Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

LBV arrecada doações para Campanha de Natal

Com o objetivo de oferecer um Natal mais digno e feliz a milhares de famílias em situação de vulnerabilidade social, a Legião da Boa Vontade promove a edição 2015 da Campanha Natal Permanente da LBV — Jesus, o Pão Nosso de cada dia!. A iniciativa visa arrecadar mais de 900 toneladas de alimentos não perecíveis a serem entregues, em cestas, no período de 7 a 23 de dezembro, a 50 mil famílias atendidas pelos programas socioeducacionais da LBV e as apoiadas por organizações parceiras da Instituição em todo o Brasil.

Cada cesta é composta de arroz, feijão, óleo, açúcar, leite em pó, macarrão, farinha de mandioca e de trigo, fubá, goiabada, gelatina, massa para bolo, extrato de tomate e sal. As doações para a campanha podem ser feitas pelo site www.lbv.org/doe, pelo telefone 0800 055 50 99 ou em uma das unidades de atendimento da Instituição no Brasil (os endereços podem ser consultados no site da LBV).

Em Pernambuco, a LBV beneficiará as cidades de Arcoverde, Buíque, Venturosa, Caruaru e Região Metropolitana do Recife.

Dezenas de artistas também estão apoiando a campanha em uma grande corrente por meio do “Desafio Solidário”. Saiba mais acessando os perfis da Legião da Boa Vontade nas redes sociais: Facebook (LBVBrasil), Twitter (@LBVBrasil) e Instagram (@LBVBrasil).


Natal Permanente da LBV

Movida pelo ideal de Fraternidade que a sustenta, sentimento inspirado nos ensinamentos e exemplos de Jesus, a Legião da Boa Vontade trabalha, desde seus primórdios, para melhorar a qualidade de vida das populações menos favorecidas. Já na década de 1940, iniciou uma campanha diária e ininterrupta contra a fome e a pobreza, instituindo seu Natal Permanente. A partir daí, além do amparo imediato e da constante atuação nos campos da assistência social e da educação, que vêm mudando o destino de milhares de pessoas em todo o país, a LBV tem tradicionalmente mobilizado a população a fim de proporcionar um Natal melhor às famílias em situação de vulnerabilidade social.

Fernando Bezerra cobra maior participação da sociedade na discussão da Base Nacional Curricular


Brasília, 11/11/2105 – Autor do requerimento para realização de audiência pública para tratar da Base Nacional Comum Curricular, na Comissão de Educação, o senador Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE) cobrou hoje (11) dos técnicos, especialistas e pesquisadores da área de Educação, presentes à reunião, ações para uma participação mais efetiva da sociedade na discussão.
Fernando Bezerra avaliou como positiva a proposta do Governo Federal de elaboração da Base Curricular Comum, apresentada pelo Ministério da Educação (MEC) em setembro deste ano, e lembrou que a previsão de construção da base curricular comum vem desde a instalação da edição da Lei de Diretrizes e Base da Educação (LDB), em 1996. Afirmou que “essa proposta deverá contribuir de forma decisiva para a melhoria dos indicadores educacionais do nosso país”.
Ao citar sua experiência como prefeito por três ocasiões da cidade de Petrolina, na participação de diversas iniciativas para o aperfeiçoamento e melhoria dos resultados educacionais do Brasil junto ao MEC e outras instituições, Fernando Bezerra destacou o esforço dos agentes envolvidos para a melhorar o ambiente dentro das escolas. Chamou a atenção para a importância “em melhorar o ânimo, o estímulo e a preparação de nossos professores para o oferecimento de serviços educacionais que possam de fato estimular as nossas crianças e adolescentes”.
A secretária executiva do Movimento pela Base Nacional Comum, Alice Ribeiro, apresentou a visão da instituição em oferecer, por meio do trabalho de profissionais e pesquisadores da educação, a facilitação da construção de uma base nacional comum de qualidade. Mostrou ainda que esses conhecimentos e habilidades seriam importantes para que os sistemas educacionais, as escolas e os professores tenham um guia, onde as famílias poderiam participar e acompanhar também a vida escolar de seus filhos.
VALORIZAÇÃO DOS DOCENTES - Já a diretora do Grupo Mathema, Katia Stocco Smole, instituição de pesquisa e desenvolvimento de métodos pedagógicos inovadores para melhorar a qualidade do ensino de matemática, frisou a importância em se estabelecer uma “educação inclusiva”, onde pudesse haver um equilíbrio maior das habilidades cognitivas esperadas e um foco maior para a educação integral. Apontou ainda sobre o problema atual que o país vem vivendo, da falta de valorização e reconhecimento social dos professores, que a profissão deixou de ser considerada uma carreira promissora.
Anna Helena Altenfelder, superintendente do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec), falou sobre os desafios na formação docente, a relação entre currículo e avaliação, e a necessidade de uma atenção maior em relação à diversidade. A análise dos currículos indica que “a diversidade é abordada como conteúdo a ser ensinado aos diversos, voltado para distintas modalidades de educação (quilombola, indígenas, de jovens e adultos, e educação especial, por exemplo) e há fraca presença de objetivos que promovam a construção de identidades plurais nas várias disciplinas”, de acordo com a pesquisa apresentada.
O representante do MEC, diretor substituto da área de Currículos e Educação Integral, Élsio Corá, apresentou o cronograma sobre a Base Nacional Comum Curricular e convocou os profissionais de educação para se cadastrarem no site do Ministério.
Ao finalizar a reunião, o senador Fernando Bezerra comunicou da apresentação de requerimentos para convidar o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, para audiência na Comissão, e a realização de audiências públicas para ampliar a discussão sobre o tema, no Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e em Pernambuco, entre março e abril do próximo ano.

Construção Civil pode deflagrar greve hoje

Trabalhadores decidem sobre greve em assembleia marcada para esta quarta (11), às 19h, na sede do Sindicato, na Rua da Concórdia.
O Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil e Pesada (Marreta) marcou para esta quarta-feira (11/11), às 19h, a Assembleia Geral decisiva sobre a campanha salarial 2015. O resultado das conversas com o patronal será levado à Assembleia para votação e decisão dos trabalhadores, que decidem sobre o início da greve do setor. O Marreta recebeu apoio de entidades nacionais e internacionais do setor, que se solidarizaram devido ao longo período de negociações sem acordo e enviaram ofícios para o Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Pernambuco (Sinduscon–PE) e autoridades, cobrando resolução.

Na manhã de hoje (11), o Sindicato esteve visitando obras, e saiu em pelas ruas, onde se concentra na frente do Palácio do Campo das Princesas para cobrar ao governador um posicionamento, e à tarde se reunirão em frente ao Ministério do Trabalho. De lá, seguem para a sede do Sindicato para a Assembleia.

As reivindicações do Marreta são reajuste salarial de 20%, adicional de hora extra de 100%, não ampliação de jornada de trabalho para os sábados, vale alimentação no valor de R$ 200, e melhorias no café da manhã e almoço dos operários. De acordo com a presidente do Marreta, Dulcilene Morais, a situação de emprego na construção civil em Pernambuco segue estável. “Os trabalhadores estão em revezamento de obras dentro das próprias empresas, além do Governo do Estado que prometeu investimentos nas obras paradas”, explicou, justificando a proposta de reajuste salarial exigida pelos trabalhadores.

Já a proposta do Sinduscon é prorrogar os termos da convenção coletiva de trabalho atual, mudar a data-base da categoria para o dia 1º de abril (atualmente é 1º de outubro), e assim adiar a pauta de reivindicações para que seja discutida apenas em março de 2016.

CONVOCAÇÃO -  O Sindicato está com quatro carros de som percorrendo obras para convocação, além de aproveitar as visitas rotineiras aos canteiros para conversar diretamente com os trabalhadores. A expectativa do Marreta é que, após ficar sem acordo com a patronal, a greve seja deflagrada após a Assembleia do dia 11.

FG vai oferecer mestrado em inovação e desenvolvimento

Será o único do Brasil nessa área e voltado para gestores em geral e docentes de ensino superior. Curso vai disponibilizar 30 vagas. Inscrições para o processo seletivo seguem até dia 21. 




A Faculdade dos Guararapes (FG) – integrante da rede internacional de universidades Laureate – passará a oferecer, ainda este ano, seu primeiro curso de mestrado e será o único do Brasil na área de inovação e desenvolvimento. A aprovação do curso acaba de ser anunciada pela Capes (Comissão de Aperfeiçoamento de Pessoal do Nível Superior), órgão do Ministério da Educação responsável pelo reconhecimento e a avaliação de cursos de pós-graduação stricto-sensu (mestrado profissional, mestrado acadêmico e doutorado) em âmbito nacional.

“Esse é o primeiro de um conjunto de programas destinados a tornar a FG um centro forte na pesquisa acadêmica, combinando elevado rigor científico e compromisso engajado com as demandas locais e regionais do mundo do trabalho”, adiantou o reitor da FG, Pierre Lucena.

Segundo ele, a área de concentração, inovação e desenvolvimento reflete o know-how que a FG tem desenvolvido ao longo da sua trajetória, a partir do Ensino (Graduação e Pós-Graduação Lato Sensu) e da Extensão, fortalecendo e aproximando o mundo acadêmico e o mercado de trabalho.


Inscrições
As inscrições para o processo seletivo no programa de Mestrado Profissional em Inovação e Desenvolvimento já começaram e seguem até o próximo dia 21 de novembro, na Central Acadêmica do campus Piedade da FG, na Rua Comendador José Didier, nº 27, em Piedade.

Ao todo, serão oferecidas inicialmente 30 vagas e os candidatos precisarão passar por um processo seletivo, que envolve três etapas. A prova de conhecimentos específicos, que terá peso 4; a avaliação do currículo, com peso classificatório de 3 pontos na pontuação; e entrevista, que terá peso 3. O processo será dirigido pela coordenação do mestrado, auxiliada por uma Comissão de Seleção e Admissão composta por docentes permanentes do curso.

Pelo edital, o resultado final será divulgado no próximo dia 09 de dezembro, no site da instituição de ensino, e a matrícula deverá ser feita entre os dias 10 e 14 de dezembro, na Central do Candidato do campus Piedade da FG. As aulas já começam no dia 17 de dezembro e a Aula Magna será ministrada pelo fundador do Porto Digital, Sílvio Meira. Outras informações sobre o mestrado, edital do processo e o corpo docente podem ser conferidos no site: https://www.faculdadeguararapes.edu.br/mestradofg/


Inovação e desenvolvimento local
A área de Inovação e Desenvolvimento desenvolverá conhecimento e formação para organizações privadas, públicas e de terceiro setor, principalmente na Região Metropolitana do Recife (RMR), que representa 43% da população estadual (apesar de ocupar apenas 2,81% da área do estado) e engloba praticamente 2/3 do PIB estadual (IBGE). Sem falar que, por vocação, a RMR funciona como porta de entrada e saída de bens e serviços.

É a Gestão da Inovação para auxiliar no desenvolvimento local com empreendedorismo, inovação, sustentabilidade, responsabilidade social e ambiental, diversidade e direitos humanos. “Profissionais criativos e empreendedores permitirão soluções mais adequadas nas empresas locais assim como a criação de novas empresas alinhadas com a questão da sustentabilidade”, reforça a coordenadora do curso de mestrado da FG, Sonia Calado.


Linhas de pesquisa
O Mestrado Profissional em Inovação e Desenvolvimento segue basicamente duas linhas de pesquisa:

-Impactos dos Conteúdos Criativos
Propõe a investigação de como novos produtos/serviços e processos produtivos podem ser transformados em negócios. Nessa linha, serão analisados cenários para identificar oportunidades e riscos desses novos negócios. A sustentabilidade é básica para pesquisa dos impactos sociais, econômicos, ambientais e culturais dos modelos de negócios criativos em novos empreendimentos e em fornecedores locais da economia do estado de Pernambuco.

-Práticas e Processos de Criação
Propõe a pesquisa de processos de inovação que transformam uma ideia em um produto ou serviço em diversos setores da Economia. Nessa linha, serão estudados processos colaborativos de criação; liderança, mentoria e mecanismos de interação entre equipes; redes colaborativas e times virtuais. Temas complementares nessa linha serão o estudo da arte e do estresse no processo de criação de novos produtos e soluções. Serão também abordadas melhores práticas de inovação em diversos setores da economia do Estado de Pernambuco.

Senado aprova parecer de Cintra estendendo a negociação coletiva à administração pública

A redução das greves e paralisações no funcionalismo, com benefícios à população usuária dos serviços públicos, será um dos vários efeitos positivos da extensão da negociação coletiva à administração direta. A afirmação foi feita pelo senador Douglas Cintra (PTB-PE) após a aprovação, hoje (quarta,11), por unanimidade, na Comissão Especial do Desenvolvimento Nacional (CEDN), do seu parecer ao projeto de lei estabelecendo a medida.

Como foi votado em caráter terminativo – ou seja, sem a necessidade de passar pelo plenário - o projeto de lei seguirá agora direto ao exame da Câmara dos Deputados. O PLS 397/2015, de autoria do senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), integra a chamada Agenda Brasil, conjunto de propostas em tramitação no Senado selecionadas como capazes de atenuar a crise econômica.

“O senador Douglas Cintra se dedicou ao projeto com empenho, como se dele fosse”, elogiou Anastasia, autor do projeto. “O parecer de Cintra concilia todos os interesses envolvidos, do governo e dos funcionários públicos”, destacou no plenário da CEDN o senador Paulo Paim (PT-RS).  Para o presidente da Confederação dos Servidores Públicos do Brasil, João Domingos dos Santos, que acompanhou a votação, “foi enfim atendida antiga reivindicação do funcionalismo”.

Enfrentamentos - Com 26 artigos, o projeto estende a negociação coletiva aos funcionários públicos federais, estaduais e municipais. Participarão da negociação, de um lado, as entidades de classe dos servidores públicos e, do outro, representantes do organismo estatal respectivo.

Entre os 14 itens que poderão integrar a negociação coletiva estão - além, obviamente, da remuneração - os planos de carreira, avaliação de desempenho, planos de saúde e de capacitação, condições de trabalho, criação e extinção de cargos e funções.

O PLS 397/2015 fixa, porém, limites à negociação coletiva no serviço público, como as dotações orçamentárias e os gastos com pessoal na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Determina, ainda, punições para quem retardar as negociações: infração disciplinar para o representante da administração direta e multa para o sindicato dos funcionários.

No parecer em que recomendou a aprovação do projeto, Cintra destacou que a realidade atual das demandas salariais no funcionalismo“ é repleta de incompreensões e enfrentamentos”. Tal situação, segundo ele, leva, na imensa maioria dos casos, “à solução extrema da greve, que, afora desgastar as relações entre os servidores e o Estado, gera prejuízos incalculáveis à população usuária dos serviços públicos”.

Crédito da foto: Ana Luisa Souza/Divulgação         

“Indústria pode contribuir para entendimento político em prol de reformas”

Brasília (11 de novembro) - O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro, afirmou nesta quarta-feira (11) que a indústria tem o papel de clamar por um entendimento político em prol de reformas importantes para a retomada do crescimento econômico.

Ao discursar na abertura 10º Encontro Nacional da Indústria (ENAI), Armando defendeu que o país aprove uma série de reformas para reequilibrar a economia, reduzir a burocracia, melhorar o ambiente tributário e tornar a Previdência sustentável.

“Nesse momento, a indústria brasileira, através de suas lideranças mais representativas, tem a grande responsabilidade de, ao lado de outras forças sociais, clamar por um entendimento político que permita que se promova uma agenda mínima, uma agenda que não se destina a ajudar este governo, mas uma agenda de Estado”, afirmou.

“Não é razoável que a disputa política possa prejudicar a implementação de reformas que toda sociedade brasileira reconhece como absolutamente indispensáveis e urgentes (...) O Brasil é maior do que qualquer crise. Olhando a própria trajetória da indústria, nós sabemos que ela tem tido uma grande capacidade de superar crises”, disse o ministro.

Armando afirmou que o comércio mundial passa por um processo de mudanças e que o Brasil não pode se isolar, buscando se inserir neste novo contexto. Ele citou uma série de iniciativas como quebrar barreiras entre Mercosul e Aliança do Pacífico, aumentar o comércio com os Estados Unidos e iniciar a troca de ofertas com a União Europeia, primeiro passo para a criação de um acordo de livre comércio.

Crédito da foto: MDIC/Divulgação