Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

Mulheres do Paulista participam de aulas de defesa pessoal


Com o objetivo de elevar a autoestima e a confiança da mulher, sobretudo para o enfrentamento da violência e do assédio, a Secretaria Executiva de Políticas para as Mulheres do Paulista deu início, neste sábado (03.03) a uma série de aulas de defesa pessoal para mulheres. A iniciativa é uma parceria entre o órgão e o Grupo Ser Educacional, para oferecer as aulas de forma gratuita ao público feminino.  A primeira atividade foi realizada na Cooperativa Unipet Mulher, localizada na Rua Nossa Senhora de Fátima, no bairro do Fragoso.
Dentre as participantes, estava a moradora do bairro, Simone de Holanda, de 50 anos, que ressaltou a importância de a mulher saber se defender. “Eu ando sempre de ônibus e metrô, e às vezes a gente encontra pessoas que querem se aproveitar. Algumas vezes a gente sabe que acontece de o coletivo estar apertado e que a gente vê que não se teve a intenção, mas algumas vezes a gente percebe certa malícia em alguns homens. Então, a gente saber se defender, contanto que não machuque, mas que eles percebam que a gente sabe se defender, eles nem chegam junto”, disse.
Além dessa aula, também haverão outras duas atividades como essa, sempre aos sábados. Para participar, o público feminino pode se dirigir ao local das aulas. É possível também fazer uma pré-inscrição por meio do telefone: 99912.0337. De acordo com a organização, não há critério de idade e nem de número de participantes.
O professor Eudes Japa estava na primeira aula, e explicou que é importante a mulher conhecer algumas técnicas, não para revidar agressão, mas sim, para poder se sair de algumas situações e até mesmo demonstrar sua força diante de agressões e assédios, já que muitas vezes há receio e medo em reagir.
“O que estamos passando aqui são técnicas simples, desenvolvidas exclusivamente para a mulher, que supostamente seria o sexo frágil, mas não é, pois ela é forte e tem o seu poder. Com isso, estamos só direcionando algumas técnicas que tiramos do jiu-jitsu brasileiro, e fazendo com que a gente possa potencializar e ela tenha uma saída num momento desesperador”, ressaltou Japa.

Para a secretária de Políticas para as Mulheres, Bianca Pinho Alves, o objetivo maior é o empoderamento feminino, seja na questão econômica, no conhecimento, e até mesmo no enfrentamento à violência contra as mulheres. “Essa aqui é mais uma oportunidade de desenvolver a autoestima, de desenvolver a confiança, a segurança, e também de ter a oportunidade de reagir no momento de assédio. Porque às vezes, a surpresa dessa reação dá a oportunidade da fuga ou de buscar o socorro”, concluiu a secretária.

0 comentários:

Postar um comentário

Comentários ofensivos não serão publicados.