Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

Cotel expande serviços no Laboratório de Tuberculose

A Secretaria de Justiça e Direitos Humanos, por meio da Executiva de Ressocialização (Seres), implantou, nesta sexta (24/08), mais um exame que contribuirá para o diagnóstico precoce da tuberculose no Sistema Prisional. O Laboratório de Diagnóstico Precoce em Tuberculose, que funciona no Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, oferece o exame de cultura, um diagnóstico mais preciso para a doença.
 
A expansão do serviço foi prestigiada nesta manhã pelo secretário-executivo de Ressocialização, Cícero Rodrigues, acompanhado da superintendente de Capacitação e Ressocialização, Valéria Fernandes; do gerente da unidade, Islan Honorato; de equipes de saúde da Seres e do Cotel, além da Secretaria Estadual de Saúde (SES), representada pela gestora Geral da Coordenação de Saúde Prisional, Judith D´Andrada; superintendente de Atenção Primária, Francisca Carvalho; e gerente de Microbactérias, Danyella Travassos.

O exame, até então encaminhado ao Laboratório Central da Secretaria Estadual de Saúde (Lacen/SES), complementa as tecnologias já oferecidas pelo centro de triagem  que são a baciloscopia do escarro - responsável por detectar as diversas fontes de infecção – e o genexpert, utilizado em casos mais específicos, com capacidade de detectar a presença do bacilo causador da patologia em apenas duas horas e identificar se a pessoa tem resistência ao antibiótico indicado para o tratamento.
 “É um avanço importante que repercute dentro do sistema e fora já que estamos otimizando os serviços que resultam no primeiro diagnóstico da doença. A parceria da SES é muito importante”, ressalta Cícero. O Lacen/SES doou a capela (câmara para manipulação do material) e o Ministério da Saúde duas estufas e uma cabine de segurança biológica para proteção do operador, meio ambiente e amostras. “A cultura é o padrão ouro em relação à tuberculose, a gente tendo esse diagnóstico aqui no Cotel vai adiantar muito em relação a ter o diagnóstico mais preciso para a doença assim fecha o ciclo das tuberculoses dentro das unidades prisionais”, explica a gerente Danyella Travassos. A cultura é indicada na suspeita de tuberculose pulmonar e nos casos de resistência bacteriana a outras drogas. O resultado sai num prazo de dois meses.
Diariamente são realizados no Cotel entre 20 a 25 exames de baciloscopia nos privados de liberdade de seis unidades prisionais e os casos confirmados seguem, de imediato, para tratamento na unidade de origem. São atendidos pacientes do Presídio de Igarassu, Colônia Penal Feminina de Abreu e Lima, Hospital de Custódia e Tratamento Psiquiátrico, Penitenciária Professor Barreto Campelo e Penitenciária Agroindustrial São João, além do centro de triagem. De janeiro a julho de 2017 foram registrados no laboratório do Cotel 3.631 exames de diagnóstico de TB com 185 casos confirmados e nenhum óbito. Dois analistas clínicos e dois técnicos de laboratório atuam no local.
CRIAÇÃO – O laboratório do Centro foi criado em 2012, com recursos do Fundo Global, com a proposta de diagnosticar os casos novos da doença que chegavam à unidade, conhecida como “porta de entrada” para o sistema penitenciário de Pernnambuco por realizar a triagem de presos provisórios. O serviço foi impulsionado em 2015 com a expansão para outros estabelecimentos prisionais.

0 comentários:

Postar um comentário

Comentários ofensivos não serão publicados.