Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

Agremiações se apresentaram no North Way

Dez agremiações estiveram no sábado (04) no Paulista North Way Shopping. O bloco lírico Flabelo Encantado para seu acerto de marcha encantaram os paulistenses. 






Municípios afetados pela febre amarela recebem R$ 40 milhões

O Ministério da Saúde está liberando R$ 40 milhões aos municípios mais afetados pela febre amarela no País. Desse total, R$ 13,8 milhões serão destinados aos 256 municípios de cinco estados, como incentivo à vacinação da população contra a doença.

Os municípios estão localizados nos estados de Minas Gerais (MG), Espírito Santo (ES), Rio de Janeiro (RJ), Bahia (BA) e São Paulo (SP), que abrangem uma população estimada de 8,6 milhões de pessoas.

O recurso foi definido a partir da estimativa da população a ser vacinada em cada município. O Ministério da Saúde também está adiantando outros R$ 26,3 milhões, que representa 40% dos recursos de vigilância em saúde. Os valores deverão ser aplicados em ações de prevenção na área de vigilância para a febre amarela. O anúncio foi feito nesta quinta-feira (2), pelo ministro da saúde, Ricardo Barros, em Brasília.

Além disso, o Ministério irá ressarcir os investimentos em infraestrutura para atendimento emergencial. A pasta custeará o aumento da assistência à febre amarela, como abertura de novos leitos clínicos, intensivos e semi-intensivos e atendimentos e serviços laboratoriais. Serão três meses de custeio, podendo ser renovados. Esse repasse será aprovado de acordo com a produção apresentada pelos gestores locais. Em Minas Gerais, por exemplo, são 124 novos leitos e mais 30 em fase de implementação.

Vacinas

Desde o início deste ano, o Ministério da Saúde enviou um total de 8,2 milhões de doses extras para cinco estados: Minas Gerais (3,5 milhões), Espírito Santo (1,7 milhão), Bahia (900 mil), Rio de Janeiro (700 mil) e São Paulo (1,1 milhão). O quantitativo é um adicional às doses de rotina do Calendário Nacional de Vacinação, repassadas mensalmente aos estados, que totalizaram 650 mil no mês de janeiro.

Ações

O Ministério da Saúde também enviou, nesta semana, quatro equipes da Força Nacional do SUS para auxiliar no atendimento aos pacientes com suspeitas de febre amarela em Minas Gerais. Ao todo, são 10 profissionais que estão no estado – entre médicos, enfermeiros e assistentes – prestando assistência aos casos da doença, especialmente nos municípios de Novo Cruzeiro, Setubunha e Teófilo Otoni.

Campanha

O Ministério da Saúde prepara uma campanha para informar os públicos que devem se vacinar neste momento. Com o slogan: “Informação para todos, vacina para quem precisa”, a campanha será veiculada em TVs, rádios, mobiliário urbano, redes sociais e internet, além de sites especializados em turismo. O público-alvo serão os moradores das áreas com recomendação de vacinação.

Fonte: Ministério da Saúde

Oferendas para Iemanjá chamam atenção de turistas na Bahia

Conhecida como a Rainha das Águas e dos Mares, Iemanjá é a grande homenageada desta quinta-feira (02). Por todo o Brasil, o dia será dedicado àquela que também é conhecida como Mãe D’ água e que conta com uma forte devoção popular. Na Bahia, a festa é um importante evento religioso e desperta a curiosidade de muitos turistas.

Durante todo o dia, as praias da capital baiana e de outras regiões do país serão palco das muitas oferendas ao orixá mais conhecido das tradições da umbanda e candomblé. Um dos pontos de maior concentração das festividades em Salvador é a Praia do Rio Vermelho, onde está localizada a Casa de Iemanjá. No local, um grande balaio recebe as muitas oferendas - bijuterias, perfumes, flores, entre outras - que são levadas ao mar posteriormente.

Os pescadores locais também utilizam suas embarcações para transportar turistas e praticantes da Umbanda e Candomblé que desejam levar suas oferendas para alto mar. Durante todo o dia, elementos religiosos se misturam com desfiles de blocos de rua, como os Filhos de Gandhy, em uma grande festa.

A advogada Shamira Toledo viaja de Brasília para Salvador todos os anos para participar da celebração. “Venho todos os anos, primeiro pelo compromisso religioso de trazer a minha oferenda e agradecer as bênçãos e conquistas do ano, e também para fazer os novos pedidos. A festa é muito bonita, tem seu rito sagrado e, como tudo na Bahia, também segue sua parte profana. Recomendo a todos”.

Considerada a Grande Mãe, ela é a Senhora de todas as cabeças - o orí - e representa o feminino, traz na essência o zelo, o cuidado. Na região católica, Iemanjá é sincretizada com Nossa Senhora da Conceição. Em algumas partes do país, o sincretismo é feito com Nossa Senhora dos Navegantes ou Nossa Senhora da Assunção.

Festa para Iemanjá na Bahia. Crédito: Guto Martins

TURISMO RELIGIOSO - Todos os anos, o turismo religioso movimenta milhões de viajantes no Brasil. A cultura é um dos pilares para o desenvolvimento do turismo e o Brasil tem grande potencial de transformar as festas religiosas e populares em um produto turístico sustentável. Dos 880 eventos cadastrados no Calendário Nacional de Eventos em 2016, 149 eram relacionados a celebrações religiosas. De acordo com a Pasta, mais de 17,7 milhões de fiéis fizeram turismo religioso no Brasil em 2014.

Fonte: Ministério do Turismo / Agência de Notícias do Turismo

Jackson Barreto garante que Sergipe seja um dos primeiros estados a receber o Plano Nacional de Segurança

Agência Sergipe de Notícias

O governador do estado de Sergipe, Jackson Barreto, recebeu nesta sexta-feira, 03, o ministro de Estado da Justiça e Cidadania, Alexandre de Moraes, para o lançamento do Plano Nacional Integrado de Segurança Pública, que contemplará inicialmente as cidades de Aracaju, Natal e Porto Alegre, e para detalhar as ações desse acordo que contemplam Sergipe. Na ocasião, o governador anunciou a convocação de 20 novos Agentes de Polícia Judiciária, os quais atuarão nas Delegacias Regionais de Carmópolis, Lagarto, Nossa Senhora das Dores, Nossa Senhora da Glória e Itabaiana.

Desde maio passado, o governador Jackson Barreto tem se esforçado para que a implantação desse plano seja aplicada em Sergipe o mais rápido possível. O governador e os secretários da SSP, João Batista, e da Sejuc, Cristiano Barreto, participaram de diversas reuniões com representantes do Ministério da Justiça com este objetivo. Como fruto desse emprenho, Aracaju foi uma das três cidades brasileiras a serem contempladas com essas medidas iniciais.

Em setembro de 2016, Jackson solicitou ao secretário executivo do Ministério da Justiça, José Levi Mello do Amaral Júnior, verbas para estruturar, ampliar e fortalecer o Centro de Combate à Homofobia, implementar ações de prevenção à violência para adolescentes, fortalecer unidades de inteligência por meio de aquisição de veículos, mobiliários, equipamentos de proteção individual, soluções tecnológicas, entre outras ações desenvolvidas no âmbito da segurança pública.

No mesmo mês, desta vez em reunião com o ministro Alexandre de Moraes, o governador solicitou a liberação de recursos pendentes, no valor de R$ 13,4 milhões, para a complementação de projetos relacionados ao Programa Brasil Mais Seguro e repasse de recursos relativos a Convênios entre a Secretaria de Estado de Segurança Pública e a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp).

Em outubro do ano passado, o secretário João Batista defendeu a utilização de policiais civis e militares, já formados pela Força Nacional de Segurança Pública, em operações integradas com o Governo Federal em seu estado de origem. Assim, os agentes seriam empregados em grandes operações coordenadas pela Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça e Cidadania (Senasp/MJC) para a redução das taxas de crimes violentos, como homicídios e roubos.

A proposta foi apresentada aos colegas secretários e ao ministro Alexandre de Moraes, durante a sexta edição do Fórum Nacional de Tecnologia e Inovação na Segurança Pública e a Reunião do Colégio Nacional de Secretários de Segurança Pública.

Em novembro de 2016, o governador recebeu o ministro Alexandre para inaugurar o Centro de Radiocomunicação Digital, que leva o serviço 190 para todos os municípios sergipanos. Na ocasião, o próprio ministro reconheceu o esforço de Jackson em prol da segurança. “Fiz questão de estar aqui porque o governador Jackson Barreto está comprometido com a segurança”, afirmou durante a solenidade.

Em janeiro deste ano, reunidos no salão negro do Ministério da Justiça, em Brasília, todos os secretários de segurança do Brasil se reuniram com o ministro para discutir os últimos casos que envolveram crises em alguns presídios do país, e a efetiva aplicação do Plano Nacional de Segurança Pública. Na ocasião, os secretários João Batista e Cristiano Barreto disseram que uma importante estratégia para o combate à criminalidade é a colocação imediata de aparelhos para bloquear celulares em todos os presídios do Brasil.

O pedido foi atendido no mesmo dia e o governo conseguiu para o sistema penitenciário sergipano a liberação de R$ 2,8 milhões para instalação de bloqueadores de telefone celular, body scan (escâner de corpo) e tornozeleiras eletrônicas, além dos quatro veículos-celas, que foram entregues durante a formalização do plano da última sexta-feira, 03, e mais duas camionetas com tração 4x4, doadas para melhor atender às reivindicações da gestão estadual.

Formalização

Ao assinar o Plano, o governador Jackson Barreto destacou a parceria com o Ministério da Justiça e reafirmou o compromisso em diminuir os índices de violência. “Há mais ou menos 8 meses que estamos na discussão desse Plano Nacional de Segurança, efetivado agora, com a participação do nosso secretário de Segurança, João Batista, que por diversas vezes esteve em Brasília, na discussão com os setores do Ministério da Justiça, da área da Segurança Pública. Há poucos dias o recebemos [ministro] aqui no nosso estado e hoje voltamos a recebê-lo, na certeza de que a sua presença em muito contribuirá não apenas na questão da segurança do nosso estado, mas também para a luta na diminuição de número de homicídios em Sergipe, que sem dúvida alguma desperta em nosso país uma interrogação muito grande. Tenho certeza de que o trabalho com o Plano de Segurança Nacional, resultará na diminuição do índice de homicídios. Nosso estado terá mais tranquilidade e mais segurança. Agradeço por toda a atenção do ministro, não somente na área de Segurança, mas na área do Sistema Penitenciário, que tem sido efetiva”.

Em seu discurso, o ministro Alexandre de Moraes ressaltou que o Plano vem sendo elaborado juntamente com os gestores sergipanos há oito meses. "Pela primeira vez, o plano nacional de segurança sai do papel. Nós o elaboramos desde o dia 30 de maio do ano passado, junto com Sergipe e demais estados. São oito meses de trabalho conjunto com todos os secretários de segurança pública, secretários de justiça e todos os procuradores gerais de justiça, tratando desse assunto. A partir disso, nós elaboramos, lançamos e, agora, estamos na parte operacional. Começamos com três capitais (Aracaju, Natal e Porto Alegre), e estamos fazendo essas visitas já para fechar os últimos tópicos operacionais. Mas é importante destacar que tudo isso está sendo feito em cooperação, pois o ponto mais importante do Plano é a integração. É o governo federal junto com os estados contra um inimigo comum, que é a questão da criminalidade, do crime organizado", afirmou.

O secretário de Estado de Segurança, João Batista, informou que Sergipe se preparar desde maio para receber o PNS.  “Desde maio que o governador Jackson Barreto e a SSP vem tratando o Plano de Segurança com o Ministério da Justiça. O ministro Alexandre de Moraes entendeu nossa necessidade e a partir de agora, receberemos esses investimentos como a presença da Força Nacional, policiais civis ajudando o Departamento de Homicídios, a prevenção. Esse é um plano para ser realizado em conjunto, incluindo os municípios. Nós nos preparamo-nos para receber o Plano. Fomos a primeira secretaria a discutir o tema com a Secretaria Nacional de Segurança, o ministro nos visitou diversas vezes, demonstrando a vontade política e o planejamento de Sergipe”.

O comandante da Polícia Militar, Marcony Cabral, explicou que o trabalho da Força Nacional será direcionado para as áreas que apresentam maior índice de homicídios. “As áreas nas quais a Força nacional trabalhará junto com a PM de Sergipe respondem por mais de 40% dos homicídios registrados ano passado, que são zona Norte e Santa Maria. O plano envolve ainda campanhas de prevenção, equipamentos, investimentos em inteligência. É um avanço na busca da qualidade de segurança pública”.

Com a formalização do Plano de Segurança, 120 homens da Força Nacional de Segurança passarão a atuar ostensivamente em Aracaju. Outros 24 policiais civis reforçarão o Departamento de Homicídios (DHPP) e mais seis somarão forças à área pericial. Esse efetivo, que está previsto para entrar em vigo no dia 15 de fevereiro, foi definido após diversas tratativas de negociação entre o Governo do Estado, através da Secretaria de Segurança Pública (SSP), e a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp).

O Plano de Segurança tem como foco central a diminuição das taxas de homicídios dolosos (quando há a intenção de matar) e a violência contra a mulher. O intercâmbio entre Senasp e SSP visou identificar também as razões da criminalidade e as ações imediatas para combater as taxas de crimes.

O prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, acredita na consistência do projeto. “Esse é um plano muito importante para o município de Aracaju, pos estamos entre as três cidades em que ele será implantado primeiro. É um projeto-piloto, que enfrenta de maneira efetiva, pela primeira vez, a questão da segurança pública. Primeiro porque envolve todos os entes da federação, as policiais civil, militar e federal, o Exército e o Ministério Público, a Justiça Criminal, as Prefeituras, a Guarda Municipal, ou seja, uma integração de todos os entes, de todos os setores, para que a gente possa dar um passo efetivo no sentido de melhorar a segurança pública e diminuir a criminalidade no Brasil.

Aparelhamento da Sejuc

O início do ato de formalização do Plano Nacional Integrado de Segurança Pública foi marcado pela entrega à Secretaria de Estado de Justiça e Defesa do Consumidor (Sejuc), quatro veículos-cela, Renault Master, com capacidade para transportar 19 pessoas, sendo 10 presos, motorista e oito guardas prisionais responsáveis pela escolta dos internos.

Essas quatro viaturas vão se somar a outras 17 que compõem a frota da Sejuc, sendo 15 veículos-cela e duas ambulâncias. Os veículos-cela servirão para transportar os internos das unidades prisionais aos fóruns espalhados pelo Estado, para as audiências ordinárias. Atualmente, as 15 viaturas existentes circulam cerca de 500 quilômetros por dia.

“Pela primeira vez temos um plano que vai para as ruas da cidade. Recebemos a notícia da vinda de mais recursos para o sistema prisional. O ministro autorizou a aplicação da verba, que era destinada exclusivamente para o regime fechado, para que fosse feita a ampliação e construção do sistema semiaberto, que não existe em Sergipe. Efetivamos essa autorização e temos a certeza que iniciaremos as obras o mais rápido possível”, disse o secretário de Estado de Justiça, Cristiano Barreto.

Convocação de novos agentes

Durante a solenidade, o Governador Jackson Barreto anunciou a nomeação de 20 novos agentes substitutos de Polícia Judiciária, que atuarão nas Delegacias Regionais de Carmópolis, Lagarto, Nossa Senhora das Dores, Nossa Senhora da Glória e Itabaiana no combate ao crime de homicídio.

Em março, foram nomeados 100 Agentes de Polícia Judiciária Substituto e 20 Escrivães Substitutos para a Polícia Civil. Desde então, já foram outros 35 Agentes de Polícia Judiciária e, com esse o anúncio, o número passa a ser de 155 agentes de polícia civil (PC).

O ministro da Justiça elogiou a iniciativa. "Eu fico muito satisfeito em ver a preocupação do governador do Estado com a segurança. Disse isso durante minha última visita e repito agora, ao ver que ele chama mais agentes para integrar a força policial. São investimentos importantes que o Governo do Estado vem fazendo para a melhoria da segurança pública".

Sistema prisional

No início deste ano, o Ministério da Justiça e as Unidades da Federação assinaram um termo de cooperação referente ao Plano Nacional de Segurança entre União e Estados. Nele, foi estabelecido um Pacto Federativo pela Segurança Pública para integração, colaboração e cooperação para implantação do plano em todo território nacional. O documento foi o primeiro passo para que as medidas de suporte nacional com o objetivo de conter a crise no sistema penitenciário comecem a ser colocadas em prática.

Como parte do Plano, foi anunciada a abertura de ao menos 30 mil vagas para o sistema prisional brasileiro. Em 27 de dezembro, o Governo do Estado de Sergipe, por meio da Sejuc, enviou ao Ministério da Justiça um Termo de Adesão para Aplicação de Recursos do Fundo Penitenciário Nacional (Funpen). O plano destina R$ 48.172.222,22 para Sergipe.

Na construção de estabelecimentos prisionais para regime fechado e semiaberto, o Plano destina R$ 31.944.444,44 para a criação de mil vagas em dois estabelecimentos localizados no município de Areia Branca. São 500 vagas em regime fechado e 500 em regime semiaberto. Na ação aparelhamento, o Plano destina R$ 16.227.777,78 para aquisição de veículos, armas e aparelhos de segurança para as Unidades Prisionais.

O Plano Nacional de Segurança

No dia 6 de janeiro, o Governo Federal lançou, em cerimônia no Palácio do Planalto, um Plano Nacional de Segurança com medidas para combater o crime no país. Entre as ações previstas no plano e apresentadas pelo ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, estão a implantação de centros de inteligência integrados das polícias nas capitais, a criação de forças-tarefa no Ministério Público para investigações de homicídios e o fortalecimento do combate ao tráfico de armas e drogas nas fronteiras.

O Plano foi elaborado pela área de segurança do governo ao longo dos últimos sete meses e, segundo o ministro da Justiça, o plano nacional de segurança visa priorizar a redução dos crimes de homicídios, feminicídio e violência contra a mulher; o combate ao crime organizado, com foco no tráfico de drogas e de armas; e a modernização e racionalização de presídios.

Segundo o Ministério, a meta do Governo é obter uma redução anual de 7,5% na quantidade de homicídios dolosos nas capitais em 2017, e o mesmo percentual em 2018 nas cidades limítrofes, que englobam 209 municípios. “Também esperamos reduzir a superlotação carcerária em 15% em 2018. Em relação ao crime organizado, a expectativa é aumentar em 10% a quantidade de armas e drogas apreendidas em 2017, e em de 15% em 2018”, afirmou o ministro da Justiça.

O Plano em Sergipe

Uma das principais ações do Plano é a montagem do Núcleo de Inteligência, que unirá as áreas de inteligência das Polícias Federal, Rodoviária Federal, com as Polícias Militar e Civil e do Estado e as áreas de inteligência penitenciária federal e estadual. Um mapa, atualizado em tempo real, marcará as áreas de incidência de crimes e outras informações, possibilitando a realização de operações específicas no combate à criminalidade.

Abaixo, a lista das principais ações e operações conjuntas que passarão a acontecer em Sergipe:

- Policiamento preventivo em áreas de maior criminalidade, previamente analisadas - 360