Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

Missa em memória à morte do ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos acontece em Paulista





Nesta quinta-feira (13.08), completou um ano do acidente que tirou a vida do nosso ex-governador e em memória de sua morte aconteceu uma missa na Igreja Santa Isabel localizada no centro da cidade do Paulista às 10h. O Prefeito da cidade Junior Matuto prestou sua homenagem juntamente com sua esposa, a primeira Dama da cidade Andréa Pereira, os secretários, funcionários e amigos.




Clique AQUI para visualizar mais 120 fotos da matéria acima por meio do Facebook de José Carlos Alves

Aviso: para ter acesso às fotos terá que enviar-nos um pedido de amizade no Facebook,

caso já seja nosso amigo ignore esse aviso. 

Miguel Coelho assume direção do PSB de Petrolina nesta sexta

O deputado estadual Miguel Coelho será empossado, nesta sexta-feira (13), como novo presidente do PSB de Petrolina. A cerimônia de posse ocorrerá na câmara de vereadores da capital do Sertão do São Francisco, às 18h. Miguel sucede o deputado federal Gonzaga Patriota, que comandou o partido por 23 anos em Petrolina.

Entre as primeiras medidas projetadas pelo novo presidente estão o levantamento do número de filiados ao PSB em Petrolina e a criação de seis núcleos temáticos (Mobilização Popular, Raça e Etnia, LGBT, Juventude, Mulher e Pessoa com Deficiência). “Queremos inicialmente estruturar o partido ouvindo todos os segmentos e lideranças. Depois, o objetivo é preparar um plano estratégico partidário para o desenvolvimento de Petrolina”, adianta Miguel Coelho.

A criação de um programa de filiação de novos socialistas e a realização de debates nos bairros são outros planos do presidente. “Hoje, o PSB tem dois deputados estaduais, dois federais e um senador oriundos de Petrolina. Mas o partido tem potencial para se fortalecer ainda pode mais e construir um futuro melhor para a nossa cidade.”

Ministro Armando reúne-se com presidente Dilma e executivos da Unilever, para falar sobre investimentos no Brasil

Em Pernambuco, investimentos serão da ordem de R$ 600 milhões

O Ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro, participou na manhã desta quinta-feira (13) de uma reunião com a Presidenta da República, Dilma Rousseff, com o Presidente Mundial da Unilever, Paul Polman, e com o presidente da Unilever Brasil, Fernando Fernandez. No encontro, os executivos apresentaram um plano de investimentos da empresa para o Brasil e, mais especificamente, para Pernambuco.

Para o Estado, a Unilever anunciou a implantação de um novo complexo fabril na linha de alimentos e um hub (centro de distribuição) para todo o Nordeste. Os investimentos serão da ordem de R$ 600 milhões.

De acordo com o ministro Armando Monteiro, os executivos informaram que a previsão da Unilever é inaugurar os empreendimentos em Pernambuco em 2017. Quando estiverem em funcionamento, o novo complexo fabril e o hub vão gerar mais de 600 empregos diretos e 1.500 indiretos.

A Anglo-Holandesa Unilever já atua no Brasil há 86 anos e hoje emprega mais de 13 mil pessoas. Em Pernambuco, a empresa possui cinco fábricas, produzindo produtos das linhas de alimentos, higiene pessoal e cosméticos, limpeza e sorvetes.

Pronunciamento do senador Fernando Bezerra Coelho em sessão solene em homenagem a Eduardo Campos‏

Senhor Presidente,

Senhoras Senadoras e Senhores Senadores,

Com grande emoção, subo a esta tribuna para homenagear a memória do amigo, cidadão e homem público, Eduardo Henrique Accioly Campos, que nos deixou prematuramente há um ano.

Conheci Eduardo nos Anos 80, quando estivemos juntos na memorável campanha de 1986, que reconduziu seu avô, Miguel Arraes, ao Palácio do Campo das Princesas, de onde foi deposto pelo golpe de 1964, no exercício do primeiro de seus três mandatos de governador de Pernambuco.

Já naquela época, Eduardo demonstrava um brilho próprio e uma grande paixão pela política.

Eduardo Campos teve seus primeiros contatos com a política ainda na infância, estudando a obra e a ação política do avô, que tinha personalidade humanista e nacionalista. Eduardo também era muito envolvido aos livros, à literatura e à cultura popular, tendo como grandes exemplos seu pai, o poeta Maximiano Campos; seu tio, Renato de Carneiro Campos; e seu vizinho, amigo e grande mentor, Ariano Suassuna, que o definia – abre aspas: “não como um novo Arraes, mas como um Arraes novo”.

Seguindo a trilha do avô, Eduardo atuou, inicialmente, como Oficial de Gabinete. Pouco tempo depois, como Chefe de Gabinete do Governador Miguel Arraes, familiarizando-se com a realidade política, econômica e social do nosso estado de Pernambuco. Foi um período em que Eduardo Campos conviveu com parlamentares, líderes empresariais e comunitários, sindicalistas, prefeitos, gestores públicos, autoridades dos poderes constituídos, formadores de opinião e gente do nosso dia a dia.

Deste aprendizado, resultou a conquista do primeiro mandato de deputado estadual, em 1990, já filiado ao Partido Socialista Brasileiro (PSB). A percepção da realidade nacional impulsionou Eduardo Campos para a conquista de um mandato no Congresso Nacional, em 1994, ao tempo em que Miguel Arraes era reconduzido para o terceiro mandato de governador de Pernambuco.

 Na época, como prefeito da minha Petrolina, após eu ter exercido mandatos de deputado federal eleito em 1986 e 1990, votei e apoiei Eduardo Campos para a Câmara dos Deputados. Licenciado do mandato federal, ele assumiu a Secretaria de Fazenda do Estado de Pernambuco. Ao final dessa missão, Eduardo renovou o mandato de deputado federal com a maior votação do Estado naquelas eleições. Foram 173.657 votos, projetando-se no cenário nacional e sendo reeleito para o terceiro mandato à Câmara dos Deputados, em 2002.

Reconhecido como liderança nacional emergente, Eduardo Campos foi convocado pelo então presidente Lula, em 2004, para assumir o Ministério da Ciência e Tecnologia. Uma das mais importantes realizações de sua gestão na Esplanada foi a aprovação da Lei de Inovação Tecnológica, considerada um marco regulatório entre as instituições de pesquisa. Outra iniciativa também relevante foi a aprovação do Programa de Biossegurança, que autorizou a utilização de células-tronco embrionárias para fins de pesquisa científica.

Nesse período, Eduardo revelou ao país grande capacidade de articulação política, de trânsito fácil entre as diversas correntes políticas do Congresso Nacional, contribuindo para estancar os efeitos da crise política que já assolava o Brasil.

Em 2005, Eduardo Campos assumia a presidência do nosso Partido Socialista Brasileiro, na sucessão a Miguel Arraes. Foi reeleito e reconduzido ao cargo, por aclamação, até 2014. 

Em 2006, mesmo constando das pesquisas iniciais com apenas 3% da preferência do eleitorado e estando em confronto com as estruturas partidárias do candidato Humberto Costa e do ex-governador Mendonça Filho, Eduardo candidatou-se ao Governo de Pernambuco.

Com uma campanha contagiante, mobilizou a militância, conquistando eleitores com boas propostas, e chegou ao segundo turno, quebrando a polarização política que caracterizava o estado. A vitória veio em resposta ao seu trabalho e sua luta, tornando-se governador dos pernambucanos a partir de 2007. 

Foi reeleito governador, em 2010, com aprovação popular recorde: mais de 80% dos votos. Eduardo Campos consagrava-se líder político em Pernambuco, aumentando sua visibilidade nacional.

Governou o estado durante sete anos e três meses. Sob a liderança de Eduardo, Pernambuco cresceu acima da média nacional. Os investimentos públicos somaram, em média, mais de 2,4 bilhões de reais por ano. E a média nacional era quatro vezes menor: 600 milhões por ano.

O governo de Eduardo Campos também atraiu cerca de 78 bilhões em investimentos privados por meio de empresas que se instalaram em todo o estado, criando e adensando novos polos de desenvolvimento.

Na área da Segurança, o programa Pacto pela Vida reduziu o índice de homicídios em quase 40%. Tanto que a Organização das Nações Unidas concedeu prêmio ao Governo do Estado em reconhecimento ao êxito do programa.