Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

​Funase firma parceria com o CIEE e a Biblioteca Pública Estadual para oferecer Curso de Iniciação à Informática aos socioeducandos

Em breve, o CIEE irá também oferecer certificados para o curso de Robótica
​ministrados
  nas unidade, além de trabalhar em campanha de voluntariado

​​A Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) celebra termo de cooperação com o Centro de Integração Empresa Escola (CIEE) e a Biblioteca Pública Estadual (BPE). Essa parceria tem como objetivo oferecer o Curso de Iniciação à Informática a adolescentes das Casas de Semiliberdade da Região Metropolitana do Recife. O anúncio aconteceu em evento
​que contou com 
 a presença de representantes das instituições envolvidas e da diretora-presidente da Funase, Nadja Alencar.

​As aulas acontecerão na BPE, sendo ministradas por professores voluntários do CIEE. ​
 A primeira turma 
​terá início 
no próximo dia 08, 
​com adolescentes da 
 Casem Harmonia. O curso terá duração de 16 horas e possibilitará conhecimento sobre as ferramentas básicas da informática, entre elas as mais utilizadas no âmbito empresarial e corporativo. Serão abordados temas como Hardware, Software e Windows 7, além de ferramentas básicas do Office (Word, PowerPoint e Excel), Internet (b​rowsers, ​n​avegação, ​pesquisas e ​tipos de ​vírus)​, criação de e-mail​, comandos enviar, receber, encaminhar e anexar arquivos. Ao final, todos os alunos receberão certificado.

Segundo a superintendente adjunta Executiva Operacional do CIEE, Ana Patrícia de Oliveira Gomes, a instituição tem 40 professores voluntários que doam seu conhecimento para preparar jovens para o mercado e com essa parceria passará ​a atender ​também ​os ​adolescentes da Funase​. “A nossa perspectiva com essa parceria é a de qualificar
​esses jovens
  em uma habilidade que o mercado exige, a informática. Prepará-los para que eles tenham uma oportunidade de concorrer em situação de igualdade com os 

demais
”, disse.
​ ​    
O contato com a Biblioteca abre ainda um outro horizonte de oportunidades e de crescimento. “É uma imensa emoção poder estar contribuindo para as políticas de inclusão social da Funase. Sou também pedagoga e todos os processos educativos para mim são muito importantes. Essa é uma missão da biblioteca que na sua essência é a grande promotora do bem social. Não podemos desistir, esmorecer, quando se trata desses jovens”, destacou a gestora da BPE, Lúcia Roberta Guedes Alcoforado.

De acordo com a diretora-presidente da Funase, Nadja Alencar, muitos adolescentes que cometem atos infracionais tiveram algum tipo de desvio de aprendizagem, dificuldade no processo de socialização, no processo educativo
​,​
 não identificado lá atrás. “Precisamos tocar exatamente onde foi a falha, tentar ligar essas teias que foram rompidas durante essa trajetória. Para isso, buscar, com parcerias como essas, desenvolver atividades que eles gostam, para que eles voltem a acreditar na possibilidade da educação. Essa é uma porta e um caminho de despertar e convidamos quem está fora para ajudar também nesse processo. Essa aproximação com a sociedade civil e com novos parceiros é um caminho estimulado pelo secretário de Desenvolvimento Social Criança e Juventude, Roberto Franca. Precisamos dessa força”, enfatizou.

​CURSO DE ROBÓTICA E VOLUNTARIADO - 
 Em breve outra parceria será firmada com o CIEE, que passará a certificar também o Curso de Robótica oferecido nas unidades de internação da Funase. “Essa é uma atividade muito antiga na Funase, começou no Case Jaboatão dos Guararapes e depois se estendeu para o Cabo de Santo Agostinho, Abreu e Lima e Vitória de Santo Antão. O CIEE vai incluir um módulo de empreendedorismo no conteúdo programático do curso e assim passará também a certificar os alunos”, destacou o Coordenador do Eixo Profissionalização, Normando Jorge de Albuquerque. A Funase também trabalha na formulação de uma campanha para mobilizar voluntários que venham atender os socioeducandos, através do CIEE.

O CIEE já desenvolve outro trabalho com voluntários, oferecendo ciclo de palestras aos socioeducandos de Casas de Semiliberdade da Funase. Montado em conjunto com o Eixo Profissionalização da Funase, o objetivo do ciclo é o de preparar os adolescentes para participar de processos seletivos para vaga de emprego, de entrevistas de trabalho, além de aprenderem sobre  etiquetas profissionais. As palestras também são certificadas e acontecem atualmente na Casem Areias e Santa Luzia, e seguirá para o Casem Rosarinho e Casa Amarela.

0 comentários:

Postar um comentário

Comentários ofensivos não serão publicados.