Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

Clube das Pás homenageia a delegada Gleide Ângelo com titulo de “Mulher Destaque do Ano”

O Clube Carnavalesco Misto das Pás presta homenagem à delegada Gleide Ângelo, com o prêmio “Mulher Destaque do Ano”, edição 2016, que será entregue no próximo sábado dia (17), às 22h na sede do Clube.
O prêmio, em sua primeira edição, será entregue em cerimônia com a presença de varias personalidades do estado, com entrega de placa, show da Orquestra das Pás e a tradicional valsa à meia-noite. 
A distinção será oferecida à delegada, devido a sua trajetória de vida e pelos seus serviços prestados junto à sociedade, bem como pela sua liderança em resolver casos de grande repercussão no Estado. 
Os ingressos custam, R$ 20 (homem) e R$ 25 (mulher), disponíveis na bilheteria da sede da entidade. O Clube Carnavalesco Misto das Pás fica na Rua Odorico Mendes, 263 - Campo Grande, Recife. Mais informações pelos telefones (81) 98543 – 7595 e (81) 98685 - 2409.

Gleide Nascimento Ângelo (delegada de polícia)

Gleide Nascimento Ângelo nasceu em 07 de outubro de 1966 na cidade do Recife. Filha de Dimas Mariano Ângelo, Procurador do INSS, natural de Alagoas e de Maria Izabel da Conceição, do lar, natural de Alagoas. Da sua infância o que mais se recorda foram os sete anos que passou como atleta de natação no Sport Clube do Recife, onde viajou para muitos Estados brasileiros representando o clube pernambucano. 
Estudou no Colégio Marista do Recife, onde cursou o ensino médio. No ano de 1987 se graduou no Curso de Administração de Empresas e no ano de 2006 se graduou no Curso de Direito. Ingressou na Polícia Civil do Estado de Pernambuco no ano de 2003 no cargo de agente de polícia, onde trabalhou até o ano de 2008 na Gerência de Recursos Humanos. No ano de 2008 ingressou no Cargo de Delegada de Polícia, sendo lotada na Delegacia de Repressão ao Roubo e Furto –DPRRF, onde trabalhou até meados de 2009. 
Em seguida, foi lotada da Delegacia de Proteção à Pessoa- DHPP/PE, onde trabalhou por cinco anos. Nestes  anos no DHPP já investigou diversos casos, sendo alguns de repercussão e de conhecimento do público. Dentre os casos que mais causaram comoção social, podemos citar: o assassinato da alemã JENIFFER KOKLER, onde os envolvidos eram os familiares; a morte da administradora de empresas NARDA BIONDI, que foi morta por uma amiga e enterrada no quintal da casa, embaixo de um coqueiro; o homicídio de WANESSA DA SILVA, morta pelo companheiro e enterrada no quarto do casal, embaixo da cama; o sequestro do menor LUCAS KAUÃ que foi levado para Paraíba e resgatado com vida; a morte do caminhoneiro ÉDER GAÚCHO, assassinado pelos dois melhores amigos; o assassinato do Jornalista Goiano LUCAS FORTUNA, morto na Praia de Gaibu, Caso VANIELA, desaparecida e encontrada com vida; caso MARIA ALICE, sequestrada e morta pelo padrasto, etc. 
Já recebeu diversos elogios na ficha funcional do Chefe de Polícia Civil e do Secretário de Defesa Social pelo desempenho profissional. Recebeu a Medalha de Ouro de Mérito da Polícia Militar de Pernambuco; Medalha de Ouro Mérito Polícia Civil de Pernambuco; Mdalha de Ouro do Mérito Bombeiro Militar; a Menção Honrosa da Assembleia Legislativa do Estado de Pernambuco; Medalha de Mérito José Mariano da Câmara Municipal do Recife. Atualmente, está se especializando em Crime Organizado, onde ministra aulas na ACIDES/PE. 
No ano de 2013, a Delegacia de Proteção à Pessoa passou a ter também a atribuição de investigação de pessoas desaparecidas, modificando o nome para Delegacia de Desaparecidos e de Proteção à Pessoa – DDPP.  Também foi criada uma Divisão de Proteção a Vítimas de Crimes de Intolerância. 
Em setembro de 2015 foi transferida para Delegacia de Homicídios de Olinda, onde estar lotada até esta data. Os principais crimes investigados na Delegacia de Homicídios de Olinda foram  o suicídio de PAULO CESAR MORATO e o sequestro da pequena JULIA CAVALCANTO ALENCAR, que foi  subtraída  e levada pelo genitor até o Amapá.

0 comentários:

Postar um comentário

Comentários ofensivos não serão publicados.