Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

Alunos da FMO vão atuar em Abreu e Lima  

A Faculdade de Medicina de Olinda (FMO) assinou na manhã de hoje (04/08) convênio de cooperação técnica com o município de Abreu e Lima, na Região Metropolitana do Recife. A partir de agora, os alunos da instituição de ensino podem realizar estágios de graduaçãonas unidades de saúde gerenciadas pela Secretaria de Saúde da cidade.

 

“Essa será uma excelente oportunidade de conhecimento para os nossos alunos. O treinamento prático, além da vivência científica e de relacionamento com a comunidade são fatores importantes na formação”, explica Tereza Miranda, coordenadora de Relações Institucionais da FMO. “O estágio é um complemento na aprendizagem, além de ser uma etapa importante na graduação dos alunos”, complementa.

 

Segundo Inácio de Barros Melo Neto, diretor geral da FMO, os estagiários da FMO em Abreu e Lima devem se integrar aos programas de saúde e prevenção desenvolvidos no município por meio da Secretaria de Saúde. Durante o estágio, os futuros médicos irão desempenharfunções em ambulatórios e hospital.

 

Para a cidade de Abreu e Lima, segundo explica a secretária municipal Sônia de Arruda de Oliveira, a maior vantagem é que esses estudantes também reforçam o atendimento à população. "Ao mesmo tempo em que estão tendo uma experiência pratica no curso de medicina, também estão dando suporte aos nossos médicos no cuidado com a saúde da nossa população", reforça.

Políticas públicas equivocadas e preconceito são os maiores problemas do crack

Autor do livro “Crônicas do Crack”, a ser lançado em agosto, Luis Marra retrata as várias realidades dos usuários em São PauloSubtítulo

Assista a depoimentos em:www.youtube.com/watch?v=47NIEsOO6qA

Há muitos equívocos e preconceitos propagados a respeito do crack, prontamente rebatidos por quem teve contato direto com o universo da droga. Seu consumo é amplamente disseminado, independente de classe social.

Há anos convivendo com usuários do crack em seu trabalho, o escritor e médico psiquiatra Luís Marra tem opiniões fortes sobre o assunto. Para ele, "a cracolândia continuará migrando, pois é um lugar em que se tem a ilusão de liberdade plena, que atrai gente de todas as classes. Enquanto as autoridades se preocuparem mais com o lugar e não com as pessoas, a cracolândia resistirá".

A realidade de usuários intensos desse psicoativo inspirou Luís Marra a escrever suas Crônicas do Crack, livro que a editora Hedra lança no dia 17 de agosto.

Autor também de “O Coletivo Aleatório” e “O Diário Perdido do Jardim Maia”, no campo literário, além de obras de referência sobre o assunto, Marra acredita que os maiores perigos a seremcometidos no combate à droga são as políticas públicas equivocadas, que não levam em consideração as peculiaridades da dependência do crack, e o preconceito, que atinge toda a sociedade, inclusive médicos e os próprios usuários.