Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

Famílias do Nordeste recebem doações de alimentos



Além de causar sérios danos à agropecuária, os longos períodos de estiagem, ocasionam graves problemas sociais, principalmente para milhares de famílias de cidades do Nordeste brasileiro que enfrentam a escassez de alimentos e a fome.


Por isso, a Legião da Boa Vontade (LBV) mobiliza a sociedade com a campanha Diga Sim Nordeste uma ação emergencial de apoio para entregar às famílias cerca de seis mil cestas de alimentos, contendo itens básicos como arroz, feijão, açúcar, farinha de mandioca, fubá, massa para cuscuz, óleo e outros.


Serão beneficiadas famílias que residem em cidades de extrema pobreza que sofrem com a seca como: Alagoinha, Arcoverde, Buíque, Pedra, Venturosa, em Pernambuco; Casa Nova, Curaçá, Sento Sé, Sobradinho e Uauá, na Bahia; Canindé, Irauçuba, Itapipoca e Santa Quitéria, no Ceará; Belágua e Marajá do Sena, no Maranhão; Amparo, Ouro Velho, São José dos Cordeiros, Sumé, Zabelê, na Paraíba; e Antônio Martins, Baía Formosa, Espírito Santo, Martins e Taipu, no Rio Grande do Norte.

As doações podem ser feitas pelo site www.lbv.org/doe. Ajude a LBV a ajudar quem precisa. Juntos, faremos a diferença. Quando a LBV chamar, atenda com o coração. Diga Sim!

Câmara e Cintra acertam em Brasília fortalecer o Polo de Confecções


A necessidade de se fortalecer o Polo de Confecções do Agreste numa conjuntura de desaquecimento da economia reuniu nesta terça-feira, 07.07, em Brasília, o governador Paulo Câmara e o senador Douglas Cintra (PTB-PE), em audiência no gabinete do senador. “Os interesses de Pernambuco estão acima das diferenças partidárias”, justificou Cintra.

Os dois acertaram estudar uma pauta comum de medidas dos governos federal, estadual e das prefeituras do agreste para preservar o Polo, considerado por ambos um fator importante de interiorização do desenvolvimento, segundo relato do encontro feito pelo senador caruaruense. Uma das medidas é recomeçar as obras de duplicação da BR 104 até o distrito de Pão de Açúcar, na entrada de Santa Cruz do Capibaribe.

“Houve um amplo processo de formalização dos empreendimentos do Polo, com a vigência da lei do Simples Nacional, mas ainda persistem índices elevados de informalidade que é preciso eliminar. Isso beneficiará não apenas os empreendedores, abrindo mais acesso ao crédito, por exemplo, como também a arrecadação tributária do estado”, declarou Cintra.
Responsável por 20% da produção nacional de jeans, o Polo de Confecções do Agreste possui cerca de 20 mil unidades produtivas, fabrica 900 milhões de peças anualmente, dá emprego a mais de 130 mil pessoas e fatura em torno de R$ 1 bilhão por ano. O Polo representa 5% do PIB de Pernambuco, concentrando 59% do pessoal e 68% dos estabelecimentos formais da indústria do vestuário do estado. 

O crack e a mulher

Conforme recente pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o número de pessoas viciadas em crack no Brasil ultrapassa a impressionante marca de um milhão de usuários. Especialistas em saúde comparam a epidemia da aids na África à do crack em nosso país. Outro dado alarmante é a média de idade dos que o experimentam pela primeira vez: 13 anos. Contudo, engana-se quem acha que somente as camadas da sociedade em situação de pobreza estão à mercê desse perigo mortal. A droga também se faz presente nas classes sociais mais abastadas de modo devastador.

O desastroso abalo físico e mental provocado pela pedra de crack é disparado na primeira ocasião em que se acende o cachimbo artesanal — poderia se dizer infernal —, pois não arruína apenas a vida do usuário, mas a de toda a família. A ilusória sensação de bem-estar e de euforia fica tragicamente evidenciada pela progressiva degradação do corpo e da Alma dos dependentes.

Segundo a dra. Solange Nappo, pesquisadora do Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas (Cebrid), “no início da entrada do crack no Brasil, mais precisamente em São Paulo/SP, o perfil do usuário era do sexo masculino. A presença de mulheres era pontual, algo raro. No princípio da década de 2000, começamos a receber indicativos e informações dos próprios usuários de que as mulheres aderiram à cultura do uso do crack”.
Em entrevista ao programa Sociedade Solidária, transmitido pela Boa Vontade TV (canal 20 da SKY), a dra. Solange comentou que o fato de a mulher transformar-se em consumidora do entorpecente mudou toda a dinâmica do vício. “O usuário masculino tornou-se, em geral, um transgressor. Ele rouba para comprar a pedra. Não é um profissional do crime. Diante disso, com sua inexperiência, é facilmente preso e acaba criando um problema para o tráfico, que perde um cliente em potencial, na maioria das vezes já devedor da droga que consome. Quando a mulher é inserida no submundo do crack, ela passa a ser linha de frente, pois o risco de ser presa é bem menor. Ao invés de roubar, ela vai vender o seu corpo”, explicou.


Contaminação pelo HIV

Para agravar a situação, a mulher, ao se prostituir a fim de conseguir a droga, vira foco de doenças sexualmente transmissíveis, principalmente do vírus HIV.
Sobre isso, esclareceu a dra. Solange: “Uma mulher que faz programa por conta da compulsão pela droga o faz sem proteção, a qualquer hora e em qualquer lugar. Não fica num local aguardando que alguém passe. Ela vai em busca desse parceiro na tentativa de que ele, rapidamente, lhe dê o dinheiro que lhe possibilitará comprar a pedra de crack. Sem falar das que ficam grávidas sem nenhuma estrutura para ser mãe. Essa situação de vulnerabilidade traz para a mulher complicações físicas, psíquicas e orgânicas de todos os tipos. Quando a mulher entra nessa cultura, traz com ela um problema social enorme. De um grupo de 80 mulheres que entrevistamos, pelo menos 40% delas eram portadoras do HIV”.

Grato, dra. Solange, pelas elucidações. É uma triste realidade que não pode ser ignorada. Além das imprescindíveis políticas públicas de combate ao crack, urge fortalecer, com a Espiritualidade Ecumênica, os valores da Família. É nela que se encontra a solução de muitos problemas que hoje afligem a Humanidade.

Capacita oferece cursos gratuitos à população

Faculdades Joaquim Nabuco e UNINASSAU oferecem mais de 200 cursos no mês de julho

A Faculdade Joaquim Nabuco, unidades Paulista, Olinda, São Lourenço da Mata e  Recife, e a UNINASSAU realizam até 30 de julho o projeto Capacita 2015.  A ação consiste na oferta de mini cursos gratuitos com variados temas, que servirão de extensão para as áreas de Direito, Pedagogia, Ciências Contábeis, Administração, Farmácia, Fotografia, Gastronomia, Medicina Veterinária, Nutrição, entre outros. Os mini cursos vão desde libras a contabilidade tributária e são abertos aos alunos, e ao público em geral como  forma de  integração, além de promover orientação e capacitação profissional.

No total serão ofertados mais de 200 cursos de extensão, entre  eles : Ética na relação do trabalho; Comércio virtual; Lei das Domésticas; Finanças pessoais;Etiqueta pessoal eprofissional; Direito ao consumidor; Aferição de pressão; Direito empresarial, tributário e trabalhista;Produção textual;Educação à distância;Comunicação com eficiência;Aumente seu lucro; Orçamento familiar; Oportunidades profissionais;Marketing para pequenas empresas;Reciclagem com tecidos; Aromaterapia; Drenagem linfática manual; Prática de Yoga, dentre  outros

Os interessados podem se inscrever na hora, mediante a doação de 2kg de alimentos não perecíveis ou dois pacotes de leite em pó que serão doados às entidades carentes. As vagas são limitadas. A programação completa pode ser conferida nos siteshttp://www.joaquimnabuco.edu.br/ e http://www.mauriciodenassau.edu.br/.
Confira os endereços nos quais os cursos serão ministrados:

Faculdades Joaquim Nabuco
Unidade  São Lourenço – FAL - Rua Almirante Tamandaré,100, Centro – São Lourenço da Mata
Unidade - Janga – FADE - Av Cláudio José Gueiros Leite, 2939 - Janga - Paulista
Unidade Paulista - Avenida Senador Salgado Filho,s/n, Centro - Paulista
Unidade Olinda – Fase - Avenida Doutor José Augusto Moreira , 1704, Casa Caiada- Olinda
Unidade Recife - Avenida Guararapes, 233 – Centro - Recife

UNINASSAU
Bloco A - Rua Guilherme Pinto, 114, Graças - Recife
Centro Superior de Tecnologia (CST) - Rua  Fernandes Vieira, 110, Boa Vista  - Recife
Clínica Escola de Fisioterapia - Rua Jornalista Paulo Bittencourt, 168, Derby - Recife

Curtas-metragens nacionais serão exibidos de graça em Nossa Senhora do Ó

Dentre os filmes, dois são pernambucanos. O Curta Porto acontece até o próximo sábado


Será na Praça Capitão Braz que os moradores de Nossa Senhora do Ó terão a oportunidade de assistir logo mais,  às 19h aos filmes da Mostra Itinerante de Curtas Nacionais do Festival Curta Porto. A exibição será gratuita e o evento conta com o patrocínio da Prefeitura do Ipojuca.

Dentre os curtas-metragens que da mostra, dois são pernambucanos. O primeiro, intitulado “A Menina da Boneca”, é de 2012, tem duração de oito minutos e é dirigido por André Pinto. Já o segundo, que não irá competir, é Psiu!, do diretor Antônio Carrilho com co-direção de Juliana Lima. O curta de dez minutos conta um pouco da história de José de Souza Dantas Filho, o Zédantas, um dos principais compositores a inserir o Sertão nordestino na cultura de massas do Brasil na década de 50. Além desses dois curtas, a mostra ainda terá os filmes “A Mesma Velha História” (MG); “Garoto Barba” (PR); “Menina Bonita do Laço de Fita” (PR); “#Apaixonadinho” (SP) e “Um Vestido Para Lia” (AL).

A mostra ainda percorrerá o município. Nesta quarta-feira (08) será a vez dos moradores do Ipojuca Sede serem contemplados. As exibições acontecerão a partir das 19h no Pátio do Convento de Santo Antônio.

Fórum das Secas realiza primeira reunião do ano


Encontro ocorreu nesta terça-feira, dia 6 de julho, na sede do Sebrae/PE. Criado em 2014, pelo Sebrae e Faepe, grupo tem o objetivo de discutir soluções para o convívio produtivo com os períodos de estiagem

Criado com o objetivo de atuar como um espaço de debates e formulação de soluções duradouras para os períodos de forte estiagem que possam ser aplicadas no estado de Pernambuco e no semiárido brasileiro como um todo, o Fórum Permanente de Convivência Produtiva com as Secas realizou sua primeira reunião do ano nesta segunda-feira, dia 06, para tratar sobre o tema “Plano de Gestão de Recursos Hídricos do Estado de Pernambuco: agricultura, indústria, cidades e outros usos”. 

O encontro foi realizado no Centro de Educação Empresarial do Sebrae em Pernambuco, no Recife, e contou com a participação de José Almir Cirilo, secretário-adjunto de Recursos Hídricos do Estado de Pernambuco e professor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). “Nós entendemos que esta discussão é extremamente salutar, porque os problemas são comuns e é importante que o setor empresarial esteja atento para as dificuldades e também para a construção das oportunidades”, afirmou o secretário José Almir Cirilo sobre o trabalho desenvolvido pelo Fórum. Além de Almir, o debate teve a participação do secretário de Recursos Hídricos do Estado do Ceará, Ramon Rodrigues.

Graduado em Engenharia Civil pela UFPE, com mestrado e doutorado na mesma área, José Almir Cirilo exerce também a função de secretário-executivo do Conselho de Recursos Hídricos no Governo do Estado e de presidente do Comitê do Fundo de Recursos Hídricos do Ministério de Ciência e Tecnologia no Governo Federal. Representa o Governo de Pernambuco no Comitê da Bacia do Rio São Francisco. Já Ramon Rodrigues é engenheiro agrônomo pela Universidade Federal do Ceará (UFC), com MBA em Administração de Empresas. Foi secretário-executivo da Secretaria de Recursos Hídricos do Ceará por duas vezes e secretário nacional de Infraestrutura Hídrica do Ministério da Integração Nacional. 

O Fórum Permanente de Convivência Produtiva com as Secas é um instrumento de debate criado pelo Sebrae em Pernambuco e pela Federação da Agricultura do Estado de Pernambuco (Faepe) no ano de 2014 que congrega especialistas do Brasil e do exterior com o objetivo de discutir a seca como algo passível de solução, a exemplo do que ocorre em países como Estados Unidos, Austrália e Índia. Além do Sebrae/PE e da Faepe, o grupo reúne dirigentes de diversas instituições representativas do empresariado, que atuam no sentido de tornar conhecido os avanços disponíveis em monitoramento, convivência e mitigação de ciclos de secas no estado e em outras regiões afetadas pelo fenômeno.

“Em 2014, tivemos sete reuniões e esta é a primeira de 2015. É uma sequência de informações em que a gente vai da academia ao setor privado e também ao setor público e que tanto nos atualizam sobre como conviver com a seca de forma produtiva e como ajudam na formulação de propostas do empresariado e nas ações das instituições de trabalho, como o Sebrae, o Senar e o Sesi, estimulando a criação de ações proativas dentro dessa discussão”, explicou o conselheiro do Sebrae/PE e presidente da Faepe, Pio Guerra, sobre a importância das discussões promovidas pelo Fórum.

De acordo com informações do Fórum, durante o ano de 2014, entre as experiências relatadas e discutidas, podemos mencionar a situação econômica do semiárido nordestino nas últimas décadas; os projetos implantados no estado do Ceará em termos de convivência com as secas, captação, distribuição e uso de água; o sistema de monitoramento, acompanhamento e mitigação de secas nos Estados Unidos; o que a biotecnologia e o melhoramento genético têm contribuído em termos de desenvolvimento de cultivares para regiões secas e, por último, a situação econômica e social das pequenas propriedades do semiárido comparadas a outras regiões do País.  

A importância da iniciativa está no fato de que o Nordeste passa pelo quinto ano seguido de um período seco, que vem trazendo impactos nas atividades econômicas na maioria dos municípios pernambucanos.

FÓRUM – O Fórum Permanente de Convivência Produtiva com as Secas tem o objetivo de servir como um espaço de debates sobre o tema por instituições empresariais para que sejam apresentadas aos formuladores de políticas, governos e à sociedade, soluções duradouras desenvolvidas para a convivência produtiva com os períodos de forte estiagem que possam ser aplicadas em Pernambuco e também no Semiárido brasileiro. “A proposta do fórum se mostrou mais oportuna do que nunca, porque a questão da seca não se extinguiu nesses últimos anos. E aqui, nós tivemos uma percepção de algumas providências que precisam ser tomadas que não tínhamos no passado”, afirmou o presidente da Faepe, Pio Guerra.

ORIGEM – A decisão de criar o Fórum Permanente de Convivência Produtiva com as Secas decorreu da Missão Empresarial Faepe-Sebrae ao México e aos Estados Unidos, realizada em maio de 2013, e que teve como tema “Tecnologia e Políticas Públicas em Regiões Suscetíveis a Seca – México e Estados Unidos da América”. Desde o primeiro encontro, realizado no mês de maio de 2014, foram promovidos debates periódicos com especialistas brasileiros e do exterior, bem como apresentadores e debatedores especializados.

O Fórum Permanente de Convivência Produtiva com as Secas é composto por 13 instituições empresariais: ACP – Associação dos Criadores de Pernambuco, AFCP – Associação dos Fornecedores de Cana de Pernambuco, ANAP – Associação Nordestina de Agricultura e Pecuária, AVIPE – Associação Avícola de Pernambuco, FACEP – Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado de Pernambuco, FAEPE – Federação da Agricultura do Estado de Pernambuco, FECOMERCIO/PE – Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Pernambuco, FIEPE – Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco, SEBRAE/PE – Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Pernambuco, SENAR-PE – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural, SINDAÇÚCAR – Sindicato da Indústria do Açúcar e do Álcool no Estado de Pernambuco e SINDCAPE – Sindicato dos Cultivadores de Cana de Açúcar de Pernambuco.

Maratona de Negócios acontece pela primeira vez na Campus Party Recife

Além da Campus Future e do Startup & Makers Camp, está confirmada para a Campus Party Recife 2015 a 1ª edição das Maratonas de Negócios. Mais uma novidade para os campuseiros. A iniciativa funcionará dentro da Startup 360, um programa com várias atividades voltadas ao empreendedorismo. As Maratonas de Negócios são para todos que tenham uma ideia, um esboço de protótipo, e que mesmo com um time reduzido, tenha muita vontade de empreender.
As inscrições já estão abertas e, quem participar, contará com mentorias, palestras, debates, oficinas, formação do SEBRAE e ainda com a ajuda do time #CPRecife4, tudo para amadurecer e acelerar o caminhar do projeto desenvolvido.
O objetivo é impulsionar a indústria de TI nacional, especialmente ao estimular a criação de aplicativos e serviços úteis, convertendo ideias de empreendedores em negócios operantes no mercado. Ao todo serão 100 projetos selecionados. As inscrições podem ser feitas até o dia 13 de julho, no link: http://recife.campus-party.org/conteudos/startup-360/maratonas-de-negocio.
As categorias de projetos são:
Maratona Empreendimento Social – Soluções inovadoras de impacto social para as camadas menos favorecidas da população.