Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

Classe produtora solicita à Caixa suspensão temporária de cobranças de dívidas e produtores afetados pela seca

CNA quer que medida atinja operações de crédito contratadas de 2012 a 2016

Brasília – A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) pediu à Caixa Econômica Federal, na quarta (15), a suspensão temporária das cobranças de dívidas dos produtores rurais afetados pela seca que contrataram operações de crédito no período de 2012 a 2016.

Muitos produtores do Nordeste ficaram impossibilitados de honrar os compromissos financeiros em função dos impactos causados pela escassez hídrica e pelo desabastecimento de milho na região devido ao aumento dos preços.

O presidente da Federação da Agricultura do Estado de Pernambuco, Pio Guerra, ressalta que grande parte dos produtores que se encontram na situação de devedor, são prejudicados pela falta de medidas eficientes, que possibilitem a convivência produtiva na região semiárida.  “É lamentável estarmos em 2017 e os fenômenos das secas, que se repetem ao longo de tantos anos, recebam do poder público e de todos um tratamento que se vê repetido e sem solução", critica.

De acordo com o gestor, mais de doze milhões de nordestinos sofrem as consequências da estiagem prolongada, 1.200 municípios já  decretaram estado de emergência e mais de sete milhões de cabeças de gado desapareceram. Em Pernambuco são mais de um milhão e duzentas mil pessoas atingidas. Dados do IBGE apontam uma redução de mais de 30% da área cultivada e cerca de 50% do Valor Bruto da Produção, se comparado a 2011.

Em setembro 2016, o presidente da República, Michel Temer, sancionou a Lei 13.340/2016, autorizando a liquidação e renegociação de dívidas rurais de operações contratadas até 31 de dezembro de 2011 por produtores da região de abrangência da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene).

A Caixa começou a operar com crédito rural aos produtores a partir de 2012, período que coincidiu com o início da estiagem crítica na região Nordeste.

Como estas operações não foram contempladas pela Lei 13.340/2016, a CNA pede no ofício ao banco a suspensão temporária de possíveis execuções de dívidas rurais contratadas de 2012 a 2016 até que sejam publicadas normativas que contemplem o período.

O pleito foi entregue pelo presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará (FAEC), Flávio Saboya, que representou o setor produtivo rural na entrega do documento ao banco.

Foto: Ascom CNA

Feira de Livro “Eu Amo Ler”

Para os amantes da leitura, o Shopping Boa Vista promove a Feira de Livro “Eu Amo Ler” que acontece até o dia 31 de março, no horário de funcionamento do centro de compras.  A feira tem por objetivo incentivar a leitura através de livros para toda família com preços acessíveis que variam de R$ 3,00 a R$ 60,00. A “Eu Amo Ler” está na praça de eventos do mall com cerca de 300 títulos. Destaque para a coleção ‘Gelo e Fogo’,  sucesso no canal HBO na adaptação da Série Games Of Throne.

O evento vem recebendo visitantes de todas as idades que chegam para aproveitar os preços atrativos. Segundo Tarcia Galvão, gerente de marketing do shopping, “os livros mais indicados são os infantis com pinturas e quebra-cabeças onde as crianças podem desenvolver a psicomotricidade. Há também romances, biografias, crônicas, com o preço de 15 reais”.  Além dos livros para a criançada, a feira possui títulos para quem gosta de viajar numa boa história. O projeto “Eu Amo Ler” montou um quiosque para  a troca de livros,A Troca Solidária. Lá, os visitantes podem levar seus livros usados e trocar por outros títulos e, assim, ao fim da feira, os livros arrecadados serão doados ao IMIP. Venha e aproveite os dias da feira para quem Ama Ler!

Feira de Livros “Eu Amo Ler”
Local: Shopping Boa Vista
Período: até 31 de Março
Horário: segunda a sábado das 09h às 21h e Domingo das 11h às 19h.
Produtos: Entre R$ 3,00 a R$ 60,00

Praça Laura Nigro recebe abertura do Ciclo Junino

Quadrilhas juninas se apresentam neste domingo (19), a partir das 17h

A festa junina já vai começar, pelo menos em Olinda. Neste domingo (19), dia de São José, data de plantar o milho do São João, a Praça Lauro Nigro recebe a abertura do Ciclo Junino. O evento, promovido pelo Movimento Cultural Junino de Olinda, com apoio da Secretaria de Patrimônio e Cultura, vai contar com apresentações de quatro quadrilhas. A festa começa às 17h, na Rua São Bento.

Serão três quadrilhas mirins – Coração Mirim, Craque Mirim e Fulô de Mandacaru Mirim – e uma adulta – Explosão Pernambucana. Além da grande roda, haverá um debate para apresentar as propostas do Movimento. “Queremos que as festas juninas sejam tão populares quanto o Carnaval de Olinda, desejamos que cresça cada vez mais no município. Agradecemos o apoio da Prefeitura, que liberou a utilização da praça e está ajudando com a organização, limpeza, sinalização e divulgação”, explica um dos diretores do Movimento Cultural Junino de Olinda, Thiago Santos.

A ideia do movimento é entregar ao prefeito o projeto de sociedade civil para contribuir no ciclo junino de Olinda no ano de 2017.

Profissionais da Educação participam de encontro para discutir ações referentes ao ano letivo de 2017

Foto: Jorge Macrino
Profissionais da educação do Paulista que fazem parte do Atendimento Educacional Especializado na rede participaram na última sexta-feira (17.03) de uma reunião para discutir o andamento das ações que serão desenvolvidas durante o ano letivo de 2017. Entre as questões discutidas foram abordados os temas: Lei Brasileira de Inclusão, Atribuição do professor do Atendimento Educacional Especializado, Avaliação Diagnóstica, entre outros. O encontro aconteceu no auditório da Secretaria Municipal de Saúde.
De acordo com o secretário municipal de Educação, Carlos Junior, a iniciativa tem o intuito de aprimorar o trabalho dos professores que trabalham com a questão da educação especializada na rede, visando fortalecer ainda mais o atendimento aos alunos com deficiência na cidade. 
“Queremos reforçar o fato de que esses alunos com deficiência precisam estar em salas de aulas juntos com todos os outros. Para isso vamos contar com atendimentos adequados, além de criar polos de atendimentos especializados para esses estudantes. Eles também serão acompanhados fora do ambiente escolar e em turnos diferentes do seu horário de aula”, explicou.

ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO - Tem a função de identificar, elaborar, produzir e organizar serviços, recursos pedagógicos e de acessibilidade que atenuem as barreiras para a plena participação dos alunos, considerando suas necessidades específicas.  O professor de AEE deve desenvolver um trabalho que abrange todas as instâncias da escola, equipe diretiva e pedagógica, os professores da sala comum, a família e principalmente os alunos da sala regular. Nesse sentido o professor de AEE tem como principal objetivo desenvolver nos alunos estímulos indispensáveis ao pleno desenvolvimento, através de recursos pedagógicos, tecnológicos e educativos, contribuindo de forma significativa para a independência e autonomia. 

No Janga, rua Honorato Fernandes da Paz começa a receber camada de asfalto

No bairro do Janga, um sonho antigo da população começa a tomar forma. É que a Secretaria de Infraestrutura do Paulista de início, nesta sexta-feira (17.03), à aplicação de asfalto na Rua Honorato Fernandes da Paz, no Conjunto Beira Mar. A avançado estado da obra chamou a atenção dos moradores que se mostraram satisfeitos com a ação.

O professor aposentando Severino Ramos, de 61 anos, foi um dos que elogiaram a obra. Ele mora há 29 anos no bairro e gostou muito de ver a obra “sair do papel”. “Essa obra é importante, porque vai desafogar o trânsito da outra Rua, a Doutor Luiz Inácio de Andrade Lima. E estou sabendo que os ônibus vão entrar por esta, e sair pela outra. Então, a obra vai ficar boa e vai melhorar bastante, até porque essa aqui era muito esburaca, muita areia, e quando chovia era quase intransitável”, relatou o morador.

Além dele, o balconista José Alberto Cabral de Souza, de 63 anos, também gostou da novidade. “Eu moro há quase oito anos aqui e também acho que essa obra é muito importante para todos daqui, sem contar que já baixou a poeira. Agora vai melhorar, não é?”, indagou animado. O borracheiro Rui Barbosa da Silva disse que mora há 30 anos no bairro. Ele declarou que a obra era mais do que esperada pela população. “Essa rua tem mais de 50 anos que não era calçada. Agora vai ficar uma maravilha”, finalizou.