Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

Em seu primeiro mandato, Beto Accioly se destaca como um dos mais produtivos na Alepe

Exercendo o seu primeiro mandato como deputado estadual, Beto Accioly (SD) aparece entre os cinco deputados mais produtivos na Assembleia Legislativa de Pernambuco, no 1º semestre. Em apenas cinco meses, o parlamentar apresentou 12 Projetos de Lei.

Uma dessas proposições deu origem a Lei nº 15.511, que instituiu no Calendário de Eventos de Pernambuco a Semana Estadual de Luta contra a Depressão, a ser realizada na última semana de setembro. “Segundo dados da Pesquisa Nacional de Saúde 2013, realizada pelo IBGE, Pernambuco havia registrado 434 mil casos da doença, ocupando a 7ª posição no ranking nacional, considerando apenas números absolutos e pessoas maiores de 18 anos. Estabelecemos uma semana para promoção de atividades educativas e preventivas, a fim de conscientizar e orientar a população para o enfrentamento da depressão”, disse Accioly.

O deputado vem se destacando também por apresentar uma série de projetos de inclusão social. Um deles inclui as pessoas com visão monocular no rol da Política Estadual da Pessoa com Deficiência, e deve ser votado ainda no mês de agosto.

“Retomaremos as atividades parlamentares com força total. O projeto da visão monocular já está pronto para ser votado em plenário e logo faremos justiça com os milhares de pernambucanos que foram negligenciados pela legislação”, revela Beto Accioly, prometendo apresentar mais proposições em benefício do desenvolvimento social e econômico de Pernambuco.

Terceirizados do Governo do Estado têm contratos trabalhistas rescindidos em virtude da inadimplência


1900 trabalhadores da Líber Soluções em Serviço serão desligados da empresa 

Cerca de 1900 trabalhadores terceirizados do Governo do Estado de Pernambuco, pertencente à empresa Líber Soluções em Serviço, terão seus contratos trabalhistas rescindidos no mês de agosto. A empresa que presta serviço de terceirização comunicou ao Stealmoaic – PE que devido aos atrasos mensais e a falta de repasses dos valores, foi obrigada a finalizar a prestação dos serviços de apoio administrativo (Lotes II e III) e também aos serviços que se refere à limpeza e desinfecção hospitalar (Lote II).

A Força Sindical de PE, juntamente com o Stealmoaic – PE vai lutar em defesa da manutenção dos postos de trabalhos para que os trabalhadores não fiquem prejudicados. Informa que, devido à inadimplência do Governo do Estado e o contrato possuir um valor alto, as empresas do mesmo segmento não tem interesse de assumir o contrato. A dívida atual corresponde a R$ 32.243.128,76 (trinta e dois milhões, duzentos e quarenta e três mil, cento e vinte e oito reais e setenta e seis centavos).

A Força Sindical de PE alerta a toda população para a gravidade da situação em relação aos serviços hospitalares, pois sem higienização e esterilização, não há cirurgias, prejudicando assim, os serviços nos hospitais do Estado de Pernambuco. Todos os empregados serão pré avisados oficialmente no dia 01/08/2015 e serão desvinculados da empresa terceirizada no dia 31/08/2015, a qual assumiu cumprir com todas as obrigações trabalhistas.

Em agosto, a Força Sindical PE irá reunir toda a categoria para discutir quais serão as medidas tomadas a favor dos trabalhadores. “Vamos aguardar o pronunciamento do Governo do Estado para solucionar o problema. 90% da categoria que pertence a este contrato possui mais de 15 anos de serviço, consequentemente, será muito difícil a recolocação profissional desses trabalhadores”, ressaltou Rinaldo Júnior, presidente da Força Sindical – PE.

Agreste: hospitais em crise, insegurança e problemas nas estradas



No giro pela região, deputados estaduais identificaram problemas em obras e políticas públicas que não estão tendo a devida atenção do Governo do Estado

Os deputados estaduais da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) se depararam nesta quarta-feira (29) com mais uma série de problemas enfrentados pela população em áreas como saúde, segurança pública, educação e infraestrutura, e que não têm recebido a devida atenção por parte do Governo do Estado.

Na nova edição do projeto Pernambuco de Verdade, que visitou os municípios de Caruaru e Gravatá, os parlamentares conferiram a crise nos hospitais, o aumento da insegurança, a precariedade de diversas rodovias e a paralisação de obras que já poderiam estar servindo à população do Agreste.

O grupo de deputados, formado pelo líder da Bancada de Oposição, Silvio Costa Filho (PTB), pelo vice-presidente da Assembleia, Augusto César (PTB), e pelo presidente da Comissão de Cidadania, Direitos Humanos e Participação Popular da Alepe, Edilson Silva (PSOL), iniciou a agenda com uma visita ao Hospital Regional do Agreste (HRA), em Caruaru. A má qualidade no atendimento do HRA motivou recentemente uma ação do Ministério Público (MPPE), que exigiu a adoção por parte do Governo do Estado de medidas como a instalação de equipamentos, compra de materiais e contração de servidores.

“Caruaru e praticamente todos os outros municípios do Agreste necessitam do atendimento deste hospital regional. Mas a situação é calamitosa. Há superlotação, falta de leitos, longas filas de espera para cirurgia. O quadro chegou a tal ponto que o Ministério Público, por meio de uma Ação Civil Pública, cobrou a responsabilidade do Governo do Estado”, relatou Silvio Costa Filho.

Após a ida ao HRA, os parlamentares conferiram uma série de obras em Caruaru que não foram concluídas. Fechado em 2004, o Hospital São Sebastião teve reformas iniciadas em 2012, com investimentos de mais de R$ 7 milhões e previsão de entrega para janeiro de 2013. A entrega do hospital já está atrasada há quase três anos.

Outra unidade de saúde atrasada em Caruaru é o Hospital da Mulher. Os investimentos são da ordem de R$ 46 milhões. Iniciadas em maio de 2013, as obras deveriam ser concluídas em julho do ano passado. O hospital já poderia estar ofertando 160 leitos, sendo 36 para procedimentos de alto risco, e ainda UTI, além de uma Casa da Gestante. Outras obras inconclusas são o complexo de polícia científica (3 anos atrasada) e uma Escola Técnica Estadual (410 dias de atraso).

Para o deputado Augusto César, as dificuldades encontradas pelos deputados no Agreste se estende às outras regiões de Pernambuco. “Recentemente, tivemos um pedido de interdição do IML que funciona em Caruaru. O sucateamento do instituto também é identificado no Recife e em Petrolina. E lembro que um município como Serra Talhada, no Sertão, aguarda há anos a instalação de uma unidade do IML”.

O deputado Edilson Silva, por sua vez, afirmou que a gestão Paulo Câmara tem se notabilizado pelo acúmulo de problemas sem apresentar propostas de solução. “Além do quadro identificado pelas visitas da Bancada de Oposição nas regiões, o governo do Estado não tem dado as devidas respostas a questões como a crise no sistema prisional, a situação precária das UPAs e o aumento da violência no Estado”, listou.

Após cumprir agenda em Caruaru, os deputados estaduais foram a Gravatá onde conferiram as obras paralisadas da rodovia PE-87 (que dá acesso ao distrito de Uruçu-Mirim) e a PE-78 (que liga Gravatá a Passira).
Antecipando que as próximas etapas do Pernambuco de Verdade cobrirão outros municípios do Agreste e também o Sertão do Pajeú, Costa Filho afirmou que o projeto da bancada de oposição tem demonstrado que há um claro “déficit de gestão no Estado”, e que a atual administração sequer tem dado continuidade a projetos que herdou dos últimos governos do PSB, além de não apresentar uma nova agenda de obras e iniciativas para a população. “Este não é sequer um governo mais do mesmo. É um governo menos do mesmo”, cravou, em entrevista à imprensa do Agreste.

Por fim, o líder da Bancada de Oposição disse que o Governo também precisa agir rapidamente para que a BR-232 – que está sob responsabilidade do Estado - não continue a se deteriorar e voltou a cobrar a conclusão das obras da BR-104, que liga Caruaru a Campina Grande.     



Quadro das dificuldades identificadas pelos deputados na visita ao Agreste

BR – 232 – Os deputados estaduais cobram a realização de manutenção na rodovia, que está sob responsabilidade do Governo do Estado. Falhas no asfalto, que têm provocado acidentes, falta de capinação nos canteiros ao longo de toda a rodovia, e sinalização inadequada foram problemas identificados.

BR-104 – Ligando Caruaru a Campina Grande, a obra de duplicação na rodovia foi iniciada em 2009 e deveria ter sido concluída em 2011 pelo Governo do Estado. Um dos trechos mais reivindicados da população é o compreendido entre os quilômetros 19 e 33, que ajudaria a impulsionar ainda mais o pólo de confecções do Agreste.

3ª Delegacia em Caruaru – O Ministério Público (MPPE) determinou que sejam iniciadas obras de caráter emergencial. Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol) pediu a interdição da delegacia, pela precariedade do espaço. Policiais alegam que não têm a mínima condição de trabalho. Falta espaço inclusive para abrigar o material apreendido pelas operações.

Hospitais – Precariedade no atendimento à população, superlotação, falta de equipamentos para exames e longas filas para a realização de cirurgias foram problemas encontrados no Hospital Regional do Agreste, em Caruaru. Hospital da Mulher e Hospital São Sebastião estão com obras paradas, sem atender à população.

Escola Técnica Estadual de Caruaru – Obra foi licitada em março de 2013, com previsão para conclusão em julho de 2014, mas até o momento encontra-se em construção (1 ano de atraso). Os investimentos são da ordem de mais de R$ 8,8 milhões.

Complexo da Polícia Científica – Licitado em fevereiro de 2011, tinha previsão inicial de entrega para abril de 2012. A Secretaria de Defesa Social (SDS) prorrogou a inauguração para 2014, o que não aconteceu até o momento. O complexo  abrigaria o  (Instituto de Medicina Legal Antônio Persivo Cunha), o IITB (Instituto de Identificação Tavares Buril) e o IC (Instituto de Criminalística). O valor do investimento é de R$ 4,7 milhões. Sem o espaço, vários laudos e perícias demoram muito para serem finalizados.

Rodovias estaduais – A rodovia PE-87, que liga Gravatá ao município de Uruçu-Mirim, teve obras iniciadas no segundo semestre de 2012, com previsão de conclusão em agosto de 2013. A obra tem extensão de 25km, sendo o primeiro trecho até o distrito de  Mandacaru, com 11,3Km. O segundo trecho tem 13,7km. O valor previsto de investimento é de R$ 13.323.067,98 milhões. Nem mesmo o primeiro trecho foi concluído. Outra obra inconclusa é a da PE-78 – que liga os municípios de Gravatá a Passira. São 33 quilômetros de extensão.