jurídica. Além dos municipais, também estão presentes aqui representantes de terreiros de Itamaracá, Caruaru, Itapissuma e Cruz de Rebouças. Hoje será feita toda a sistematização. Todos vão sair daqui com o seu estatuto formulado,” alegou.

Com a legalização, os terreiros passam a participar de editais junto às esferas de poder que trazem recursos para a comunidade e viabilizam a realização de projetos voltados à valorização da cultura afr