Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

Junior Matuto presta contas da gestão para moradores do Paulista


O prefeito do Paulista, Junior Matuto, tem cumprido uma agenda de reuniões com moradores e lideranças comunitárias para apresentar uma prestação de contas da gestão municipal. Os encontros serão realizados em diversos bairros, nos quatro cantos da cidade. Neste sábado (19.03), foi a vez do bairro de Maranguape II conhecer o que foi realizado pela Prefeitura nesses três anos de governo. A apresentação aconteceu na academia do Paulo.
              
            A apresentação abordou as obras de impacto realizadas, a exemplo da contenção do avanço do mar na orla (bagwall), o Mercado e a dragagem do rio Paratibe, entre outras. Em Maranguape II, além da pavimentação de ruas, a obra do canal da Avenida F foi uma grande ação realizada pela gestão. Também pode-se destacar a construção de uma nova unidade de saúde e a reforma de outras duas,, a construção de áreas de lazer e o início das obras da Academia da Saúde do bairro. Também mereceram destaque o Programa Paulista Segurança Conectada, que está garantindo a segurança através do videomonitoramento e das rondas da Patrulha Cidadã.

            Junior Matuto apresentou, ainda, outras intervenções importantes em comunidades vizinhas, como a pavimentação da Estrada da Uruba, a inauguração da UBS Alameda, o binário para ligação entre Antônio Maria e Alameda, a Praça da Jaguarana e a Rua do Campo da Alameda, que está em obras. "Sabemos que ainda muito o que fazer ainda na cidade, mas temos certeza de que temos muito trabalho realizado pra apresentar aos paulistenses. E esse trabalho não pode parar", comentou Matuto, que estava acompanhado do secretário de Serviços Públicos, Jaime Domingos.

O GRAMPO CONTRA OS ADVOGADOS E O PRENÚNCIO DO FIM DO ESTADO DE DIREITO

Não bastassem todas as medidas policialescas que o Brasil tem assistido desde o início da operação Lava Jato (a exemplo das prisões intermináveis só revogadas após “espontâneas” delações premiadas, das conduções coercitivas não previstas em lei e dos vazamentos autorizados de informações sigilosas por parte do próprio Judiciário), em 17 de março de 2016 mais um golpe foi desferido contra o direito de defesa e as prerrogativas profissionais essenciais ao pleno exercício da advocacia: verificou-se ter havido uma acintosa violação à garantia de sigilo dos diálogos entre advogado e cliente.