Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

Em Paulista, população é sensibilizada contra a exploração e o abuso sexual de crianças e adolescentes


As ruas do Centro do Paulista foram tomadas na tarde desta quarta-feira (18.05) por crianças e adolescentes das ONG´S, CRAS E CREAS municipais. Na ocasião, os jovens participaram da IV Caminhada Contra a Violação dos Direitos Sexuais de Crianças e Adolescentes. O evento, que é coordenado pela Secretaria Municipal de Políticas Sociais, Esportes e Juventude, tem o intuito de conscientizar e sensibilizar as pessoas sobre as consequências trazidas as crianças e jovens vitimados pela exploração e abuso sexual.
Durante o percurso foram distribuídos aos comerciantes e a população panfletos educativos sobre o tema. De acordo com a coordenadora do CREAS Centro, Wilna Rocha, a melhor maneira de combater a violência sexual é a prevenção.
“É necessário que façamos esse trabalho informativo junto aos pais e responsáveis desses jovens. Como também a sensibilização da população em geral e dos profissionais das áreas de educação e jurídica. Essa questão não pode apenas ser lembrada no dia 18 de maio, considerado o Dia Nacional de Combate ao Abuso e a Exploração Sexual Contra Crianças e Adolescentes, mas sim durante todo o ano. Nossa luta não pode parar ”, completou. A mesma ação foi realizada, também na tarde desta quarta-feira (18), pelas ruas do bairro do Janga.     

Por que 18 de maio?
Neste dia, em 1973, uma menina de 8 anos, de Vitória (ES), foi sequestrada, violentada e cruelmente assassinada. Seu corpo apareceu seis dias depois, carbonizado e os seus agressores nunca foram punidos. Com a repercussão do caso, e forte mobilização do movimento em defesa dos direitos das crianças e adolescentes, 18 de maio foi instituído como o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Desde então, esse se tornou o dia para que a população brasileira se una e se manifeste contra esse tipo de violência.

Paulista discute sobre recursos para o Fundo Municipal de Segurança na Alepe


Por meio da Secretaria de Municipal de Segurança Cidadã e Defesa Civil, a Prefeitura Paulista deu o pontapé inicial na busca de recursos para a área de segurança no município. Na manhã desta quarta-feira (18.05), o secretário da pasta, Manoel Alencar, se reuniu com a Comissão de Meio Ambiente da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), e ressaltou a importância de, assim como já instituído em Paulista desde o ano passado, criar o Fundo Municipal de Segurança em todas as cidades do Estado.

Durante o encontro, que envolveu os deputados Zé Maurício (presidente), Lucas Ramos, Ângelo Ferreira, Henrique Queiroz e Odacir Amorim, foram discutidos e votados alguns Projetos de Lei. Dentre eles, foi aprovado pela comissão o PL n° 786/2016, que pretende realizar mudanças na Taxa de Controle e Fiscalização Ambiental de Pernambuco (TFAP).

A proposta, que é de autoria do poder Executivo Estadual, visa fortalecer as ações das equipes da Organização Militar Estadual (OME), que também atuam com prevenção e combate às práticas de degradação ambiental. Caso seja aprovado nas demais comissões e no projeto no plenário da Casa, a Secretaria de Defesa Social de PE (SDS) receberá 30% do valor da TFAP. Atualmente, esse valor é recebido pela Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH).

Para Alencar, o percentual deveria ser destinado ao Fundo de Segurança dos Municípios, investindo o recurso na capacitação dos guardas municipais, para que eles atuem no intuito de educar, preservar e fiscalizar. De acordo com ele, Pernambuco conta hoje com mais de 10 mil guardas municipais e em Paulista, são quase 200.
Segundo o secretário, essa garantia é importante para valorizar mais a categoria em todos os municípios. “Hoje, o município teria todo o interesse de valorizar, mas já gasta 50% com folha de pessoal, 25% com Educação, 15% com saúde, e fica aí cerca de 5% para toda a infraestrutura, limpeza e muito mais. Então, a gente quer que seja prioridade no país a questão do lidar com as pessoas, e assegurar às pessoas o direito de ir e vir, e isso se faz com segurança”, completou Manoel Alencar.

Movimentos culturais lançam manifesto pelo retorno do Cine Olinda

Com reivindicações aos governos municipal, estadual, IPHAN e outras instituições, documento recolhe assinaturas pelo retorno imediato de cinema centenário do Sítio Histórico de Olinda


Os movimentos #CineRuaPE, #OcupeCineOlinda e Ponto de Cultura Cinema de Animação lançaram um manifesto direcionado às instituições responsáveis pela reforma e gestão do Cine Olinda, cinema centenário do Sítio Histórico, fechado há mais de 50 anos.

O manifesto veio a público durante sessão do Cineclube CineRua, promovida ao lado do Cine Olinda, com o objetivo de questionar os descaminhos e reivindicar sua reativação imediata. Durante o evento foram obtidas mais de 350 assinaturas. Agora o mesmo documento está sendo lançado na internet nesta quarta (18), para que possa ser assinado e compartilhado.