Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

Curitiba recebe tratamento a laser mais efetivo para doença da próstata

Hospital Nossa Senhora das Graças oferece tecnologia para tratar a HPB, condição que causa aumento da glândula e atinge 14 milhões de brasileiros
Curitiba recebe uma técnica menos dolorosa e mais efetiva para o tratamento da Hiperplasia Benigna da Próstata (HBP), a doença mais comum da próstata: a vaporização do órgão com laser verde. Estima-se que cerca de 30% dos homens entre 50 e 80 anos vão apresentar a condição em algum momento da vida, atingindo cerca de 14 milhões de brasileiros, segundo a Sociedade Brasileira de Urologia.
O procedimento é feito com anestesia, dura cerca de 40 minutos e exige em média 24 horas de observação. A terapia convencional é cirúrgica e prevê pelo menos um mês para recuperação do paciente.
A HBP causa crescimento anormal da glândula, o que obstrui a uretra, podendo causar problemas no sistema urinário. Entre os sintomas mais comuns da HBP estão: vontade frequente de urinar – principalmente durante a noite, dificuldade para iniciar a micção e jato de urina fraco.
Tratamento mais efetivo com laser verde
De acordo com o urologista do Urocentro de Curitiba e do Hospital Nossa Senhora das Graças, Luiz Edison Slongo, o laser tem se revelado ao redor do mundo como o método cirúrgico mais eficiente e seguro para a diminuição da próstata.
O procedimento é indicado para homens cardíacos e que utilizam anticoagulantes, pois evita o sangramento e propicia rápida recuperação aos pacientes, que retornam ao cotidiano em 2 a 3 dias.
A tecnologia com laser verde consegue tratar próstatas de grande volume, é mais rápida, evita sangramentos e não oferece risco para pacientes cardíacos. Além disso, o tratamento de vaporização da próstata por meio do laser reduz o tempo de internação e recuperação.
"O laser verde é a tecnologia para tratamento da próstata mais empregada em países desenvolvidos, como os Estados Unidos. O método realizado pela uretra e sem cortes deverá ser de melhor custo-benefício no Brasil", explica o especialista.

0 comentários:

Postar um comentário

Comentários ofensivos não serão publicados.