Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

Luciana avalia manifestação dos trabalhadores em Brasília

A deputada Luciana Santos esteve na Esplanada dos Ministérios na tarde desta quarta-feira (24), em Brasília. A parlamentar manifestou apoio aos trabalhadores e trabalhadoras que vieram à capital federal exigir que parem as reformas e que seja realizada eleições diretas para presidência da República. A estimativa é que 150 mil pessoas tenham participado da manifestação.

Luciana falou sobre o cenário político do país. “Estamos diante de um fato anunciado, porque sempre dissemos que quando se faz uma ruptura democrática como esta gerada pelo golpe, se quebra a institucionalidade e cria uma instabilidade política que não há quem controle. Ao contrário da narrativa daqueles que disseram que era necessário afastar a presidenta Dilma para retomar o crescimento, garantir emprego e a confiança do mercado, além de enfrentar o desafio brasileiro e construir a estabilidade política, o que estamos vendo no país é quase 3 milhões de desempregados em um ano, o empobrecimento veloz da população, mais corrupção e mais instabilidade política”.

Sobre o futuro, a parlamentar — que também preside nacionalmente o PCdoB — defendeu que as forças políticas preocupadas com o futuro do país se reúnam em torno de uma agenda programática que busque reestabelecer os princípios democráticos e que barre a agenda de retirada de direitos sociais e trabalhistas. “ Estamos defendendo a bandeira de Diretas Já com Fora Temer, essa bandeira deve vir pautada em uma plataforma onde minimamente estejam a excluir da pauta essa agenda de retirada de direitos, garantir medidas econômicas que retomem o crescimento e garantir estabilidade com medidas democráticas porque o país precisa de democracia. Então nós vamos nos manter na lua pelas diretas, pela valorização da democracia e pela soberania do voto popular”, ressaltou.

A deputada criticou ainda a repressão policial e a violência utilizada contra os manifestantes na Esplanada. “Nossa polícia precisa reaprender a se relacionar com as expressões da democracia e com as manifestações políticas. Sabemos que há possibilidade de coibir excessos sem uso desmedido da força e temos certeza que a ação policial pode ser cidadã se se pautar pelo respeito ao ser humano e à liberdade de manifestação”. 

0 comentários:

Postar um comentário

Comentários ofensivos não serão publicados.