Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

Prefeitura do Paulista e bombeiros civis firmam parceria no combate ao Aedes Aegypti

A Secretaria de Saúde do Paulista firma mais uma importante parceria na luta contra a proliferação do mosquito Aedes Aegypti no município. Desta vez, o acordo foi feito com a Empresa de Formação de Bombeiro Civil de Pernambuco (EFBC). Durante a reunião, que aconteceu na tarde desta quinta-feira (10.12), na Secretaria de Saúde do Paulista, foram definidas ações que serão realizadas nos bairros da cidade visando o alerta e a conscientização dos moradores no combate ao mosquito.

A ação tem início na próxima semana com quatro dias de treinamento (de 15 a 18 de dezembro) com os 50 bombeiros civis, reforçando a equipe dos 127 agentes de saúde do Paulista. A iniciativa tem o intuito de transformar esses profissionais em agentes multiplicadores. Segundo Daniel Lacerda, diretor de Comunicação da EFBC, a ideia da parceria é poder cooperar com o trabalho da gestão visando o bem estar da população paulistense.

“Diante do surto que Paulista vem enfrentando decidimos nos unir e dar a nossa parcela de colaboração para a cidade. Sabemos que a situação é crítica, mas vamos nos integrar através de um trabalho eficiente com os agentes de saúde. Tenho certeza que a sociedade só tem a ganhar com isso”, disse.

Ainda de acordo com a secretária de Saúde do Paulista, Fabiana Bernart, a prefeitura vem trabalhando forte quando se trata de firmar parcerias que ajudem no combate a essas doenças. “Nossa ação está focada não só na dengue, mas também na zica e chikungunya. Vamos treinar essa equipe dos bombeiros para que eles possam, junto aos agentes de saúde, percorrer os territórios alertando a população e examinando casas e áreas de risco. Através desse trabalho esperamos cobrir todo o município do Paulista - principalmente as áreas com maior número de casos - da forma mais eficaz possível”, finalizou

COP-21 termina nesta sexta-feira com fórum organizado por comissão do Congresso Nacional brasileiro

Brasília, 10/12/15 – Iniciada no último dia 30, a Conferência das Nações Unidas sobre o Clima (COP-21) termina nesta sexta-feira (11), em Paris, com uma atividade que deverá reunir a delegação de parlamentares brasileiros na capital francesa: o “Fórum de discussões sobre os resultados da COP-21”. O encontro é organizado pela Comissão Mista sobre Mudanças Climáticas (CMMC) do Congresso Nacional, presidida pelo senador Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE), que, desde o último dia 4, participa do encontro mundial da ONU como um dos principais representantes do parlamento brasileiro.

À tarde, o Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social (Ethos) promove o painel "A política brasileira de mudança climática pós-2020: desafios e oportunidades". Nesta quinta-feira (10), a ministra do Meio Ambiente do Brasil, Izabella Teixeira, conduziu o “Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas”. A delegação brasileira também participou do painel "Perspectivas econômicas com os iNDCs (Contribuições Nacionalmente Determinadas)".

Na avaliação do presidente da CMMC, as propostas do Brasil apresentadas durante a COP-21 conquistaram protagonismo e o interesse das mais de 190 nações que participam da Conferência. Ao elogiar a iNDC/Brasil, Fernando Bezerra Coelho analisou: “Foi o país que apresentou a melhor proposta do ponto de vista da redução de emissões (de gases que provocam o efeito estufa). E também é o grande exemplo; sobretudo, na redução do desmatamento da floresta amazônica”.

A proposta central da iNDC/Brasil para a COP-21 é que “o país, até o final deste século, envidará esforços para uma transição a sistemas de energia baseados em fontes renováveis e descarbonização da economia mundial, no contexto do desenvolvimento sustentável e do acesso aos meios financeiros e tecnológicos necessários para tal transição”. Entre as principais metas brasileiras, destacam-se o fim do desmatamento ilegal, o reflorestamento de 12 milhões de hectares de terra, a recuperação de 15 milhões de hectares de pastagens degradadas e a integração de cinco milhões de hectares, entre lavouras, pastagens e florestas.

Na área de energia – um dos pilares da CMMC – a iNDC/Brasil propõe que a participação das energias renováveis chegue, até o ano de 2030, a 23% da matriz energética brasileira, especialmente a solar, eólica e de biomassa, sem considerar a hidrelétrica. Fernando Bezerra defende que a participação das “energias limpas”, na matriz energética nacional, aumente para 25%, no referido ano (2030).
 
Confira, abaixo, a última agenda do senador na COP-21:

SEXTA-FEIRA: 11/12

ü  Manhã: “Fórum de discussões sobre os resultados da COP-21”
·         Organizado pela Comissão Mista Permanente sobre Mudanças Climáticas (CMMC) do Congresso Nacional brasileiro, presidida pelo senador Fernando Bezerra Coelho

ü  13h15 – 14h45: "A política brasileira de mudança climática pós- 2020: desafios e oportunidades"