Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

QUANDO A UNHA CAI É MICOSE?

Imagem meramente ilustrativa: Divulgação internet

*Francisco Assis Ferreira da Silva

Ao longo desses dez anos trabalhando com Podologia, e buscando sempre aperfeiçoamento na área, verifico que para diagnosticar as causas destas alterações onde a lamina cai, ou descola-se, é preciso iniciar um tratamento adequado, e é necessário fazer uma avaliação criteriosa começando pela anaminese do cliente, aliado ao conhecimento adquirido através de estudos e pesquisas, junto a classe medica. A observação de vários casos e estudos publicados, onde podemos constatar grandes avanços.

As unhas possuem como função principal proteger as extremidades dos dedos e seus tecidos, além de nos auxiliar a pegar e manipular objetos. Além disso, refletem nosso estado de saúde, já que muitas doenças podem ser diagnosticadas por meio de modificações em seu aspecto.

É muito comum ouvirmos falar sobre casos de micoses e unhas encravadas, entretanto, mais comum do que imaginamos, são os casos de perda total da unha por infecção fungosa ou traumas e lesões. Nessas horas, as dúvidas de como agir em relação à unha que está prestes a cair são muitas. “A retirada total da unha deve acontecer quando ela fica pendurada por um ponto ou, então, a critério do Podologo”

Além das infecções fungosas, conhecidas como onicomicose, que por meio da ação de fungos pode levar ao descolamento da unha, e dos traumas e lesões que podem acometer as unhas, o uso de sapatos apertados também pode prejudicá-las. “Unhas grandes podem bater no sapato repetidamente, formando uma lesão a longo prazo”,

Destacamos também que o problema pode acontecer por uma infecção bacteriana aguda, com inchaço do dedo e formação de pus ou uma infecção mais arrastada, causada por fungos.

Há ainda causas mais raras, como o uso de alguns medicamentos e após doenças muito graves, com internação e necessidade de tratamentos intensivos.

Nesse último caso isso ocorre porque a formação de unha pelo organismo não é uma prioridade: há uma parada na fabricação com posterior retomada. Isso deixa a adesão da unha mais frouxa e ela pode cair. Isso também pode ocorrer espontaneamente, sem nenhuma causa aparente. ((Andrei Nonino, dermatologista, Sua Saúde - Folha de Londrina)

Em nossa Loja, quando o paciente chega com a unha prestes a cair, nós preservamos a parte colada e retiramos a parte solta, para tentar manter o que ainda está aderido, pois funciona como uma espécie de curativo. Nunca tentar arrancar uma unha sozinho: isso pode levar a deformidades futuras.

 A região deve ser tratada com antissépticos em forma de sabonete e, caso haja sangramento, infecção ou hematoma, é importante usar um curativo e procurar respeitar o acompanhamento Podológico para examinar o local.

Alguns médicos Dermatologistas alertam para a necessidade