Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

Decoração natalina da cidade do Paulista

Decoração natalina do Paulista é inaugurada nesta segunda-feira

Haverá apresentação da Banda Municipal Aristides Borges na Praça dos Ipês, no Centro

         Com foco na tradição, a decoração natalina da cidade do Paulista será inaugurada nesta segunda-feira (14.12), às 18h, na Praça dos Ipês, em frente ao TI Pelópidas Silveira, às margens da Avenida Floriano Peixoto, no Centro. Com o tema “Eu vivo Natal. Eu vivo Paulista”, o evento de abertura contará com a presença do prefeito Junior Matuto, do vice-prefeito Jorge Carreiro, e secretariado. No local serão acesas as luzes da árvore de Natal, com 25 metros de altura, e iniciadas as festividades de fim de ano com um concerto natalino da Banda Municipal Aristides Borges. Na noite dessa quinta-feira, o Blog Paulista Atualizado conferiu a decoração natalina 2015 de Paulista.

         A praça é uma das cinco da cidade que receberão casinhas do Papai Noel, que contarão com equipes de duendes ajudantes para receber a população - em especial as crianças. Além desses pontos estratégicos, quatro das principais vias de acesso aos bairros do Paulista serão decoradas com luzes e elementos tradicionais das festas natalinas. A decoração é assinada pelo artista plástico Fábio Glei, com 15 anos de experiência no ramo.











Fotos: Zé Carlos



Alunos do Paulista participam de evento natalino





Canções como Noite Feliz, Bate o Sino e Natal das Crianças fizeram parte do repertório da festa natalina dos alunos da rede de ensino do Paulista. Durante o espetáculo, que trouxe o tema “Tradições Natalinas”, as crianças e adolescentes encantaram o público com apresentações em homenagem ao natal. As Bandas da Escola Municipal José Firmino da Veiga e Aristides Borges comandaram a festa.  
O evento, que aconteceu na noite desta sexta-feira (11.12), na Praça Aníbal Fernandes, em Jardim Paulista baixo, foi coordenado pela Secretaria de Educação da cidade. A aluna do 1º ano, Yasmim Evelyn, tem sete anos de idade e já canta como gente grande. “Participar do coral é tudo que eu mais gosto de fazer. Fico em casa ensaiando às músicas para fazer bonito na apresentação”, revelou.

Segundo o secretário de Educação do Paulista, Carlos Júnior, o objetivo da iniciativa é trazer para os alunos a solidariedade e a fraternidade que compõem o espírito natalino. “Estamos a todo o momento formando cidadãos. Desse modo, queremos reforçar mais uma vez através da música e da educação, a ideia de que precisamos sempre rever nossos conceitos e atitudes e que a época do Natal nos traz essa oportunidade de renovação,” finalizou.

Cineclube CineRua promove sessão comemorativa de 100 anos do Cineteatro do Parque



Programação conta com sete curtas e apresentações de artistas de rua; objetivo é manter viva a memória do Teatro do Parque



Fechado para reforma desde 2010, o Cineteatro do Parque é um dos principais espaços culturais da cidade do Recife. No ano de seu centenário, o movimento #CineRuaPE lança um projeto de exibição permanente, promovendo sessões periódicas, até que o cinema-jardim reabra as portas para a população. O objetivo é manter viva a memória deste espaço, trazendo para a Rua do Hospício filmes e atividades de rua que provoquem reflexões e debates sobre formas de ocupar, pensar e viver a cidade.


O Cineclube CineRua é a primeira ação continuada do movimento #CineRuaPE, fundado em  novembro de 2015 no ensejo de reunir esforços, promover atividades, estratégias e a conscientização da importância de se preservar os poucos cinemas de rua que restam no Estado. A abertura da programação será feita pelo palhaço Cabeça de Espantalho. Após a exibição dos curtas e debates haverá show da banda Forró de Cabeça.



Nesta primeira edição serão exibidos sete curtas, três inéditos em Pernambuco. “Ponta do dragão” (SC, 2015), de Renan Fontana; “Ruim é ter que trabalhar” (SP, 2015), de Lincoln Péricles; e “Contínuo” (PB, 2014), de Carlos Ebert e Odécio Antonio. Após a sessão haverá debate com os realizadores Cecília Araújo, Pablo Nóbrega e Odécio Antonio. Além disso, o curta “Miró, preto, pobre, poeta e periférico” (PE, 2008), de Wilson Freire, contará com a presença do próprio Miró, que fará intervenções ao vivo e colocará à venda seu novo trabalho, “Amanhã não existe ainda”, conjunto de 20 poemas avulsos reunidos em um envelope.



Histórico - O Teatro do Parque passou a exibir filmes um mês depois de sua inauguração, em agosto de 1915. Em 1929 foi comprado e modernizado pelo Grupo Severiano Ribeiro, que o reinaugurou no dia 29 de setembro, anunciado como “o mais bello, luxuoso e confortável cinema do norte do Brasil”. Em 23 de março de 1930 promoveu a primeira sessão de cinema sonoro da cidade, com o filme “A divina dama”. O Teatro do Parque já foi também a casa da Orquestra Sinfônica Pernambucana e abrigou por muitos anos o Projeto Seis e Meia. Nos anos 1970 recebeu festivais de cinema Super 8. Em 1975 recebeu a Filmoteca Alberto Cavalcanti, que nunca funcionou efetivamente. O Festival de Vídeo de Pernambuco (atual FestCine) nasceu lá, em 1999. Nos anos 90, sob a programação de Geraldo Pinho, o Cinema do Parque se tornou a sala mais popular do Recife, com sessões a R$ 1 (um real) de filmes nacionais e estrangeiros.



Programação:

Ponta do dragão (SC, 2015), de Renan Fontana, 20’
Ruim é ter que trabalhar (SP, 2015), de Lincoln Péricles, 9’

Êxito D’Rua (PE, 2004), de Cecília Araújo, 15’
A clave dos pregões (PE, 2015), de Pablo Nóbrega 15’
Contínuo (PB, 2014), de Odécio Antonio, 16’ 
A copa do mundo no Recife (PE, 2014), de Kleber Mendonça Filho, 15’

Miró: preto, pobre, poeta e periférico (PE, 2008), de Wilson Freire, 19’



Serviço:

Cineclube CineRua

Apresentador: palhaço Cabeça de Espantalho; após os filmes Miró + Forró de Cabeça

Quando: terça-feira, 15/12, às 18h30,

Onde: em frente ao Teatro do Parque (Rua do Hospício – Boa Vista)

Encontros contra impeachment mobilizam Recife nesta segunda-feira‏

Historicamente, é nos momentos mais difíceis - onde se coloca em descrédito a democracia - que o Partido Comunista do Brasil se agiganta em defesa do poder que é compartilhado com o povo, como a legitimidade de um mandato eleito pela maioria e um legado de desenvolvimento social. Atenta a isso, a deputada federal e presidenta do PCdoB Luciana Santos participa, na próxima segunda-feira (14/12), no Recife, de uma série de atividades que objetivam fortalecer a defesa da democracia e se posicionar - no campo das ideias e nas frentes de ação - contra o golpe em curso. 


A partir das 12h30, Luciana se encontra com o professores das universidades públicas e privadas de Pernambuco, intelectuais e cientistas, num almoço que acontece no Restaurante Recanto da Várzea, bairro da Várzea.  Na pauta da reunião está a discussão sobre um manifesto contra o impeachment. 


No final da tarde, a partir das 17h, a deputada realiza mais um Encontro com a Cultura com artistas, ativistas e mobilizadores da cultura em Pernambuco, com o objetivo de discutir o pedido de impedimento da presidenta e suas consequências para a vida democrática do país. As reuniões do mandato com agentes culturais têm sido realizadas desde outubro de 2014.  Este encontro acontece no Café Castro Alves (Rua Capitão Lima - Santo Amaro - Recife).

Por fim, a segunda-feira da mobilização e debate de ideias finaliza com a participação da deputada no Ato Juristas Pela Democracia, que irá acontecer na Faculdade de Direito do Recife, a partir das 19h.  


As três atividades serão mobilizadoras para o principal ato da Frente Brasil Popular, do próximo dia 16 de dezembro, onde todo o país irá para as ruas em defesa da democracia, contra o ajuste fiscal e contra o golpe. “Golpistas não passarão. Todo brasileiro agora está convocado a cumprir o seu dever, a se erguer, a levantar a sua voz e barrar o golpe”, defendeu a deputada, que além das mobilizações no estado tem sido importante articuladora no Congresso Nacional e tomado iniciativas para defender a democracia nos embates políticos e no âmbito jurídico em defesa da legalidade e da constitucionalidade do processo em curso. 

Armando Monteiro destaca importância de desoneração de insumos na nova política industrial


Durante discurso na Abertura do 20º Encontro Anual da Indústria Química (ENAIQ 2015), em São Paulo, o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro, destacou a importância da desoneração de insumos como forma de ampliar a competitividade da indústria brasileira.

“Considero que qualquer política industrial de caráter mais estruturante tem que levar em conta a necessidade de se promover uma desoneração naquilo que forma os preços básicos do setor industrial, ou seja, nós precisamos desonerar os insumos, que formam na base, a competitividade da economia brasileira”, afirmou.

Monteiro destacou ainda que a volta do crescimento da economia brasileira passa, invariavelmente, pelo fortalecimento do setor industrial. “Qualquer que seja o caminho, ele não prescinde de uma indústria forte. Crescer pela indústria é sempre a melhor forma de crescer. Não há um país importante que não tenha uma indústria forte”, avaliou.

O ministro disse que as expectativas da indústria em um ambiente de dólar mais valorizado em relação ao real são positivas. Segundo ele, entretanto, o realinhamento cambial, por si só, não é suficiente para garantir a competitividade da indústria no médio e longo prazo.

"Com o realinhamento cambial que ocorreu, abre-se, para a indústria brasileira, uma perspectiva nova. Atribuo ao câmbio grande parte das dificuldades que a indústria de transformação experimentou ao longo dos últimos anos", disse.

Ajuste - O ministro pediu ainda agilidade do Congresso Nacional para que sejam aprovadas, o quanto antes, medidas fundamentais para o reequilíbrio econômico do país. “O Brasil precisa completar este processo de ajuste no prazo mais curto possível. Isto é condição fundamental para a retomada dos investimentos e para que os agentes econômicos possam ter uma clara percepção de que a economia brasileira vai se reequilibrar”.

Monteiro afirmou também que o Brasil precisa ir além do processo de ajuste de curto prazo, criando as bases para um novo regime fiscal que possa garantir a sustentabilidade das contas públicas no futuro.  “O Brasil precisa quebrar a rigidez do orçamento público, que torna a gestão fiscal absolutamente impossível e também rever mecanismos de indexação que estão aí presentes pressionando extraordinariamente algumas despesas”, disse.


Crédito da foto: MDIC/Divulgação

Jogos Industriais do Sesi mobilizam setor produtivo de Pernambuco


O setor produtivo pernambucano celebrou, agora em dezembro, os grandes vencedores dos Jogos Industriais do SESI. Festejados pelas suas empresas, amigos e parentes, os campeões do torneio alcançaram o lugar mais alto do pódio das oito modalidades depois de competir com mais de 2 mil trabalhadores de todo o Estado, nas etapas municipais e estadual. Bastante disputada, a 36ª edição dos Jogos reservou muita emoção para quem acompanhou as finais das provas de atletismo, que ocorreram no Centro Esportivo Santos Dumont; de tênis de campo, no Sport Club do Recife; e das demais categorias individuais e coletivas, no SESI Paulista. O público viu se confirmar o favoritismo de algumas das 109 empresas participantes e o surgimento de novos talentos.
Nos esportes coletivos, a Turquesa conquistou o tricampeonato no futsal masculino e as equipes do Estaleiro Atlântico Sul (EAS) mostraram que são realmente boas de bola. Eles levaram para casa o bicampeonato no futebol de campo e no master masculino, ganharam a prata no futsal feminino e o bronze no voleibol de areia masculino. Ainda no voleibol de areia masculino a Rota do Mar mostrou a força do Agreste ao arrebatar o ouro da Musashi, que ficou com a prata.
Nas modalidades individuais, a Acumuladores Moura e a Bombril fizeram uma disputa acirrada pelo primeiro lugar geral do atletismo. Enquanto nas provas masculinas, a representante do Agreste levou a melhor, nas femininas foi a Bombril que se destacou. A Chesf manteve a hegemonia nas piscinas, onde alcançou o bicampeonato nas categorias masculina e feminina. A Companhia também foi bicampeã no xadrez pensado com o craque Sérgio Pereira.
As indústrias do interior do Estado também mostraram seu valor. Um exemplo foi a Mondelez, de Vitória de Santo Antão, e a Vivix, de Goiana, que fizeram a Zona da Mata brilhar na competição. A primeira ganhou o ouro no arremesso de peso com o Francisco de Assis, quatro bronzes no atletismo masculino para atletas acima de 30 anos e o terceiro lugar do futsal masculino. Já a indústria de vidros planos foi a vencedora do tênis de campo masculino na categoria absoluto.
Do Sertão, a Barbosa e Barbosa, de Petrolina, obteve a prata no futebol de campo e Willians dos Santos ganhou o bronze para a empresa no arremesso de peso masculino para atletas acima de 30 anos. A Catarina Gesso veio de Trindade, no Araripe, disposta a atrapalhar a festa da Turquesa, mas ficou com a prata no futsal masculino. Também do Araripe surgiu o atleta revelação do torneio: o Francisco da Silva, que trabalha na Companhia Têxtil. Participando pela primeira vez da competição, ele desbancou nomes de peso nas eliminatórias municipais, em Araripina, e – mesmo sem treinamento adequado – conseguiu atingir o segundo lugar nos 200m e a terceira colocação nos 100m para atletas masculinos acima de 16 anos. “Atletismo não é muito difundido na minha cidade, mas com o apoio da empresa e dos colegas, cheguei aqui. É uma emoção grande”, relata Francisco.
Segundo a gerente de Qualidade de Vida do SESI/PE, Lígia Sacramento, “mais do que uma competição esportiva, os Jogos Industriais são uma estratégia para promover o estilo de vida saudável entre os trabalhadores da indústria, tornando-os mais produtivos e engajados em suas organizações”. Aspecto ratificado pelos representantes das indústrias participantes e resumido no depoimento da gerente de Comunicação e Responsabilidade Social do EAS, Fátima Brandão, “participar dos Jogos é muito salutar, pois aumenta a integração de nossa equipe, que é muito grande, melhorando o clima organizacional. Também contribui para a competitividade da empresa, levando os colaboradores a serem mais comprometidos em atingir o resultado”.