Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

Crianças com microcefalia serão atendidas na Apae Paulista




Referência no Brasil há 60 anos em educação à pessoa com deficiência intelectual e múltipla, a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Paulista (APAE) implantará uma unidade na cidade do Paulista, a 28ª no estado. Entre os trabalhos de habilitação e reabilitação oferecidos, as crianças com microcefalia serão atendidas com serviços de saúde, assistência e educação. A entidade, que ainda está no processo de filiação da Federação Nacional das Apaes (FENAPAES), poderá se instalar no prédio do antigo Centro de Formação dos Professores Paulo Freire, no bairro do Janga. Para fortalecer a vinda da Apae, a Câmara dos Vereadores realizou um debate sobre a atuação da associação no país e no estado, nessa quarta-feira (22), no Plenário Vereador Adolfo Pereira.

A Apae, instituição filantrópica sem fins econômicos, tem como escopo a mediação no diálogo entre o poder público, comércio, indústria e profissionais liberais, levando à sociedade uma visão que a pessoa com deficiência é capaz. No país, são 2.100 unidades, prestando assistência a mais de 250 mil pessoas, e em Pernambuco mais de três mil pessoas nas áreas de saúde como fisioterapia, psicologia, terapia ocupacional, fonoaudiologia, e defesa de direitos das políticas públicas. O movimento apaiano também realiza a promoção da saúde ao idoso e à família do deficiente intelectual e múltiplo. "Nós pensamos no todo, acolher o deficiente e acompanhá-lo até que ele seja incluído na sociedade. Visto como um cidadão com necessidades às vezes diferenciadas, mas necessitando que olhemos como ser humano. Aprendi que devemos ver as pessoas através da alma e não do que as têm. A única coisa que nos pedem é amor", disse a psicóloga Amélia Borges, presidente da APAE PE e gestora de um hospital em Agrestina, no interior de Pernambuco.

O presidente da APAE Paulista, Aderbal Medeiros, entregou o cargo de conselheiro do Conselho de Saúde da Cidade do Recife para se dedicar a implantação da associação em Paulista. Segundo Medeiros, o registro jurídico da entidade será em março. "Pretendo mostrar a credibilidade da entidade e contaremos com o apoio da população, no voluntariado, e do poder público na disposição de profissionais", comentou. A secretária Saúde do Paulista Fabiana Bernart, que participou da audiência pública, falou da importância da vinda da entidade. "Como o Sistema Único de Saúde (SUS), apesar de ser para todos, ele tem dificuldades que não é em Paulista, mas no Brasil, de acesso e financiamento, nós precisamos de parcerias", disse.

Histórico
A Apae foi fundada em julho de 1954, pela norte-americana Beatrice Bemis, mãe de uma criança com síndrome de Down, em parceria com o almirante Henry Broadbent Hoyer, que reuniram pais, mestres e técnicos na embaixada dos Estados Unidos para exibir um filme sobre crianças com deficiência mental. A partir desta data, começou um movimento com o objetivo de promover e defender os direitos de pessoas com deficiência intelectual e múltipla.

No estado de Pernambuco, a primeira Apae foi fundada em outubro de 1961, na cidade do Recife pelo casal Armando Rabelo e Ivete Rabelo. Eles observaram a grande quantidade de pessoas com deficiência não tinha tratamento específico. Antes as famílias precisavam se deslocar para São Paulo e Rio de Janeiro atrás de diagnósticos e tratamentos. 


Foto: Max Carvalho



Apaes filiadas em Pernambuco atendem mais de três mil pessoas

Recife
Fundação: 1961

Garanhuns
1974

Petrolina
1991

Salgueiro
1995

Agrestina
1996

Mirandiba
1996

Serra Talhada 
2000

Carnaubera da Penha
2007

Passira
2010

Cupira
2010

Cachoeirinha
2011

Bezerros
2012

Barra de Guabiraba
2012

Buíque
2012

Belém de Maria
2013

Águas Belas
2013

Itaíba
2014

Saíre
2014

Camaragibe
2014

Caruaru
2014



Apaes em processo de filiação e implantação

Paulista

Canhotinho 

Cortês

Lagoa dos Gatos

Altinho

Lajedo

Surubim

Toritama



Serviços oferecidos

Educação
Acolhimento aos estudantes com deficiência intelectual e múltipla nas séries iniciais do ensino fundamental, ensino médio e educação de jovens e adultos (EJA), quando necessitam de apoio intensivo e atendimento educacional especializado na escola.

Saúde
Promoção da atenção integral a pessoa com deficiência, em todo o seu ciclo de vida, nas mais diversas especialidades, desde a prevenção de deficiências até a reabilitação e a atenção básica especializada.

Assistência Social
Desenvolvemos parcerias estratégicas com vários setores e segmentos sociais para a melhoria da qualidade de vida e para a inclusão da pessoa com deficiência na sociedade, integradas com as políticas públicas de assistência.

Educação Física
Promovemos um estilo de vida ativo, no qual os indivíduos adotam comportamentos de saúde, com atividade física, boa utilização do tempo com atividades culturais e de lazer, hábitos alimentares saudáveis, prevenção de comportamentos de risco.

Educação Profissional
Universalização dos direitos sociais incluindo o direito ao trabalho com responsabilidade pelo bem estar social, considerando a motivação dos trabalhadores, inclusão, satisfação e produtividade.

Arte
Despertar o gosto pelas atividades artísticas com fins educacionais e formativos, através de apresentações e exposições em diversos gêneros artísticos.

Defesa de Direitos
Uma rede de proteção, defesa e garantia de direitos das pessoas com deficiência nas mais diferentes instâncias, visando suas necessidades de desenvolvimento, buscando saúde e bem estar, atuando principalmente no combate a violência e a exploração.

Autogestão, Autodefensoria e Família
Promover o desenvolvimento da autonomia da pessoa com deficiência intelectual e múltipla desde suas atividades cotidianas até a plena participação nos espaços sociais e políticos e a defesa de seus próprios direitos, bem como orientação de famílias de pessoas com deficiência em relação ao cuidado, estímulos e acesso a direitos.


APAE pretenderá incluir pessoas da zona rural no mercado de trabalho

A APAE está chegando na cidade para uma tarefa de lidar no atendimento de pessoas com deficiência intelectual e múltipla, mas o segundo pilar da entidade é a implantação da APAE Rural. Trata-se de inserir as pessoas no mercado de trabalho ou na vida, no sentido de incluir nas atividades das técnicas rurais. O presidente da Câmara dos Vereadores Fábio Barros destacou, em entrevista ao Paulista Atualizado, o Plano Diretor Urbano Municipal.

Segundo o chefe do poder legislativo municipal, a legislação ambiental do Paulista é uma das mais modernas do Estado ao permitir a inclusão de organizações sem fins lucrativos nas áreas de proteção ambiental, sobretudo sem prejudicar a preservação local. "A APAE é uma instituição nacional conhecida e poderá propor ao Conselho de Meio Ambiente as suas instalações em determinados espaços de preservação ambiental da cidade, fazendo com que a pessoa com deficiência possa ser inserida nesse ambiente produzindo, inclusive por exemplo, mudas da Mata Atlântica. Então essa é uma abertura de uma cidade que tem legislação moderna dentro desse contexto", explicou Barros.

Participação dos vereadores 
O vereador Carlos Francisco (Piroca) esteve na mesa representando ao lado do presidente da Câmara Fábio Barros todos os parlamentares da Casa Torres Galvão. Os vereadores Eudes Farias, Edmilson Alves (do Pagode), Evanil Belém, César Júnior (Alemão), Antônio Valpassos (Tonico) também participaram, mas não acompanharam toda a sessão por motivos de agenda política, mas abraçaram a causa da APAE. "Fico muito feliz que as crianças com microcefalia serão atendidas nessa entidade", lembrou o vereador Eudes Farias, que já trabalhou na Secretaria de Saúde do município. "Só quem anda na comunidade sabe do desafio dos pais em procurar psicólogo e fisioterapeuta", concluiu.

Fonte: Apae PE

0 comentários:

Postar um comentário

Comentários ofensivos não serão publicados.