Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

PAULISTA PARTICIPA DA 72ª REUNIÃO DA FRENTE NACIONAL DOS PREFEITOS SOBRE SEGURANÇA PÚBLICA

Para que interesses municipais sejam discutidos, foi criada a reunião da Frente Nacional dos Prefeitos (FNP), que está com a sua 72º edição que acontece nesta semana, na sede do Sebrae, região central do Recife. Entre os temas abordados a segurança pública, onde membros do Conselho Nacional de Secretários e Gestores de Segurança (CONSEMS) puderam expor pontos de vista e ações exitosas com o intuito de garantir maior zelo a vida dos cidadãos.

Paulista foi representada por Manoel Alencar, presidente do CONSEMS e secretário de Segurança Cidadã e Defesa Civil da cidade. O gestor apresentou o aplicativo Paulista Conectada (ferramenta disponibilizada para que a população denuncie casos de violência, além da falta de iluminação) e defendeu a legalização dos jogos de azar e emprego dos tributos para o financiamento da segurança pública.

A avaliação do projeto de lei que trata da legalização e exploração dos jogos de azar pode ocorrer ainda essa semana, pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). O projeto assegura que toda verba arrecadada com os jogos deva ser investida em importantes áreas para a sociedade, como, assistência social, saúde, educação, e segurança pública. O autor do projeto, Ciro Nogueira (PP-PI), fundamentou a proposta alegando que não é incorreto recolher impostos em cima de uma prática que ele afirmou acontecer em cada esquina do país.

A proposta prevê que para o funcionamento, os cassinos precisariam de autorização concedida pelo Governo Federal, enquanto os bingos e o jogo do bicho ficariam a cargo de estados e municípios. Segundo Ciro, isso renderia algo em torno de R$ 15 bilhões por ano em impostos.

De acordo com Manoel Alencar, o recolhimento desses impostos seria de grande importância para que ações em prol da sociedade saiam do campo da teoria para o estado de execução “Muitos planejamentos interessantes no âmbito da segurança pública não saem do papel por falta de recursos para a aplicação. Então entendemos que através da legalização dos jogos de azar, os recursos arrecadados pela União e os Estados poderiam chegar aos municípios como forma de capital para investimentos no setor”, destacou Alencar.

O evento ainda contou a participação de Humberto Freire (Sec. Executivo da Secretaria de Defesa Social e Segurança Pública no Estado), Major Mario Freitas (Coordenador Estadual do Proerd), Murilo Cavalcante (Sec. de Segurança Urbana do Recife), Oséas Francisco da Silva (Presidente da Conferência Nacional das Guardas Municipais), e da Delegada Conceição Tavares.

0 comentários:

Postar um comentário

Comentários ofensivos não serão publicados.