Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

Festa Dia das Crianças

Temos a alegria de promover a Grande Festa das Crianças 2017, com brinquedos, guloseimas e muita alegria. Vamos comemorar juntos o dia das crianças! Esperamos por toda a criançada nesse momento feliz e especial 😉

#EdmilsonDoPagode
#PaulistaCadaVezMelhor

Saúde de Olinda reforça exames de mamografia

Durante todo o mês o caminhão do mamamóvel estará em alguns bairros da cidade atendendo o público feminino

O tradicional mês Outubro Rosa tem como objetivo chamar atenção das mulheres para a realidade do câncer de mama e a importância do diagnóstico precoce e exames rotineiros para prevenir a enfermidade.
Com isso, a Secretaria de Saúde de Olinda, a fim de facilitar o acesso do público feminino do município aos exames de mamografia, dispõe de uma agenda do Caminhão do Mamamóvel. Nesta quarta-feira (04.10), a Unidade de Saúde da Família (USF) de Jardim Brasil II, das 7h30 às 17h, será a contemplada pelo atendimento.

AGENDA MAMAMÓVEL
04/10 – USF Jardim Brasil II, 07h30 às 17h, Avenida Antonio Costa Azevedo, s/n;
07/10 – Escola Polivalente Compositor Antonio Maria, 07h30 às 17h, Avenida das Acacias, s/n, III etapa de Rio Doce;
07/10 – Policlínica Ouro Preto, 07h30 às 17h, Rua Peixe Agulha, Ouro Preto;
09/10 – Faculdade de Medicina de Olinda, 07h30 às 17h, Rua Dr. Manoel de Almeida Melo, 1333, Bairro Novo;
10/10 – USF Passarinho, 07h30 às 17h, Estrada do Passarinho, 956;
11/10 – Policlínica Peixinhos, 07h30 às 17h, Avenida Presidente Kennedy;
16/10 – Policlínica Barros Barreto, 07h30 às 17h, Avenida Justino Gonçalves, s/n, Carmo;
17/10 – USF Alto do Cajueiro, 07h30 às 17h, Rua Raimunda da Conceição, 300, Alto do Cajueiro;
18/10 – Policlínica São Benedito, 07h30 às 17h, Rua Dunas, s/n, São Benedito;
21/10 – Caique, 07h30 às 17h, Avenida Presidente Kennedy (após o supermercado Todo Dia);
23/10 – Núcleo de Rio Doce, 07h30 às 17h, Avenida das Garças, 165, IV etapa de Rio Doce;
24/10 – USF Vila Popular, 07h30 às 17h, Rua Vital Brasil, 475, Vila Popular;
25/10 – Sítio do Cajá – Ação Mais Saúde, 07h30 às 17h, Igreja Congregacional: Av. Flor do Campo, 559, Cidade Tabajara;
31/10 – Praça do Carmo, 07h30 às 17h, Praça do Carmo.

Foto: Prefeitura de Olinda

Nova gestão municipal de Olinda trabalha para resgatar papel do ‘pulmão’ da cidade

Fazer a celebração pelos 15 anos da Reserva da Mata do Passarinho voltada para atividades com crianças que estudam em escolas municipais.  Essa foi a tônica da festividade organizada no local nesta segunda-feira (02.10) pela Secretaria de Meio Ambiente Urbano e Natural, que cuidando do presente, ensinou aos pequenos olindenses que o nosso futuro está na preservação da fauna e da flora. Com a presença do prefeito, Professor Lupércio, do vice, Márcio Botelho, e secretários municipais, a banda do Centro de Educação de Educação Musical de Olinda (CEMO) deu o tom das diversas atividades: como trilha educativa, brincadeiras e palestras para todas as idades. 

Sozinha, no entanto, mesmo que nada tivesse sido planejado para este dia, a Mata por si só já garantiria uma programação inesquecível para quem foi ou para os que comparecerem para visitar, esta que é uma remanescente de Mata Atlântica e possui grande riqueza de fauna e flora em pouco mais de 13 hectares. O telefone para agendar uma visita ao "pulmão de Olinda" é o: 3305-1029. 

Miguel Silva, 7 anos, estava curioso para conhecer sobre as abelhas. “Se a gente cuidar delas vamos ter mais frutos nas árvores”, explicou confiante, após ter tido contato com as nativas brasileiras, que não possuem ferrão. A mesma experiência teve o prefeito Professor Lupércio, que conferiu por dentro como esses insetos constroem a colmeia. 

Vamos estar sempre investindo. Esse espaço estava sendo explorado de forma errada. Desmatando, servindo para crimes, mas nós estamos resgatando. É importante que a gente cuide, preserve e é isso que estamos fazendo”, afirmou Lupércio. 

Essa preservação passa por ensinar aos pequenos como cuidar da nossa riqueza natural. As crianças participaram de um roteiro em que, além das abelhas, conheceram saguisdiversas plantas, respiraram um ar puro que parece ter dado ainda mais energia para elas. Foi essa impressão quando Camila Barros saiu do pula-pula. “Eu não conhecia e meus irmãos também não. Mas é tudo muito lindo e eu quero voltar depois com calma”, falou. 
Tornar a Mata do Passarinho conhecida e trazer mais estudantes e pesquisadores para explorar todas as potencialidades são alguns dos desafios que a atual gestão está enfrentando 

O secretário de Meio Ambiente Urbano e Natural, André Botelho, confirmou que o caminho está em fazer com que os olindenses se apoderem desse pulmão e saibam da importância que ele tem.  O gestor ainda agradeceu pelo empenho das demais secretarias e o direcionamento do prefeito. “Sem essa força integrada nada seria possível", concluiu. 

Reflorestamento na orla de Petrolina marca nova etapa da revitalização do Rio São Francisco

O prefeito Miguel Coelho acompanhou, na manhã desta segunda-feira (02), o início das ações do Programa de Recuperação de Áreas Degradadas (PRAD) na orla fluvial do São Francisco. O trabalho vai revitalizar a mata ciliar num trecho de 12 hectares na faixa de areia ao longo do rio. A iniciativa integra o projeto socioambiental Orla Nossa, que vem restaurando desde março o maior patrimônio natural da cidade, o Rio São Francisco.


Na primeira etapa do PRAD, será feita a retirada de lixo e de algarobas - vegetação inadequada para a beira do rio que se alastrou nos últimos anos pela orla e impede o surgimento de plantas nativas. Esse trabalho será desenvolvido no trecho entre o Círculo Militar e o restaurante Bêra d’Água. Toda esta ação terá acompanhamento de técnicos ambientais da Prefeitura e da Universidade do Vale do São Francisco (Univasf) para garantir a preservação da fauna nativa (capivaras, por exemplo), que conseguiu se adaptar apesar do ambiente de alta poluição que se firmou na localidade.

Depois da limpeza, será feita a recuperação do solo que foi afetado por anos com derrame de esgoto de prédios condominiais e a expansão de algarobas. Em seguida, serão plantadas seis mil mudas de espécies vegetais nativas com características da mata ciliar do Rio São Francisco, a exemplo da ingazeira e do juazeiro. O processo de reflorestamento da orla deve levar seis meses. Após a conclusão do plantio, pelos próximos três anos, será executado o monitoramento permanente da área reflorestada para impedir novos casos de derrame de esgoto e a aceleração do processo de revitalização da vegetação às margens do “Velho Chico”.

“Essa é uma etapa fundamental para a revitalização do rio porque estamos aprofundando o tratamento do solo e da mata ciliar. Antes, o cenário era alarmante ao ponto de ser um problema de saúde pública que impedia as pessoas de tomarem banho no rio por conta do alto grau de poluição. Hoje, já vemos um rio diferente, sem baronesas, com a possibilidade real de ser aproveitado melhor por toda a sociedade e de maneira sustentável. É sem dúvidas um importante resgate ambiental e fundamental para as próximas gerações”, destacou o prefeito Miguel Coelho.

A Prefeitura de Petrolina iniciou em março a revitalização do Rio São Francisco e da orla numa grande ação conjunta com diversos parceiros como Compesa, Univasf, Codevasf, Instituto Federal Sertão e Exército. Já foram retiradas mais de 2 mil toneladas de baronesas nesse período e identificada uma melhoria brusca no nível de oxigenação do rio, saindo de uma situação crítica ao grau recomendado pelo Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama). Além disso, com a revitalização, a orla voltou a oferecer condições à prática de canoagem, que estava inviabilizada pela ocupação de vegetação danosa ao rio. Ao término do projeto Orla Nossa, a Prefeitura deve somar mais de R$ 1 milhão em investimentos para revitalização do patrimônio natural.

Outubro Rosa tem amplo engajamento da OAB-PE

A campanha Outubro Rosa, de alerta e conscientização da população sobre o câncer de mama, tem novamente a OAB Pernambuco como aliada. Ao longo do mês, a entidade realizará uma série de atividades com foco na importância da prevenção e diagnóstico precoce do tipo de neoplasia mais comum entre o sexo feminino no Brasil e no mundo – respondendo, em território nacional, por cerca de 28% dos casos novos a cada ano.
Entre as ações estão a produção e a divulgação de um vídeo documental exclusivo sobre como é conviver com a doença e a mudança da iluminação externa do edifício sede da entidade, no Recife. A luz da fachada ganhará tons de rosa até 31 de outubro. A mudança é uma forma adotada internacionalmente por instituições para demonstrar o envolvimento na empreitada.
Funcionários e funcionárias e estagiários e estagiárias da sede também receberam o famoso laço rosa, que ganhou uma versão em broche com a logomarca da OAB-PE.  A peça é mais um símbolo usado mundialmente como parte da campanha de precaução e enfrentamento da doença. O acessório foi distribuído indistintamente como forma de sensibilizar e conseguir o engajamento de todo o quadro de colaboradores, principalmente dos que têm contato com o público frequentador da unidade, formado em sua maioria por profissionais de advocacia e estudantes de direito.
Na segunda quinzena desse mês, a instituição ainda promoverá um evento na capital para discutir os aspectos legais do problema. De maneira a aumentar o alcance e a repercussão das ações, todas as iniciativas da OAB Pernambuco relacionadas ao Outubro Rosa serão amplamente divulgadas nos canais de comunicação e redes sociais da instituição.
Mais – O movimento Outubro Rosa teve início nos Estados Unidos por volta da última década do século XX. O nome remete à cor do laço que simboliza a luta contra a doença. Hoje em dia, a mobilização é celebrada internacionalmente de modo a estimular o combate, a prevenção e o esclarecimento sobre o câncer de mama em todo o planeta.
No Brasil, a iluminação de prédios públicos e privados ocorreu pela primeira vez em São Paulo (SP), em 2002. Na época, o monumento escolhido foi o Mausoléu do Soldado Constitucionalista, mais conhecido como Obelisco do Ibirapuera. Desde então, vários espaços receberam luz em tons de rosa, como o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro (RJ); o Elevador Lacerda, em Salvador (BA); e o Palácio do Planalto e o Congresso Nacional, em Brasília (DF). No exterior, a Torre Eiffell, em Paris (França), e a Ópera de Sidney, na Austrália, estão entre os cartões-postais que já aderiram à causa.
Neoplasia – Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), no país, cerca de 28% dos casos novos anuais da moléstia são de mama. De forma mais rara, a doença também acomete os homens, representando aproximadamente 1% do total. Em 2016, foram diagnosticadas quase 57.960 ocorrências do problema. Levantamento do órgão aponta que, em 2013, dos 14.388 óbitos causados pelo câncer de mama, 14.206 foram mulheres e 181 homens.
Considerando que quatro e cada cinco casos ocorrem após os 50 anos, a idade é um importante fator de risco para o câncer de mama. Entretanto, há outros elementos que podem aumentar o risco para a doença, como questões ambientais e comportamentais, da história reprodutiva e hormonal e genéticos e hereditários. Como parte deles estão obesidade, sedentarismo, histórico familiar, primeira menstruação antes dos 12 anos, não ter tido filhos nem amamentado, uso de contraceptivos hormonais, primeira gravidez após os 30 anos e parar de menstruar após os 55 anos, entre outros.
Prevenção – A adoção de hábitos de vida saudáveis figura como uma das principais formas de prevenção ao câncer de mama. Praticar atividades físicas regularmente, evitar o consumo de bebidas alcoólicas, manter o peso corporal adequado e aderir a uma alimentação saudável estão entre as indicações do Inca como formas de precaução.
O autoexame nos seios deve ser feito periodicamente. Os principais sinais e sintomas são caroço (nódulo) fixo, endurecido e, geralmente indolor; pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja; alterações no bico do peito e/ou saída espontânea de líquido dos mamilos; e nódulos na região das axilas ou no pescoço. A orientação é que, diante de alterações mamárias do tipo, o serviço de saúde seja buscado imediatamente para a realização do diagnóstico ou não de câncer de mama.