Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

Matrículas de aprovados no IFPE começam nesta segunda

Começou nesta segunda-feira o período de matrículas dos cursos superiores e técnicos do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco (IFPE). O prazo diz respeito aos alunos aprovados para a primeira entrada e os feras que optaram pela segunda entrada poderão se matricular a partir do mês de junho. As datas variam de acordo com os cursos e os campi onde são oferecidos. O cronograma deve ser conferido no site da Comissão do Vestibular

No ato de matrícula, os feras devem apresentar toda a documentação exigida no edital: carteira de identidade; foto 3x4 recente; original e cópia da certidão de nascimento ou casamento. Quem tiver acima de 18 anos deve apresentar também o título de eleitor e o documento comprobatório de regularidade com o Serviço Militar (no caso do sexo masculino).

Os futuros estudantes dos cursos superiores e técnicos subsequentes devem entregar também o certificado original de conclusão do Ensino Médio e o Histórico Escolar. Na ausência de tais documentos, a declaração de conclusão será aceita provisoriamente por um período de 30 dias. A mesma regra vale para os aprovados nos cursos técnicos nas modalidades Proeja e Integrado. A diferença é que estes devem apresentar a documentação relativa ao Ensino Fundamental.

Programação da Caixa Cultural RECIFE


UFPE realiza primeira oficina pedagógica voltada a preceptores de programas de residência

A Coordenação de Residências Multiprofissionais da UFPE (Coremu) e a Pró-Reitoria para Assuntos de Pesquisa e Pós-Graduação (Propesq), em parceria com a Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco, realizaram, no segundo semestre de 2015, a I Oficina Didático-Pedagógica para Preceptores dos Programas de Residência. Cerca de 30 preceptores de residências do Estado participaram da atividade, que teve duração de três meses com início em setembro e término em dezembro de 2015. A ideia dos organizadores é realizar outra oficina neste ano.

De acordo com a coordenadora de cursos de Pós-Graduação Lato Sensu da Propesq, Patrícia Mergulhão, integrante da comissão organizadora da atividade, os objetivos da oficina foram atingidos, tendo em vista a qualidade das discussões e também a avaliação feita pelos próprios preceptores ao final dos encontros. Patrícia informou que, apesar da importância do papel dos preceptores, são poucas as experiências formais de desenvolvimento acadêmico-pedagógico deste profissional. “A prática da preceptoria é totalmente sustentada na ação do preceptor como educador. Eles atuam cuidando diretamente da aprendizagem dos residentes e é com eles que os residentes estão a maior parte do tempo. Pensando nisso, montamos essa atividade com o propósito de levar até os preceptores não só o embasamento teórico, mas também de mobilizar discussões relacionadas a essa prática e ao seu papel”, explicou.

O coordenador pedagógico do Programa de Residência em Enfermagem do Hospital Barão de Lucena/UFPE, Ronaldo Vasconcelos, que também atua como professor do Bacharelado em Saúde Coletiva do Centro Acadêmico de Vitória (CAV), considera a oficina o primeiro passo para pensar estratégias de capacitação dos preceptores. “Trouxemos modelos pedagógicos, elementos básicos de construção metodológica, orientação para formulação de objetivos e de avaliação para que a atividade do preceptor tenha mais qualidade e esteja imbuída de um desenho mais acadêmico, o que é, inclusive, uma orientação dos Ministério da Saúde e da Educação”, pontuou.

A coordenadora da Coremu, Marina Petribú, afirma que a ideia da oficina começou com a visita a alguns programas de residência da UFPE. “Percebemos, em muitos, uma demanda por aperfeiçoamento e valorização da preceptoria. A partir daí, formamos uma comissão com membros da Propesq, da Coremu e da Secretaria Estadual de Saúde para começarmos a planejar a formação”, conta. Marina expressou o desejo de que a oficina seja promovida, semestralmente ou anualmente, assim como outros cursos e outras formas de capacitação de preceptores. 

A comissão vai estudar também a possibilidade de ampliação das vagas. Nesta primeira oficina, os preceptores que participaram foram indicados pelos coordenadores dos próprios programas de residência.
A I Oficina Didático-Pedagógica para Preceptores dos Programas de Residência teve uma carga horária total de 60 horas dividida em três módulos com dez encontros presenciais ao todo. No primeiro módulo, foi discutido o papel da residência como formação continuada na estrutura do Sistema Único de Saúde (SUS) e a importância do preceptor neste contexto. No segundo, foram trabalhadas metodologias de ensino voltadas para a prática da residência e, no terceiro, trabalhados processos de avaliação voltados para a prática da residência.

Foram disponibilizadas 35 vagas distribuídas entre o programa de residência do Estado, as Coordenações de Residências Médicas do Hospital das Clínicas e do Centro Acadêmico do Agreste e a Secretaria Estadual de Saúde.

UFPE entra em regime de racionalização de energia elétrica

Por meio de Portaria Normativa (nº 17, de 29 de dezembro de 2015), o reitor da UFPE, Anísio Brasileiro, estabeleceu uma série de medidas de racionalização do gasto público referente ao consumo de energia elétrica na Universidade. A Portaria da UFPE tem como embasamento o Decreto nº 8.540, de 9 de outubro de 2015, que estabelece como meta, no âmbito da administração pública federal, direta, autárquica e fundacional, a redução de 20% sobre o valor total dos contratos e instrumentos congêneres.

Entre outras decisões, a Portaria da UFPE determina que, sempre que a iluminação natural for suficiente para o desenvolvimento das atividades, as lâmpadas das salas de aulas ou das unidades administrativas deverão ser mantidas desligadas. Ainda segundo o documento, os aparelhos de refrigeração nas salas de aula e de trabalho serão desligados no horário das 17h30 até as 20h30 e sempre que não houver atividade nas salas, devem ser desligados lâmpadas, computadores, estabilizadores e aparelhos de refrigeração.

As outras medidas previstas na Portaria determinam que os monitores dos computadores devem estar configurados no modo desligamento automático e que, ao final das atividades de ensino, pesquisa, extensão e/ou administrativa, esses equipamentos deverão ser desligados, assim como todos os equipamentos elétricos e lâmpadas localizados nos respectivos espaços físicos. Também cabe aos gestores prediais das unidades administrativas, segundo a Portaria, orientar e observar o cumprimento do estabelecido.

Os casos especiais que, segundo a determinação, correspondem às atividades específicas que não se adequem ao cumprimento desta Portaria Normativa, deverão ser submetidos à apreciação da Pró-Reitoria de Planejamento, Orçamento e Finanças, com as devidas justificativas, para análise e decisão sobre a flexibilização e/ou procedimento a ser adotado. A Portaria Normativa terá vigência de quatro meses. A imagem que ilustra esta matéria é uma das peças da campanha de sensibilização para uso consciente de energia, água, papel e copo descartável, desenvolvida pela Diretoria de Gestão Ambiental da UFPE.

Balanço de Fim de Ano nas rodovias federais de PE

Entre os dias 28/12/2015 a 03/01/2016, a Polícia Rodoviária Federal registrou 107 acidentes nas rodovias federais, sendo 76 com feridos ou mortes e 31 sem vítimas, que também foram registrados no sistema eletrônico da PRF. Desse total, 66 pessoas ficaram feridas e 13 perderam a vida nas rodovias federais. Na semana de ano novo, entre 2014 e 2015, foram registrados 94 acidentes, com 62 feridos e o mesmo número de mortes.

O acidente mais grave ocorreu na manhã do dia 29 de dezembro, no km 29 da BR 116, em Juazeiro, na Bahia.  Nessa ocorrência, uma mulher, de 32 anos, um jovem, de 23, e uma criança, de 9 anos, faleceram no local. Elas viajavam em um automóvel com placas de Itapecerica da Serra/SP, que perdeu o controle e capotou na rodovia. Apesar de não ter ocorrido em uma rodovia pernambucana, esse trecho faz divisa com o estado e é atendido pela Delegacia da PRF em Petrolina.

Nesse período, três pessoas também morreram atropeladas, sendo duas na BR 101, em Igarassu e Abreu e Lima, e outra na BR 232, no Curado.

Nova cobertura obrigatória para planos de saúde deve encarecer custos

Depois que a cobertura obrigatória dos planos de saúde incorporou 21 novos procedimentos, a Associação Brasileira de Medicina de Grupo (Abramge), representante de operadoras, diz que a ampliação pode pressionar o equilíbrio financeiro das empresas e encarecer os custos para os beneficiários.
Plano de Saúde
Os plano de saúde incorporaram 21 novos procedimentosArquivo/Agência Brasil
Segundo a entidade, o impacto financeiro da nova cobertura obrigatória para as empresas só poderá ser avaliado em junho de 2017, quando as empresas poderão repassar os custos para os consumidores. "Este impacto pode encarecer o acesso dos beneficiários aos planos de saúde tendo em vista a necessidade de suprir os novos custos gerados por tais incorporações", disse em nota. Ainda assim, a Abrange esclarece ser a favor do desenvolvimento de novas tecnologias médicas,
Tanto a Abrange, quanto a Federação Nacional de Saúde Suplementar, também representante das operadoras de planos de saúde, orientam as associadas a cumprirem integralmente as regras da Agência Nacional de Saúde Complementar (ANS).
Desde o último sábado (2) passaram a valer regras da ANS que incluem 21 procedimentos ao rol de cobertura obrigatória das operadoras de planos de saúde. O teste rápido de dengue e a sorologia para febre chikungunya são dois deles.  A atualização do rol é feita a cada dois anos, num processo conduzido pela ANS com consulta à população.
Segundo a FenaSaúde, suas associadas e seus prestadores de serviços assistenciais estão preparados para a renovação.
Para os beneficiários que tiverem procedimentos da cobertura obrigatória recusados, a Associação de Consumidores – Proteste aconselha que exija da operadora a negação por escrito e busque a Justiça. A negativa deverá estar em linguagem clara, indicando a cláusula contratual ou o dispositivo legal que a justifique. A operadora que não fornecer a negativa por escrito pode ser multada em R$ 30 mil pela ANS.

Acidentes causam 147 mortes em rodovias federais nesse fim de ano

Os acidentes em rodovias federais resultaram na morte de 147 pessoas durante as festas de fim de ano. Balanço preliminar divulgado hoje (4) pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) contabilizou, entre os dias 28 de dezembro de 2015 e 3 de janeiro deste ano, 2.073 pessoas feridas em 1.248 acidentes com vítimas. Deste total, 267 foram classificados como acidentes graves, que são aqueles que resultam em pelo menos um ferido grave ou óbito.
A exemplo do que ocorre todos anos, a principal causa desses acidentes foi a imprudência dos motoristas, informou a PRF. Segundo o órgão, um terço das mortes nas rodovias federais são consequência de colisões frontais que, na maioria das vezes, foram causadas por excesso de velocidade ou ultrapassagens indevidas. A embriaguez dos motoristas também tem contribuído historicamente para o alto número de acidentes causados por imprudência nas rodovias.
Na virada de ano de 2014 para 2015, foram registrados 1.166 acidentes com vítimas, 415 acidentes graves, 1.975 feridos e 128 mortos. De acordo o balanço, embora os registros preliminares indiquem diminuição de acidentes graves, número quase 36% inferior aos da semana do Ano Novo de 2014/2015, houve o aumento de mortos e feridos resultantes dos acidentes. Nas rodovias federais de todo o país, foram registradas 14,8% mais mortes do que em 2014/2015, informou a PRF.
O balanço da PRF registrou alguns acidentes que resultaram em múltiplos óbitos, com destaque para o Rio Grande do Sul – onde uma colisão frontal entre dois veículos na BR-116 resultou em quatro óbitos e em uma criança gravemente ferida – e para o Ceará, no sábado (2), onde uma colisão frontal, também na BR-116, resultou na morte de sete pessoas.
O acidente no Ceará envolveu uma van e um sedan no município de Jaguaribara, a 227 quilômetros de Fortaleza. Os veículos colidiram de frente, matando cinco pessoas de uma mesma família, que viajavam em um Fiat Linea com placa do Paraná. A família havia passado o réveillon em Fortaleza e seguia para Foz do Iguaçu, onde moravam. Na van, que havia saído da Paraíba, duas mulheres morreram e 11 pessoas ficaram feridas.
A Polícia Rodoviária Federal e a Perícia Forense do Ceará estão levantando as causas do acidente, mas evidências preliminares apontadas pela PRF indicam uma possível tentativa de ultrapassagem ou a uma mudança repentina de faixa. O trecho da BR onde houve o acidente possui pista simples e, no ponto da colisão, a pintura do asfalto tem dupla faixa contínua, o que indica que os condutores que trafegam nos dois sentidos não devem ultrapassar.
*Colaborou Edwirges Nogueira

Produtores rurais do Nordeste ganham mais tempo para pagar dívidas

Os agricultores do Nordeste, região que sofre com forte e persistente seca, receberam uma boa notícia neste fim de ano. O governo decidiu suspendendo, até 31 de dezembro de 2016, o encaminhamento das operações de crédito rural em atraso para inscrição em Dívida Ativa e para cobrança judicial. O prazo adicional foi determinado por meio de Medida Provisória publicada no Diário Oficialdesta quinta-feira (31).
Em nota, o Ministério da Fazenda ressalta que trata-se da suspensão de prazos para cumprimento de obrigação e que a decisão não representa o perdão de dívidas. No texto divulgado nesta quinta-feira, a Fazenda aponta que a persistente seca que atinge muitos municípios da área de abrangência da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) desde 2011 tem dificultado a obtenção de renda da atividade agropecuária na região.
"Assim, com o objetivo de permitir que os agricultores tenham tempo adicional para melhorar sua condição financeira, sem, contudo, terem suas dívidas enviadas para cobrança judicial ou inscritas na Dívida Ativa da União, o que dificultaria ainda mais a sua permanência na atividade, o governo federal editou Medida Provisória 707, que altera os arts. 8º e 9º da Lei nº 12.844, de 19 de julho de 2013, suspendendo, até 31 de dezembro de 2016, o encaminhamento das operações de crédito rural de que tratam tais artigos para inscrição em Dívida Ativa e para cobrança judicial", cita a nota.
Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério da Fazenda

Brasil teve superávit comercial de US$ 19,7 bi em 2015

A balança comercial brasileira terminou 2015 com saldo positivo de  US$ 19,681 bilhões. O resultado reflete exportações de US$ 191,134 bilhões e importações de US$ 171,453 bilhões. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (4) pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). Foi o melhor resultado desde 2011, quando o superávit chegou a US$ 29,792 bilhões. O superávit comercial de 2015 superou, inclusive, as projeções do governo, que vinha apostando em saldo positivo de US$ 15 bilhões para o ano.
Dados referentes exclusivamente ao mês de dezembro de 2015 revelam superávit de US$ 6,240 bilhões, com exportações de US$ 16,783 bilhões e importações de US$ 10,543 bilhões. 
Ao apresentar os dados, o secretário de Comércio Exterior do Mdic, Daniel Godinho reafirmou que para 2016 o governo projeta saldo positivo em torno de US$ 35 bilhões.
O desempenho de 2015 é bem melhor que o verificado em 2014, quando houve saldo negativo (déficit) de US$ 4,054 bilhões, e mostra que a balança comercial está em um ciclo favorável, influenciada pelo dólar mais alto em comparação ao real. 
Com a cotação mais alta do dólar em relação à moeda brasileira, as vendas feitas no exterior rendem mais divisas, ajudando na melhora da economia e no desempenho das contas externas (trocas comerciais e financeiras diversas entre o Brasil e outros países).
“O comércio exterior sempre foi importante para a economia brasileira”, disse Godinho. “Nosso desafio, agora, com a oportunidade dada pela desvalorização do câmbio e pela decisão do governo brasileiro de incentivar as exportações, é fazer com que o comércio exterior seja uma estratégia central não só para o governo mas também para o setor privado. Quem exporta é mais competitivo à luz da realidade do mundo”, destacou o secretário.
Em 2015, o governo identificou 1.088 novos exportadores. Com isso, o número total de empresas exportadoras subiu a 20.322. Em 2014, esse número havia sido de 19.234. É uma alta de 5,6%.

Exportações e importações                 
O  superávit comercial de US$ 6,240 bilhões em dezembro foi o melhor resultado mensal obtido desde 1989.