Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

Obesidade infantil e na adolescência

Nos últimos anos, cresceram os índices de problemas de saúde na infância. Um desses problemas é a obesidade, que vem se tornando uma verdadeira epidemia e trazendo consigo outros problemas de saúde, a exemplo das cardiopatias. “O Brasil está se tornando um país com taxa muito elevada de obesidade infantil. Uma criança obesa tem uma chance muito alta de se tornar um adulto obeso, com comorbidades associadas como diabetes e síndrome metabólica”, afirma o cardiologista Tomás Mesquita, do Hospital Jayme da Fonte.

Para reforçar a importância de se iniciar os cuidados desde cedo, estudos mostram que crianças obesas já apresentam, antes mesmo dos cinco anos de idade, sinais de que terão problemas cardíacos no futuro. Por isso, as avaliações médicas feitas pelo pediatra nos primeiros meses de vida são fundamentais para a identificação e o controle de fatores que poderão resultar em problemas cardíacos no futuro.

De acordo com Tomás Mesquita, a criança deve ser acompanhada pelo pediatra desde o nascimento. Caso ele detecte algum problema, irá encaminhá-la para avaliação cardiológica. É importante, para essa prevenção, estar atento ao histórico familiar para detectar casos de diabetes, obesidade, hipertensão e dislipidemia, além de histórico familiar de cardiopatia congênita. “Se na família da criança há antecedentes de dislipidemia e obesidade, o pediatra solicita dosagem de colesterol e triglicérides a partir dos dois anos de idade. Em caso de alteração nestas dosagens, encaminha a criança para o cardiopediatra”, explica.

O cardiologista explica que a primeira dosagem de lipídeos sanguíneos deve ser feita a partir dos dois anos de idade e repetida a cada cinco. Mas a prevenção pode ser iniciada antes disso, com o acompanhamento pré-natal e a adoção de hábitos saudáveis, como evitar o fumo durante a gravidez, por exemplo.

Alguns fatores são determinantes para o ganho de peso como, consumo exagerado de alimentos gordurosos, falta de atividades físicas, fatores genéticos e problemas psicológicos (ansiedade ou depressão). “É importante entender que a obesidade não resulta unicamente da ingestão de grande quantidade de comida. Em geral, crianças obesas consomem alimentos de alto valor calórico, que não precisa ser em grande quantidade para causar o aumento de peso. Por isso, os pais devem ficar atentos aos diversos fatores”, esclarece o médico.

Para quem tem a partir de 45 anos, os check-ups devem ser realizados anualmente. Antes disso, a cada dois anos. A avaliação cardiológica também deve ser feita por quem vai entrar em uma academia.

Abaixo, algumas dicas de como preservar a saúde do coração:

- Controlar os fatores de risco: pressão arterial, obesidade, tabagismo;

- Praticar atividades físicas regularmente (caminhadas ritmadas, natação, bicicleta...);

- Manter uma alimentação saudável, rica em vegetais, fibras e carnes brancas;

- Reduzir o consumo de álcool;

- Fazer check-ups regulares.