Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

Junior Matuto recebe medalha comemorativa do Bicentenário da Revolução Pernambucana de 1817



Em reconhecimento a pessoas que contribuíram para a preservação da cultura e da história de Pernambuco, a Assembleia Legislativa entregou, na noite desta segunda-feira (11.12), a Medalha Comemorativa do Bicentenário da Revolução Pernambucana de 1817. O prefeito do Paulista, Junior Matuto, foi um dos 23 homenageados com a medalha, diploma e um exemplar do Livro História da Revolução Pernambucana de 1817, da autoria de Franco Muniz Tavares, publicado pela Companhia Editora de Pernambuco (Cepe).


Dentre os homenageados pela solenidade, estavam ainda o governador de Pernambuco, Paulo Câmara; o ex-prefeito de Olinda, Germano Coelho; o presidente do Tribunal de Justiça de Pernambuco, desembargador Leopoldo Raposo; o Arcebispo de Olinda e Recife, Dom Fernando Saburido; o historiador Leonardo Dantas Silva; a pesquisadora cultural Tercina Lustosa Bezerra; a superintendente de Preservação do Patrimônio Histórico da Alepe, Cynthia Barreto; o produtor cultural e ex-secretário municipal de Cultura do Recife Roberto Peixe; a delegada da Polícia Civil Gleide Ângelo; o médico e professor Gilliatt Falbo; e os empresários Paulo Perez Machado (Platinum Trading), Janguiê Diniz (Grupo Ser Educacional), que não pôde comparecer; Eduardo de Queiroz Monteiro (Grupo EQM); e Geralda Farias (idealizadora da Fenearte).


Além dos homenageados, nove instituições receberam a comenda, são elas: Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), o Arquivo Público Estadual, o Instituto Histórico e Geográfico da Vitória de Santo Antão, o Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico Pernambucano (IAHGP), a Rede Globo Nordeste, a Fundação Gilberto Freyre, o Instituto Histórico de Caruaru (IHC), a Fundação Hemope e a Sociedade 21 de Setembro, de Petrolina.


Foto: Francisco Marques/ Prefeitura do Paulista



Aplicativo CUT Brasil

Aumento sucessivo do gás de cozinha é surreal, afirma diretora do Procon


Os consecutivos e abusivos reajustes nos preços do gás de cozinha desde que o ilegítimo Michel Temer (PMDB-SP) assumiu a presidência da República, é mais uma demonstração da falta de compromisso deste governo com a população mais pobre do país. Os aumentos comprometem seriamente o orçamento das famílias e colocam em risco a saúde de centenas de pessoas que estão trocando o botijão de gás pela lenha.

Pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira (8), mostrou que para 67% dos brasileiros, os preços do botijão comprometem e muito o orçamento da família brasileira. Em várias cidades, pipocam histórias de pessoas usando lenha ou galhos secos de árvores para cozinhar. 

Desde agosto o preço do gás de cozinha não para de subir e os reajustes mensais estão bem acima da inflação. O último aumento foi anunciado pela Petrobras na última segunda-feira (04) e entrou em vigor no dia seguinte. O reajuste foi de 8,8% no preço do botijão de gás.

Só neste ano o reajuste chegou a 67, 8% - o valor médio do botijão saltou de R$ 55, 74 na primeira semana de janeiro, para R$ 65, 64 no início de dezembro. Mas, esse preço não é o preço fixo. São os distribuidores que decidem quanto do aumento vão repassar para os consumidores.

Além da dignidade humana, esses aumentos precarizam ainda mais as condições de vida dos brasileiros e das brasileiras, denuncia Jandyra Uehara, secretária nacional de Políticas Sociais da CUT.

“Chegar ao ponto de faltar gás na casa das pessoas fere a dignidade humana. Não é só um problema de reajuste, não é só um problema econômico, é uma violação grave das condições mínimas que uma família precisa”, denunciou a dirigente.

Para a especialista em direito do consumidor e diretora do Procon-SP,  Ana Paula Moraes Sattheki, “este aumento surreal do gás de cozinha representa um impacto enorme no bolso da família brasileira porque é um produto que faz parte das necessidades básicas das pessoas”.

Na avaliação da diretora do Procon-SP, o Brasil “não tem necessidade de reajustar o gás todo mês. Temos o pré-sal com petróleo jorrando em todo canto. Temos boa condição de exploração. É algo inexplicável que só acontece neste país”. “As entidades de classe têm que demonstrar sua revolta com a política de preço que a cada dia é exagerada ao extremo”, diz Ana Paula.                    

A secretária nacional de Políticas Sociais da CUT concorda com a diretora do Procon. Segundo Jandyra, é preciso fortalecer o trabalho de base para barrar os retrocessos do governo usurpador. “Um trabalho de base muito articulado para debater estas questões, e ver o que é preciso fazer contra essas medidas golpistas. Uma articulação de base necessária para ocuparmos as ruas”.

Precisamos deixar a posição de reféns das medidas cruéis do governo Temer e reagir, alerta a diretora do Procon-SP.                                                                                                                       

“O governo está demonstrando uma realidade onde somos reféns, são coisas que não conseguimos modificar na condição de usuários. Quem poderia fazer alguma coisa pelo povo era o próprio Congresso e, infelizmente, não podemos contar”, alerta.

Orçamento abalado

Há uma nítida revolta da população com o anúncio do aumento do gás de cozinha e também gasolina. Esses números são reforçados pela pesquisa Datafolha.

A pesquisa mostrou que 80% das pessoas que ganham dois salários mínimos estão com os orçamentos comprometidos. Já entre os ricos, 36% disseram que não há comprometimento algum, e que nem o preço da gasolina escapa da indignação das pessoas. Para 82%, o preço também aumentou muito nos últimos meses – para 68%, o atual preço compromete muito o orçamento familiar.

Um botijão de gás não dura em média um mês na residência de muitos trabalhadores e trabalhadoras das periferias das grandes capitais. Como é o caso da dona Vânia Maria de Jesus, 54, que tem uma família de 11 pessoas, com uma renda de R$ 1000, o aumento do gás vai pesar no orçamento.

Revoltada, Vânia conta que sofre com a crise e o aumento desses produtos básicos porque é algo que ela não pode deixar de usar.  “Nesta crise quem sofre mais somos nós que ganhamos pouco, não consigo comprar nada no mercado com R$100, nosso salário no acompanha”.

“Compro gás e uso menos de dois meses, hoje está muito difícil. Não tenho micro-ondas e tudo que eu faço é no fogão”, afirmou a dona de casa.

Falta de gás leva ao fogão a lenha

Se a situação está difícil para quem ganha na faixa de um a dois salários mínimos, para quem anda desempregado o caso é pior ainda. Isso tem levado famílias das periferias ao fogão a lenha.  Este o caso da Germínia Pereira de Moraes, 54, moradora de Parelheiros, extremo Sul de São Paulo, que busca galhos velhos no quintal para fazer comida no fogão de lenha.

A desempregada contou ao jornal Folha de S. Paulo que precisa se abaixar para preparar o jantar de dez pessoas que vivem em sua casa. "Aqui é assim. Se chove, tem que tampar as panelas", diz dona Germínia.


Sessão solene dos Tecelões

Na manhã desta segunda-feira (11), o presidente da Câmara Municipal do Paulista, vereador Fábio Barros (PSB), reuniu parlamentares, entidades sindicais, representantes de movimentos sociais e trabalhadores na sessão solene em homenagem aos 76 anos do Sindicato dos Tecelões do Paulista, Abreu e Lima e Igarassu, que ocorreu no Cinesystem Paulista – sala Cinépic, no Paulista North Way Shopping, local onde funcionava a Companhia de Tecidos Paulista.

 

A sessão solene teve como objetivo reconhecer a importância da instituição, que passou a ser utilidade pública municipal, através de de proposição do vereador Fábio Barros e decreto assinado pelo prefeito Júnior Matuto (PSB).

 

A ocasião foi marcada por um curta documentário, onde dona Rosália Ferreira (89), que começou a trabalhar na Companhia de Tecidos do Paulista (C.T.P), aos 11 anos de idade, pôde contar toda história junto ao presidente do Sindicato dos Tecelões do Paulista, Abreu e Lima e Igarassu, José Mandú e o vice, Ivanildo Soares. Logo após a exibição, foi entregue a José Mandú, uma placa comemorativa, eternizando o momento, além de uma singela homenagem à dona Rosália Ferreira.

Fábio Barros, em sua fala, frisou a importância de todos conhecerem a história contada pelos trabalhadores, que foram a grande força na construção da cidade “A história do sindicato não pode ser contada apenas para os que fazem do espaço a oportunidade do debate político, precisa ser contada também para as gerações. Inclusive, poderemos fazer do espaço, o primeiro museu da cidade do Paulista, museu do trabalhador da tecelagem”.


Prefeito do Paulista Junior Matuto receberá nesta segunda-feira

Você é nosso convidado a participar da homenagem que o Prefeito do Paulista Junior Matuto receberá nesta segunda-feira, 11.12, às 18h, quando receberá a Medalha Comemorativa do Bicentenário da Revolução Pernambucana de 1817. A homenagem é uma proposição do Deputado Francismar Pontes, e acontecerá no Edificio Miguel Arraes de Alencar, na Rua da União, 397, Boa Vista. Está Comenda instituída para homenagear instituições e personalidades que contribuíram com o engradecimento, preservação e divulgação da cultura e da história pernambucanas.

Reunião solene em comemoração aos 18 anos da Secretaria Nacional das Mulheres do PSB

Gestão do Professor Lupércio sobe 31 posições no ranking da transparência

Dados foram divulgados pelo TCE

O acesso às informações acerca das contas públicas do município de Olinda está mais fácil. O reflexo disso é o salto significativo que o Portal da Transparência da cidade conquistou este ano. Em 2016, Olinda ocupava a posição 39 do Índice de Transparência das Prefeituras dos Municípios Pernambucanos. Hoje, sob a administração do prefeito Professor Lupércio, a cidade encontra-se na 8ª posição de um total de 182 cidades pernambucanas.


Compesa oferece espaço de atendimento exclusivo para condomínios da RMR

Escritório especializado fica na Rua dos Navegantes, em Boa Viagem, Zona Sul do Recife

A partir de agora os condomínios e administradoras da Região Metropolitana do Recife contam com atendimento exclusivo da Compesa. Já está em funcionamento, na Zona Sul do Recife, um espaço dedicado especialmente para o segmento, no endereço da Rua dos Navegantes, nº 1213, em Boa Viagem. Também foram disponibilizadas linhas telefônicas só para atender as necessidades desses clientes: 81 3071.5175 e 99321.9817 (whatsapp). A companhia aposta em diferenciais no atendimento dos condomínios que, hoje, representam 15% do faturamento da empresa. Para essa clientela, foi criado o programa “Água da Compesa – Soluções em Saneamento” que busca agregar valor ao abastecimento de água de qualidade e oferece vantagens como detecção de vazamentos nos apartamentos, limpeza de reservatórios, adequação de ramal e até o controle do consumo mensal por meio de contratos personalizados.

Cofres públicos comprometidos pelas pichações em Olinda

Os gastos para reparar os prejuízos causados pela pichação de equipamentos e prédios públicos, em Olinda, já consumiram mais de R$ 50 mil, apenas esse ano. A conta não é barata e retira dos cofres municipais um valor que poderia ser aplicado em áreas vitais, como a saúde, educação e infraestrutura. O levantamento, feito pela Secretaria de Serviços Públicos demonstra que, apesar da ampliação no trabalho de fiscalização, feito em toda a cidade, a solução também depende de uma mudança de comportamento das pessoas. E nesse caminho, a arte pode ser utilizada como alternativa ao vandalismo.

O cenário que entristece e desrespeita a lei pode ser encontrado em diversas áreas da cidade. No bairro de Águas Compridas, o muro do cemitério foi completamente riscado, em menos de 24 horas que a prefeitura havia realizado a pintura e requalificação. Tudo já teve que ser refeito quatro vezes. O mau exemplo também foi registrado no histórico Fortim de São Francisco, mais conhecido como Fortim do Queijo, no Carmo. Os pichadores deixaram a sua marca em toda a estrutura do monumento. Coube, mais uma vez, gastos relevantes que poderiam ser direcionados para outras finalidades.

A gestão deu início, desde o começo do ano, a um trabalho de sensibilização nas redes sociais com o propósito do combate a essa prática. Infelizmente, não é possível parar por aí. A Secretaria Municipal de Segurança Urbana, junto ao Estado, retomou o funcionamento de 38 câmeras de vídeomonitoramento, sendo 16 delas instaladas apenas no Sítio Histórico, onde a quantidade de casos também é alarmante. Nem mesmo os templos centenários escapam. É o que pode ser visto nas portas e janelas da Igreja de São Pedro, assim como a lateral do templo religioso, na Rua Sete de Setembro. “Estamos concluindo um levantamento dos pontos mais críticos e dos infratores já identificados. O material será remetido para a polícia, culminando na instauração de um inquérito”, explica o secretário da pasta, Cel. Pereira Neto. 

Segundo ele, mais 20 equipamentos devem chegar até o próximo semestre, além de uma nova central de observação na Guarda Municipal. A tecnologia é de ponta. “Quando as imagens mostram a ação dos vândalos, imediatamente uma guarnição é acionada e segue de posse das características do individuo. Ele é encaminhado para a delegacia, onde é feito o enquadramento”, reforça Neto, que assegura a necessidade do reforço. A pichação não se limita ao bem público e consegue ser ainda mais gritante no privado, tendo fachadas de residências e comércios sempre como alvo. Parecem fechar os olhos para uma infração prevista no Artigo 65 da Lei 9605/1998, conhecida como Lei de Crimes Ambientais. É passível de seis meses a um ano de prisão, além do pagamento de multa.

No pacote de prejuízos consideráveis também está a depredação, como quebra de bancos, muretas, gradis ou roubo de fiação. Conforme o secretário de Serviços Públicos, Evandro Avelar, são erros que não podem mais se repetir. “É preciso que as pessoas despertem essa consciência de que a cidade é de todos e precisamos preservá-la”, ressalta. Na Segunda Perimetral Norte, que também foi alvo de requalificação, o muro do aterro desativado também foi pichado. É o caso da Vila Olímpica, em Rio Doce, e da Unidade de Saúde da Família, em Peixinhos. A situação se repetiu nas placas de boas-vindas da Avenida Olinda e na fachada de escolas municipais, a exemplo dos bairros de Ouro Preto, Jardim Fragoso e Alto da Bondade. No conjunto residencial Cuca Legal, em Jardim Brasil, não foi diferente. 

Pichação é crime. Grafitagem é arte

Apesar de ambos se utilizarem de tintas, seja em latas ou spray, a grafitagem e sua expressão artística se mostra como uma excelente alternativa para a pichação. A medida vem sendo aplicada em Olinda, trazendo ótimos resultados. Além do embelezamento da cidade, acaba servindo para inibir a ação de quem apenas pensar em deixar um rastro de sujeira. Conforme o secretário de Turismo, Desenvolvimento Econômico e Tecnologia, João Luiz, os murais coloridos conseguem atrair os olhares da população, incluindo os visitantes.

No bairro de Peixinhos, o novo sanitário público, instalado no pátio da feira, já recebe uma intervenção artística. É assim também no muro da Escola Izabel Burity, em Rio Doce. De acordo com o grafiteiro, Carlos André Pereira, profissional da área há 15 anos, trata-se de uma mudança de conceitos. “Os painéis funcionam como uma galeria a céu aberto, contando histórias do cotidiano e transmitindo mensagens positivas”, disse.

----------


Professor Lupércio retoma cirurgias eletivas no Hospital Tricentenário


Suspensas desde a gestão passada, as cirurgias eletivas para a população estão sendo retomadas pelo prefeito de Olinda, Professor Lupércio. Os procedimentos voltam a ser executados numa parceria firmada entre a Secretaria de Saúde da cidade e o Hospital Tricentenário. A iniciativa estabelece, inicialmente, a realização de 50 cirurgias/mês de hérnia, vesícula e cirurgias vasculares (varizes).

Para selar a retomada e reinício das cirurgias, o prefeito e o secretário de Saúde, Eud Johnson Cordeiro, realizaram uma visita à unidade médica. O gestor conversou com o diretor do hospital, Gil Brasileiro, e percorreu as dependências como UTI, maternidade, enfermarias e alas que se encontram em processo de reforma.

Em seguida, o Professor Lupércio foi ao bloco cirúrgico e conversou com um dos médicos responsáveis pelas intervenções, Herbet Miranda, a equipe de enfermagem e demais funcionários. “Nas terças-feiras faremos as cirurgiasvasculares e nas quintas de hérnias e vesícula”, enfatizou o médico.  

Na oportunidade, o prefeito destacou a prioridade de reiniciar essas cirurgias e principalmente atender o povo olindense. “Estamos aqui para agradecer em nome da população e ver de perto a retomada dessas cirurgiasque estavam paralisadas há mais de um ano. Sabemos das dificuldades que os olindenses tiveram ao longo desse tempo, então, quero aqui agradecer o empenho e a parceria firmada entre a Secretaria de Saúde e o Tricentenário”, enfatizou.