Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

Prefeitura convoca idosos que recebem o BPC para realizar cadastramento no CadÚnico

Todos os idosos do município do Paulista que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC) precisam estar cadastrados no CadÚnico. Quem não estiver com os dados atualizados no sistema do Governo Federal até o mês de dezembro poderá ter o benefício suspenso, conforme determinação do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA). Os idosos devem procurar um dos CRAS mais próximo de casa para realizar o cadastramento.

Segundo a Secretaria de Politicas Sociais e Esportes, foi identificado um quantitativo de 3.730 idosos beneficiados pelo BPC que não estão inscritos no CadÚnico.  Para continuar usufruindo do benefício, o contingente deverá comparecer a um dos seis Centros de Referência da Assistência Social (CRAS) do município ou na própria secretária (Rua da Aurora, 1006, Aurora) para realizar o procedimento. O atendimento acontece de segunda a quinta-feira, das 7h30 às 13h30.

Para realizar o cadastro é preciso levar até o dia 31 de dezembro os seguintes dados: RG e CPF de tosos os integrantes do núcleo familiar, comprovante de residência, título de eleitor, carteira de trabalho, registro de nascimento (para menores de idade que não tenham RG ou CPF) e frequência escolar, para os menores de idade.

O BCP

O Benefício de Prestação Continuada de Assistência Social é um direito mensal equivalente a um salário mínimo que o INSS oferece aos idosos com mais de 65 anos, com renda familiar inferior a um quarto do salário mínimo.

Confira o endereço dos CRAS:

CRAS I – Rua Carpina, 45, Arthur Lundgren I.
CRAS II – Av. Ministro Marcos Freire, 45, Jardim Paulista Baixo.
CRAS III – Rua Dourado, 88, Janga.
CRAS IV – Rua 32, 671, Maranguape II.
CRAS V – Rua Funilândia, 3, Nossa Senhora da Conceição.
CRAS VI – Rua 96, 220, Maranguape I. 

Secretário da SDSCJ e a Diretora-Presidente da Funase recebem o Coordenador Nacional do Sinase

 Secretário da SDSCJ e a Diretora-Presidente da Funase recebem o Coordenador Nacional do SinaseRicardo Peres conheceu o trabalho desenvolvido pela instituição e visitou os Cases Abreu e Lima e Caruaru em agenda do Conanda

A Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) recebeu a visita do coordenador geral do Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase), Ricardo Peres, em agenda oficial do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda), que também contou com a presença do conselheiro Romero Silva.

O coordenador foi recebido pela Diretora-Presidente da instituição, Nadja Alencar, que juntamente com o Secretário de Desenvolvimento Social Criança e Juventude, Roberto Franca, os diretores, assessores e funcionários da Funase, apresentou o monitoramento do Plano de Ação de Curto Prazo da instituição, já em execução, compartilhando todo o trabalho que vem sendo desenvolvido e as ações já implementadas.

“Viemos para verificar o que foi anunciado enquanto plano de reordenamento institucional da Funase. Com isso, monitorar, apoiar e incentivar as ações que precisam ser implementadas no âmbito da proteção aos adolescentes e aos servidores. O que eu pude verificar neste encontro foi que parece que há uma força tarefa, um empenho em melhorar as condições que estão estabelecidas até então. O que nós ouvimos, parece que temos todos os setores da Funase funcionando, atentos e preocupados com a mudança de fato do sistema socioeducativo”, destacou Ricardo Peres.


Além do encontro de compartilhamento de informações, Ricardo também esteve em dois Centros de Atendimento Socioeducativo (Case), o de Abreu e Lima e o de Caruaru. “Ricardo tem uma experiência profissional muito grande na área do sistema socioducativo, que será de grande importância para o Estado. Creio que a presença de Ricardo irá nos ajudar, assim como outras unidades do Brasil, a atualizar tanto as normas de padrão arquitetônico, quanto às orientações que nós tanto precisamos para aperfeiçoar em Pernambuco”, destacou o secretário de Desenvolvimento Social Criança e Juventude, Roberto Franca.

FIM DA GREVE DOS SERVIDORES DE OLINDA

O movimento grevista dos servidores de Olinda, que perdurava desde o último dia 20 de junho, chegou ao fim. Depois de uma reunião entre a Secretaria da Fazenda e Administração e o sindicato da categoria foram acordados entre as partes o pagamento do Piso Nacional do Professor e a criação de uma comissão para atualização do Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV). Apesar do movimento grevista, as atividades não foram interrompidas nas secretarias que compõem a prefeitura. 

Alienação parental no idoso, um caminho sem volta

*Por Paulo Akiyama


A alienação de idoso é assunto que deveria estar previsto no estatuto do idoso, ou mesmo em uma lei específica. Afinal, a prática é considerada criminosa e violenta até porque o fim da vida está próximo, pela lei da natureza, roubando assim os últimos dias de paz e serenidade que lhes restam.

Gostaria de comentar sobre um fato verídico que envolve o tema, mas para isso, modifiquei os nomes, profissão, local, para evitar transtornos e exposição. Mas o fato é um convite que traz à tona as consequências de quem sofre com esse problema, e também um alerta.

João, um pai exemplar de quatro filhos, sempre se dedicou ao trabalho. O alfaiate, iniciou sua vida no interior do Brasil, ainda muito pequeno, para ajudar seu pai. Na época, era engraxate. Com os anos, aprendeu a profissão, e começou a se dedicar ao trabalho com uma melhor remuneração. Já com seus 15 anos, possuía a sua “portinha” e defendia o seu ganho.

Sua família mudando-se para São Paulo, capital, na década de 50. Foram todos residir na periferia, trabalhando como empregado em um bairro excelente, criando assim uma enorme clientela. João para trabalhar utilizava-se de pau de arara, pois, tinha poucos recursos e precisava vencer na vida.

Na década de 60, com muito esforço, dedicação, dificuldades, montou seu próprio negócio financiando um imóvel, pagando as mensalidades, e lutando. Conseguiu comprar uma casa melhor para a família e matriculou seus filhos em colégios particulares.

No final da década de 70, o destinou levou um de seus filhos. Na década de 80 foi pai novamente, já com idade. Todos “paparicaram” aquele bebê. Dedicou-se a este filho, juntamente com os demais. Sempre se orgulhando por ter uma família unida.

Aos 82 anos de idade, fragilizado por ter sofrido um pequeno AVC, sem sequelas, mas que abalou muito àquele que se sentia um super-homem, um dos filhos. Mas, o avanço da idade permitiu que um de seus filhos, por ciúme dos demais, ou mesmo por inveja daqueles que conseguiram vencer de forma independente, deu início a um trabalho de alienação sobre este pai e sobre aquela mãe. Aproveitou-se da idade avançada e iniciou o trabalho de descontrução da imagem do irmão que melhor se encontrava financeiramente, cuidava do patrimônio dos pais e não permitia que usassem de meios a avançar nos recursos financeiros, prevendo que, aqueles recursos é que sustentariam seus pais no final da vida, proporcionando-lhes melhor conforto. Não houve a desconstrução da imagem somente do irmão, mas de toda a família do mesmo, afastando nora, netos e bisnetos do convívio, com um único objetivo, apoderar-se de tudo e viver uma vida de luxuria e perdulária.

O filho mais esclarecido e que não tinha qualquer interesse financeiro ou pessoal, não permitia que de forma perdulária, viessem a destruir tudo aquilo que o pai trabalhou para prover conforto a todos. Porém, isto era um incomodo a um dos irmãos, que passou a inventar mentiras, aproveitou-se da senilidade dos pais para colocar todos contra aquele irmão que sempre se dedicou ao bem-estar de seus pais criando a imagem de “ladrão”. Total destruição de imagem.

João ficou hospitalizado, permanecendo mais de 15 dias em coma, sem qualquer contato com o mundo externo até o dia que faleceu. Deixou, uma viúva que conviveu mais de 60 anos de casamento, filhos que não se falam, netos desagregados, ou seja, uma família desmantelada. Para quem conhecia João e teve o prazer de sua companhia quando mais jovem, é testemunho de que este homem sempre preservou a família e a união entre os seus. Muitos destes que mantiveram a convivência assistiram o mal que aquele filho fez ao pai. As pessoas que são alienadoras não sabem, é que, os que presenciam por algum tempo, são sabedores do ambiente alienador que se cria, comentam com os outros, portanto, a destruição de imagem consegue perante o alienado, frágil e indefeso, mas não a todos os que presenciam.

O alienador, mesmo que tenha induzido João a realizar um testamento, não levou em consideração a idade avançada e a senilidade, podendo ser contestado judicialmente quanto a validade ou não daquele documento. Esqueceu ainda, que por nossa legislação, há apenas um percentual que se pode abrir mão. Além disso, não levou em consideração que um processo de inventário custa dinheiro e que sem o herdeiro necessário não se encerra um inventário.

Pensem bem, ao tratarem um idoso como foi tratado o João. Um homem com 87 anos de idade, que trabalhou desde os sete. Não merecia ter uma morte com a ideia de que um filho, que sempre esteve ao seu lado, não prestava ou tenha feito algo que não fez. Pior, não possuía mais forças, vigor ou discernimento para buscar a verdade, como sempre fez em toda a vida. Este foi o fim trágico de João, não pela sua morte, mas pelo que fizeram com ele. Um homem que, após tanto que trabalhou, não conseguiu ter seus últimos anos de vida com a convivência de todos os netos e bisnetos, viveu com o Parkinson lhe atormentando e com o ambiente que criaram lhe amargurando. Ainda me pergunto se ele realmente não sabia da verdade ou a amargura o levou a morte.

Este caso é verídico e testemunhado por muitas pessoas que conhecem todas as partes envolvidas. Este filho que alienou o pai, continua com o projeto de alienação sobre a mãe. Tudo por querer ter o poder, querer viver com luxúria e não possuir capacidade laborativa para buscar, muito menos vontade de trabalhar. Totalmente centralizador, possui características psicopatas, não sendo nossa área a psicanalise ou psiquiatria para definir se é ou não, mas dentro do que é possível pesquisar nas literaturas, assim se caracteriza.

Quantos de vocês conhecem casos análogos ou até passaram por algo semelhante? Não permita que isto prospere desta forma.

*Paulo Eduardo Akiyama é formado em economia e em direito 1984. É palestrante, autor de artigos, sócio do escritório Akiyama Advogados Associados, atua com ênfase no direito empresarial e direito de família. Para mais informações acesse http://www.akiyamaadvogadosemsaopaulo.com.br/


12ª Edição do SIMESPE ganha Espaço Literário e Cultural Chico Xavier



Este ano, a 12ª edição do Simpósio de Estudos e Práticas Espíritas de Pernambuco (SIMESPE) traz para sua área externa uma novidade, o Espaço Literário e Cultural Chico Xavier, que acontece paralelo ao evento, nos dias 4, 5 e 6 de agosto, no Centro de Convenções, Olinda-PE, das 8h às 20h. O espaço ampliará as ações do SIMESPE com feira de livros, espaço infantil e entrevistas com palestrantes e autores. O grande objetivo é a divulgação da doutrina espírita através do estímulo a leitura especializada e de reconhecimento histórico/cultural. A entrada é gratuita e aberta ao público participante ou não do Simpósio.

O espaço literário irá oferecer feira de livros espíritas das principais editoras especializadas do Brasil, com cerca de 10 mil títulos, que estarão disponíveis a preços populares. Entre as obras, encontram-se as básicas do espiritismo, codificadas por Allan Kardec e outras psicografadas por Chico Xavier, Divaldo Pereira Franco e dezenas de outros escritores. Os visitantes também poderão encontrar romances mediúnicos, livros infantis, juvenis, científicos e filosóficos na feira.

Nesta edição também se estrutura um espaço para entrevistas, onde alguns palestrantes e autores presentes no SIMESPE e convidados dialogarão sobre os livros consagrados apresentados e futuros lançamentos. Para o público infantil, o espaço cultural oferecerá atividades lúdicas ligadas à temática evangelizadora espírita e contação de histórias e parlendas. Para o público em geral, haverá apresentações artísticas de musicistas como o compositor e pianista Sibélius Tenório, Valda Sedicias e outros. Além de poder acompanhar através de vídeowall o que ocorre, em tempo real, no Teatro Guararapes.


ENTRADA GRATUITA

Não haverá vendas de ingressos para o Espaço Cultural e Literário Chico Xavier, a iniciativa é complementar ao Simpósio, visando dar oportunidade a todos que não obtiveram acesso ao SIMESPE, democratizando e ampliando o evento ao público espírita do estado de Pernambuco e outros, já que, como em todas as edições, os ingressos esgotaram antecipadamente. A coordenação do evento estima que nos três dias circulem cerca de 15 mil pessoas pelos stands.




Simpósio de Estudos e Práticas Espíritas de Pernambuco (SIMESPE)

O 12º Simpósio de Estudos e Práticas Espíritas de Pernambuco (SIMESPE) tem como tema “Conviver com as diferenças. Sem tolerância e amor não haverá paz.” e acontece nos dias 04, 05 e 06 de agosto, no Teatro Guararapes, Centro de Convenções de Pernambuco, em Olinda-PE. O evento, promovido pelo Grupo Espírita Seara de Deus, tem como principal objetivo a divulgação da Doutrina Espírita em todos os seus aspectos: científico, filosófico, religioso e prático.

O evento consolidado há 12 anos é um dos maiores do país, com ampla perspectiva de público participante. Sua estrutura contará com palestras, apresentações artísticas, sala de entrevistas, espaço literário e praças de alimentação. 

Nesta edição, o SIMESPE reúne os seguintes conferencistas:

Ademar Faria Jr. (ES) – Profissional especialista em tratamento de coluna vertebral, expositor e autor.

Décio Iandoli (SP) – Doutor em medicina, professor e presidente da Associação Médico-Espírita do Mato Grosso do Sul.

Divaldo Franco (BA) – Médium; orador; embaixador da paz no mundo pela Organização Mundial da Paz; embaixador da bondade no mundo pela fundação Kelsang Pawo e fundador do centro espírita Caminho da Redenção, em Salvador.

Fernando Ben (RJ) – Médium, escritor, pesquisador e estudante da psicologia.

Haroldo Dutra Dias (MG) – Juiz de direito do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais; expositor espírita; tradutor da obra Novo Testamento; autor e sócio fundador do SER.

Plínio de Oliveira (RS) – Cantor, compositor, pianista e palestrante.

Rafael Lavarini (MG) –  Expositor espírita no Brasil e no exterior; presidente do Centro Espírita Cristão Irmã Débora Cristina; formado em psicologia.