Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

PROFESSORES DO CEMO FAZEM NOVA DENÚNCIA EM CARTA PÚBLICA

Em página do Facebook, os professores afirmam que o ano letivo de 2018 está incerto, devido à falta de comunicação entre a nova gestão e os docentes

Na última segunda-feira (18), os professores do Centro de Educação Musical de Olinda (CEMO) realizaram nova denúncia contra a gestão de Lupércio. Em carta pública veiculada em uma página de Facebook, os docentes afirmaram que não possuem comunicação com o prefeito, que insiste em não recebê-los e nomeia gestores à revelia dos mesmos. Eles reivindicam eleições diretas para os cargos da direção e da coordenação da escola, em conformidade com as demais unidades da rede pública escolar da cidade.

No texto, os professores afirmam que solicitações de reuniões com o prefeito para discutir a situação do CEMO foram ignoradas. Atualmente, o cargo de coordenador da escola permanece vago e o cargo de direção está, interinamente, ocupado por uma pessoa sem formação na área. “Contrariando todas as expectativas positivas de termos um prefeito que também é “Professor”, o Prefeito Professor Lupércio se mantém irredutível em iniciar um diálogo com os professores do CEMO, em uma postura incompatível com o Estado Democrático de Direito em que vivemos”, diz o texto.

Ao afirmarem que terminaram o ano letivo de 2017 de luto, eles enumeram situações de assédio moral: “fomos ameaçados de transferência, coagidos em nosso próprio ambiente de trabalho, caluniados, difamados e até ameaçados de morte”, diz a carta. Sobre as matrículas, o texto revela que estão sendo preparadas por pessoas “que não conhecem realmente as peculiaridades da matrícula do CEMO, comprometendo mais uma vez a qualidade do ensino de uma escola que é referência no ensino de Música em Pernambuco”.

AUDIÊNCIA - No dia 21 de fevereiro, às 15h, será realizada uma nova audiência pública, no Ministério Público de Olinda, para discussão da situação do CEMO. Durante este ano, a partir das reivindicações e protestos dos professores, o antigo diretor da escola, Flávio Cassimiro, que forjou um diploma falso de graduação em Música pela UFPE, e seu coordenador pedagógico, Jonatas Ferreira, foram exonerados de seus respectivos cargos.

Leia a carta na íntegra:

PROFESSORES DO CEMO TERMINAM O ANO LETIVO EM LUTO

Fim do ano letivo, e nós professores do CEMO - Centro de Educação Musical de Olinda - continuamos sem saber como vai ficar a situação da nossa querida escola de música no novo ano que se aproxima. Iniciamos 2017 com o objetivo de preservar a educação musical de qualidade oferecida há 35 anos pelo nosso Centro Musical. Mas, fomos surpreendidos por um novo diretor, indicado pelo Prefeito Professor Lupércio, que, além de não manifestar competência para dirigir uma escola de música, falsificou um diploma de professor de música, fato este apresentado ao Ministério Público.

Esclarecemos que no início da gestão do Prefeito Professor Lupércio, nós, professores do CEMO, solicitamos a continuidade da direção anterior, fato que foi totalmente desconsiderado. Buscando o diálogo, pleiteamos, então, a realização de eleições diretas, já que somos a única escola da Rede Municipal de Olinda que não tem processo eleitoral. Vale ressaltar que esta foi a primeira vez que um prefeito despreza o pedido do corpo docente do CEMO.

O fato é que o prefeito colocou um falsário na direção do CEMO e um chefe da coordenação pedagógica e administrativa sem nenhuma qualificação para o cargo, resultando em um cenário desastroso, em todos os sentidos. Dada à gravidade da situação, os mesmos foram exonerados pela atuação do Ministério Público, já que aquela gestão caótica quase levou o CEMO a fechar as portas. Entretanto, foi imposta uma nova diretora interina, que também não possui nenhuma qualificação musical, estando ainda vago o cargo de coordenação musical.

Durante todo o ano de 2017 tentamos um encontro com o Prefeito e depois, por meio da Secretaria de Educação de Olinda, agendar uma reunião com o mesmo para discutirmos questões referentes ao CEMO, mas sem sucesso. Contrariando todas as expectativas positivas de termos um prefeito que também é “Professor”, o Prefeito Professor Lupércio se mantém irredutível em iniciar um diálogo com os professores do CEMO, em uma postura incompatível com o Estado Democrático de Direito em que vivemos. Outrossim, a falta de transparência é a marca da atual gestão do CEMO. O distanciamento que há entre a gestora interina, toda sua equipe e a escola é percebida nas mudanças feitas para o atendimento ao aluno, que agora é atendido pela janela da secretaria, sendo proibido seu acesso às suas dependências.

Nós, professores do Centro de Educação Musical de Olinda, continuamos em LUTO! Não temos realmente o que comemorar, pois foi um ano muito difícil, onde fomos ameaçados de transferência, coagidos em nosso próprio ambiente de trabalho, caluniados, difamados e até ameaçados de morte. Hoje, temos pairando sobre nossas cabeças a ameaça de não serem renovadas as cedências para os professores do CEMO ligados a outros vínculos, sem qualquer justificativa plausível, configurando-se em uma forma clara de represália àqueles que vêm lutando contra todos os abusos ocorridos em nossa escola desde o começo deste ano. Professores que trabalham com responsabilidade, comprometimento e profissionalismo, que zelam por uma educação de qualidade, e que não aceitam que o nosso Centro seja sucateado e sirva de cabide de emprego da Prefeitura, como está acontecendo.

Atualmente, nossa preocupação maior é com o ano letivo de 2018.1, porque as matrículas estão sendo realizadas por pessoas que não conhecem realmente as peculiaridades da matrícula do CEMO, comprometendo mais uma vez a qualidade do ensino de uma escola que é referência no ensino de Música em Pernambuco.

Convidamos a todos que tem amor à Música, aqueles que conhecem e amam o trabalho realizado pelo CEMO, a participarem da terceira audiência pública que será realizada no dia 21 de fevereiro de 2018, às 15h, no Ministério Público de Olinda, auditório da Sede das Promotorias de Justiça, na Avenida Pan Nordestina, nº 646, Vila Popular, Olinda/PE, para mais uma vez cobrarmos do Prefeito Professor Lupércio que ele dê ao CEMO o mesmo tratamento dado às escolas da Rede de Ensino de Olinda, que não nos discrimine, que nos ouça, porque só quem vive o dia a dia de uma escola de música como o CEMO, é que entende as suas peculiaridades e compreende as suas necessidades.

Essa luta não é só dos professores do CEMO, é de todos aqueles que desejam uma educação musical de qualidade, que defendem o processo democrático das eleições diretas, que consideram a música como uma arte que torna o mundo melhor. É por isso que contamos com você.

0 comentários:

Postar um comentário

Comentários ofensivos não serão publicados.