Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

Muita música e programação pra criançada em destaque no fim de semana do Janeiro


“Reverbo”, que une no palco 16 amigos-músicos para celebrar a nova música pernambucana, é um dos pontos altos deste fim de semana no Janeiro. Artistas como Juliano Holanda, Isadora Melo, Jr. Black e Almério estarão em cena. Soltando a voz, o festival traz ainda shows de Geraldo Maia, Ciel Santos, Sheyla Costa, Adriano Salhab e o Afoxé Oxum Pandá, que lança o disco “Deusa da Beleza”. Pra criançada, tem Carol Levy – com recurso de libras e audiodescrição – e o clássico “O Mágico de Oz”. Teatro adulto vem com “A Ópera do Sol” e “Eu Gosto Mesmo do Pezinho de Galinha Porque eu Como a Carninha e Limpo o Dente com a Unhinha”. E mais duas sessões do imperdível “Kalashnikova”, espetáculo de dança da companhia suíça el contrabando. A programação paralela também vem recheada, confere abaixo!

>>> Sábado, 20 de janeiro:


DANÇA - INTERNACIONAL
Kalashnikova | Companhia el contrabando (Suíça)

17h e 21h, Teatro Barreto Júnior
R$ 30 e R$ 15 (meia). 1h05. 12 anos
A companhia suíça dedica-se ao flamenco experimental contemporâneo e investiga até que ponto esta forma de dança, marcada pelas tradições, pode ser colocada em novos contextos e posta em cena fora do seu caráter tradicional e obrigações estéticas.

O espetáculo - Não existe uma arma tão disseminada no mundo e com uma reputação tão lendária como a Kalashnikov, designação abreviada AK-47. É impossível deixar de imaginá-la fora dos acontecimentos violentos mundiais, agora que já passaram 70 anos da sua introdução nas forças armadas soviéticas, em 1947. Há muito tempo ela se tornou sinônimo de arma pequena, com a qual são mortas todos os anos centenas de milhares de pessoas. Assim, nas “pequenas guerras” travadas à sombra da bomba atômica, a Kalashnikov tornou-se uma arma de destruição maciça cumulativa. Com a guerra do Vietnã, a Kalashnikov também virou ícone da revolução mundial e dos movimentos de libertação nacionais. O ponto de partida da coreografia é o paralelo acústico entre o fogo totalmente automático e o batimento de pés da dança flamenco. As energias de criminosos e vítimas, da violência e vulnerabilidade são examinadas numa interação de pontos de contato temáticos e corporais reativos. Independentemente da ideologia que leva a disparar: os tiros esburacam o silêncio de forma brutal, o espaço da alma, o princípio de viver e deixar viver, o sentimento de segurança. Os batimentos de pés exigem vontade e robustez ao corpo dançante. O corpo obriga-se a estas séries de batimentos. Ele luta por elas e através delas. Trabalho de pés como luta contra o solo, o corpo, a acústica do espaço, contra o exterior e o interior. Os sapatos de dança como armas das bailarinas. O corpo torna-se criminoso e vítima de si próprio. Criminoso e vítima numa só pessoa, num corpo, umas vezes robusto e blindado, outras frágil e vulnerável. Os batimentos de pés tipo salva são ao mesmo tempo fascinantes e ensurdecedores e encontram a sua ressonância e receção nos corpos que os produzem. A arma, uma construção para a destruição. Uma reminiscência da guitarra enquanto instrumento central do flamenco é constituída pela canção "Hey Gipsy Boy", de Jimi Hendrix – que, durante a guerra do Vietnã, combateu as armas de guerra na sua música. Direção e coreografia: Anet Fröhlicher. Elenco: Jojo Hammer, Elisabeth Keuck, Vera Koeppern, Henna-Elise Selkälä. Trilha sonora: Jimi Hendrix e Robert Schumann. 

TEATRO ADULTO
Eu Gosto Mesmo do Pezinho de Galinha Porque Eu Como a Carninha e Limpo o Dente com a Unhinha | Alô Produções (Recife)

18h, Teatro Marco Camarotti
R$ 30 e R$ 15 (meia). 1h. 16 anos

Um pastor performático, uma prostituta bem-sucedida, um homossexual politicamente engajado, um marido fugitivo. Neste experimento cênico, os atores se revezam em seis personagens que contam histórias cruas de realidades escondidas por cidades grandes higienistas, passando pelo ponto de prostituição, igreja evangélica, presídio e subúrbio. Direção: Eric Valença. Elenco: Eric Valença e Nínive Caldas.

TEATRO ADULTO
A Ópera do Sol
 | Galharufas Produções (Olinda)
20h, Teatro Apolo
R$ 40 e R$ 20 (meia). 1h40. 14 anos

Escrito em mais de 18 gêneros ou modalidades da cantoria de viola, o texto publicado em livro há quase 20 anos prevê a condenação dos poderosos que tentaram ludibriar São José e a população pobre de agricultores do Sertão pernambucano. A temática dessa ópera-repente envereda por assuntos irresolvíveis e que deixa esse Brasil bem fraturado: concentração latifundiária, violência e injustiças sociais. Elenco: Beto Nery, Douglas Duan, Hermínia Mendes, Célia Regina Rodrigues, Katyucia, Miguel Taveira, Thalita Gadêlha, Eduardo Japiassú, Angelis Nardeli Tiago Britto. Texto: Adriano Marcena. Direção: Carlos Carvalho.

MÚSICA
Reverbo | Atos Produções Artísticas (Recife)
20h, Teatro de Santa Isabel
R$ 40 e R$ 20 (meia). 1h40. 14 anos
Reverbo. Não é movimento, é movimentação. Afinação e afirmação de uma ideia. Música-artesanato feita por amigos-músicos para celebrar a nova música produzida em Pernambuco. Tudo autoral. A poesia dos encontros. Uma varanda no palco. Unidos por um elo chamado canção. O repertório vai contar com um pouco de cada um dos músicos em cena. Além das apresentações solo, o show é pautado pelo encontro de vozes, uma performance coletiva. Cantores: Almério, Juliano Holanda, PC Silva, Marcello Rangel, Vinicius Barros, Isadora Melo, Flaira Ferro, Isabela Moraes, Gabi da Pele Preta, Vertin Moura, Alexandre Revoredo, Agda Moura, Tonfil, Helton Moura, Mayra Clara, Jr. Black. Direção musical: Juliano Holanda.

MÚSICA
Sheyla Costa (Recife)

20h, Teatro Arraial Ariano Suassuna
R$ 40 e R$ 20 (meia). 1h20. Livre

Sheyla Costa, cantora e compositora franco-brasileira, apresenta canções com as influências múltiplas de todo seu percurso artístico e pessoal. Nas 12 faixas autorais criadas para Do Lado Azul, seu terceiro álbum, estão impressas experimentações rítmicas da cantora que conjuga a força e expressividade de sua presença no palco - onde o feminino e o masculino coexistem harmonicamente - com uma voz doce e delicada que emana positividade. Suas músicas revelam uma natureza rock com sonoridades eletrônicas que remete a artistas como o saudoso Chico Science. Direção musical: Guilherme Eira. Voz, violão e pequena percussão: Sheyla Costa. Violão: Guilherme Eira.

Programação Paralela:

SARAU DAS ARTES17h40, Centro Cultural Correios
Entrada franca. Informações: 97904.7906 e 98897.1513
Teatro, poesia, música, dança, leituras dramatizadas, circo, performance, cinema. Nas noites de sábado, as mais variadas formas de arte vão se encontrar nos sábados do Janeiro de Grandes Espetáculos.


TEATRO ADULTO
Senhora na Boca do Lixo | Concluintes do curso profissionalizante da Escola de Teatro Fiandeiros (Recife)

18h, Espaço Fiandeiros
Gratuito. 1h10. 16 anos
Segunda sessão: dia 21, 18h

Escrita em 1963, a peça retrata a decadência da classe rica paulistana como metáfora da realidade social do Brasil naquela época, reverberando no panorama político e existencial da inquietante atualidade em que estamos mergulhados. Uma dramaturgia reflexiva, provocadora e instigante. Autor: Jorge Andrade. Encenação: Roberto Lúcio. Elenco: Airton Oliveira, Álcio Lins, Bianca Suely, DihRôh, Eduardo Godoy, Ewerton Oliveira, Fernanda Spíndola, Gabriel Thacio, Gabriela Fernanda, Kléber Félix, Laís Queiroz, Luciana Tognon, Milton Raulino, Rafael Braga, Tarcísio Andrade, Humberto, Valmir Leite e Zé Lucas.     


TEATRO ADULTO

A Receita | O Poste Soluções Luminosas (Recife)20h, Espaço O Poste
R$ 20 e R$ 10 (meia). 50 minutos. 16 anos

A tragicomédia revela a condição oprimida de uma mulher casada e mãe, que passa a maior parte do tempo na cozinha, em meio a sal, alho, coentro e cebolinha. Tudo para servir bem seu homem. Suas ilusões não cabem numa panela. Ela se vê numa situação-limite, sob o fio aguçado de uma faca de dois gumes. Autor: Samuel Santos. Elenco: Naná Sodré.


TEATRO ADULTO
Pequenos Grandes Trabalhos | Alunos do curso Dramaturgia do Ator da Cênicas Cia. de Repertório (Recife)
20h, Espaço Cênicas
R$ 30 e R$ 15 (meia). 1h20. 14 anos
Segunda sessão: dia 21, às 18h

Cenas curtas, a partir de textos de escritores brasileiros, como Nelson Rodrigues, Marcelino Freire e Caio Fernando Abreu, construídas com os alunos do curso Dramaturgia do Ator, da Cênicas Cia. de Repertório, no processo de aprendizagem. Encenação: Antônio Rodrigues. Elenco: Aline Santos, Bruna Barros, Carolina Rolim, Cristiano Primo, Elielson Fellype da Silva Soares, Fabiane Santos, Flávio Moraes, Hygor Callas, Jamerson Lima, Jandson Miranda, Marcionilo Pedrosa, Marcos Zé, Maria Eduarda Pepe, Mariana Brandão, Nara Esteves, Paula Ferreira Mendes, Raphael Mota, Ricardo Andrade, Roberto Sterenberg, Rodrigo Porto Cavalcanti, Sissi Loreto, Tábatta Martins, Waggner Lima. Participação especial: Douglas Duan.


Paulista: Teatro Paulo Freire. Ingressos: R$ 2 e R$ 1 (meia)

16h, Do Vestido ao Nariz
20h, Mucurana, O Peixe


>>> Domingo, 21 de janeiro:

TEATRO INFÂNCIA E JUVENTUDE

O Mágico de Oz | Companhia do Sol (Recife)10h, Teatro Boa Vista
R$ 30 e R$ 15 (meia). 55 minutos. Livre

A moderna montagem é criada a partir do famoso filme de 1939. Na história, Dorothy é levada por um furacão a uma terra mágica e conta com a ajuda de três amigos. A superprodução teatral utiliza um rico conjunto de cenários, figurinos e adereços para apresentar um espetáculo dinâmico, musical, tecnológico e pleno de humor e sensibilidade. Direção artística geral: Lano de Lins. Elenco: Anitson Monique, Ibson Quirino, Geovane Souza, Hemerson Moura, Joelma Alves, Lano de Lins, Karine Ordônio, Ibson Silver, Augusto Neves, Marília Santana.


TEATRO INFÂNCIA E JUVENTUDE – COM AUDIODESCRIÇÃO E LIBRAS
Carol Levy | Onomatopéia Idéias Sonoras (Recife)
17h, Teatro de Santa Isabel
R$ 50 e R$ 25 (meia). 1h10. Livre

Cantora e contadora de histórias, Carol Levy leva aos palcos o projeto “Conto de Casa”, inicialmente concebido para o canal do Youtube da artista pernambucana. No show interativo, as crianças participam com Carol durante toda a apresentação, que traz desde músicas e histórias a peripécias na cozinha. Tudo pensado e desenvolvido para divertir a meninada com as coisas simples, que todos temos em casa. Direção geral: Carlinhos Borges e Carol Levy. Direção artística: Luciano Pontes. Texto, cantora e contadora de histórias: Carol Levy.


MÚSICA
Ciel Santos (Recife)18h, Teatro Apolo
R$ 40 e R$ 20 (meia). 1h. 16 anos

Mulher? Homem? Veado? Sapatão? Humanos. Somos humanos. Germinamos todos os dias para o novo, criamos raízes, reconstruímos e desconstruímos nosso ser. Enraizado traz um repertório autoral, através de músicas que se mesclam com textos em uma narrativa dramático-musical. Aborda temas importantes para Ciel Santos: sua vida no interior, dificuldades enfrentadas pela androgenia da sua voz, fé, prazeres e intercâmbios artísticos. Ciel experimenta uma gama de nuances e texturas na voz, com apoio na dança e em movimentos corporais presentes na pluralidade da cultura popular. Direção musical: Mauricio Cezar. Músicos: Mauricio Cezar (teclados), Del Lima (baixo), Silva Barros (bateria), George Rocha (percussão).


MÚSICA
Geraldo Maia (Recife)18h, Teatro Arraial Ariano Suassuna
R$ 40 e R$ 20 (meia). 1h10. Livre

Nesta apresentação intimista de voz e violão, Geraldo Maia transita entre canções portuguesas que fazem parte de suas raízes lusitanas e clássicos do cancioneiro nordestino. Raízes é um show inteiramente acústico, no qual o cantor não faz uso de microfone ou qualquer outro recurso tecnológico. Concepção, direção geral, roteiro e repertório: Geraldo Maia.


DANÇA
Caminhos (Recife)19h, Teatro Hermilo Borba Filho
R$ 40 e R$ 20 (meia). 42 minutos. Livre

A alegria, a dor, a fantasia e a realidade contidas na brincadeira do cavalo-marinho são apresentadas no espetáculo solo de Fábio Soares. O artista pretende discutir os caminhos e escolhas para buscar a sobrevivência dessa e de outras brincadeiras. Concepção, direção e atuação: Fábio Soares.


MÚSICA
Afoxé Oxum Pandá | Paó Produção & Comunicação e Afoxé Oxum Pandá (Recife)19h, Teatro Luiz Mendonça
R$ 5. 1h20. Livre

Comemorando 23 anos, o Afoxé Oxum Pandá traz a energia das divindades do Orun, sob as bênçãos do babalorixá Genivaldo Barbosa, para o show de lançamento do CD “Deusa da Beleza”. A apresentação homenageia a deusa Oxum, que representa tudo que há de belo e rico, espalhando seu axé no toque dos atabaques, no repicar dos agogôs, na virada dos agbês e na força das vozes do povo de amarelo e branco.


MÚSICA
Adriano Salhab | Três de Copas Produções Artísticas (São Paulo)19h, Teatro Barreto Júnior
R$ 30 e R$ 15 (meia). 1h30. Livre

O pernambucano Adriano Salhab apresenta canções do álbum Amor Grave, que marca sua estreia como compositor e intérprete. É uma tradução criativa e bem-humorada dos conflitos presentes na existência urbana e tem inspiração em seus anos de vida em São Paulo. Em tempos de intolerância e fobia, convida à reflexão. Baixo, viola, guitarra e voz: Adriano Salhab. Bateria: Julio Epifany. Guitarra e voz: Fernando Rischbieter. Teclado e voz: Giuliano Ferrari.


Programação Paralela:


TEATRO ADULTO
Ombela | O Poste Soluções Luminosas (Recife)
18h, Espaço O Poste
R$ 20 e R$ 10 (meia). Musical. 1h. 18 anos

Após cair, ombela resolve deixar duas gotas – que viram duas entidades personificadas em chuva - ganhando corpo e voz. A cada gota que cai, nascem ou morrem coisas, gente e sentimentos. Vemos as ombelas tomarem formas variadas, absorvidas pelo processo de humanização pelo qual passam. Ombela representa arquétipos do universo feminino; é a síntese poética da chuva que reorienta a transfiguração dos sentidos da vida transformados na beleza da mulher. Autoria: Manuel Rui. Encenação: Samuel Santos. Elenco: Agrinez Melo e Naná Sodré.


TEATRO ADULTO
Senhora na Boca do Lixo | Concluintes do curso profissionalizante da Escola de Teatro Fiandeiros (Recife)18h, Espaço Fiandeiros
Gratuito. 1h10. 16 anos

Escrita em 1963, a peça retrata a decadência da classe rica paulistana como metáfora da realidade social do Brasil naquela época, reverberando no panorama político e existencial da inquietante atualidade em que estamos mergulhados. Uma dramaturgia reflexiva, provocadora e instigante. Autor: Jorge Andrade. Encenação: Roberto Lúcio. Elenco: Airton Oliveira, Álcio Lins, Bianca Suely, DihRôh, Eduardo Godoy, Ewerton Oliveira, Fernanda Spíndola, Gabriel Thacio, Gabriela Fernanda, Kléber Félix, Laís Queiroz, Luciana Tognon, Milton Raulino, Rafael Braga, Tarcísio Andrade, Humberto, Valmir Leite e Zé Lucas.     


TEATRO ADULTO
Pequenos Grandes Trabalhos | Alunos do curso Dramaturgia do Ator da Cênicas Cia. de Repertório (Recife)

18h, Espaço Cênicas
R$ 30 e R$ 15 (meia). 1h20. 14 anos

Cenas curtas, a partir de textos de escritores brasileiros, como Nelson Rodrigues, Marcelino Freire e Caio Fernando Abreu, construídas com os alunos do curso Dramaturgia do Ator, da Cênicas Cia. de Repertório, no processo de aprendizagem. Encenação: Antônio Rodrigues. Elenco: Aline Santos, Bruna Barros, Carolina Rolim, Cristiano Primo, Elielson Fellype da Silva Soares, Fabiane Santos, Flávio Moraes, Hygor Callas, Jamerson Lima, Jandson Miranda, Marcionilo Pedrosa, Marcos Zé, Maria Eduarda Pepe, Mariana Brandão, Nara Esteves, Paula Ferreira Mendes, Raphael Mota, Ricardo Andrade, Roberto Sterenberg, Rodrigo Porto Cavalcanti, Sissi Loreto, Tábatta Martins, Waggner Lima. Participação especial: Douglas Duan.


Paulista: Teatro Paulo Freire. Ingressos: R$ 2 e R$ 1 (meia)
16h, Doralice


Ingressos:
Programação oficial: à venda no www.compreingressos.com/janeirodegrandesespetaculos e na Central de Ingressos no Teatro de Santa Isabel (de terça a domingo, das 9h às 16h).
Programação paralela: à venda ou distribuído uma hora antes do espetáculo no próprio local.


+Fotos: 
http://bit.ly/jgespetaculos 
+ Programação completa em www.janeirodegrandesespetaculos.com  

0 comentários:

Postar um comentário

Comentários ofensivos não serão publicados.