Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

PCR alia tecnologia e inovação para combater doenças transmitidas por mosquitos

O prefeito Geraldo Julio fez o lançamento do aplicativo desenvolvido pela Emprel que vai mapear focos dos mosquitos Aedes aegypti e Culex quinquenfaciatus e e Agentes de Saúde Ambiental vão usar smartphones para identificar criadouros (Foto: Andréa Rêgo Barros/PCR)

Focada em desenvolver mecanismos para a luta contra a proliferação dos mosquitos Aedes aegypti e Culex quinquenfaciatus ,conhecido popularmente como muriçoca, a Prefeitura do Recife lançou nesta quinta-feira (21) o aplicativo Saúde Ambiental Digital para mapear os focos dos insetos, que são transmissores de doenças. A ferramenta foi desenvolvida pela Empresa Municipal de Informática (Emprel) e o prefeito Geraldo Julio fez o lançamento e destacou o trabalho de inteligência e inovação empregados pela gestão para acompanhar os casos e minimizar os riscos.
Neste primeiro momento, 60 Agentes de Saúde Ambiental e Controle de Endemias (Asaces) receberam smartphones e já começaram o monitoramento nas casas do Distrito Sanitário VI, que abrange os bairros de Boa Viagem, Brasília Teimosa, Imbiribeira, Ipsep e Pina. Segundo o prefeito, até o fim do ano todos os 600 agentes de saúde ambiental do Recife estarão com os aparelhos em mãos e vão percorrer os demais distritos bairros da cidade.
"O uso do smartphone vai permitir que a gente tenha acesso a mapas, dados e tabelas. Tudo vai ser registrado online, com localização georreferenciada do lugar onde foi encontrado o foco do mosquito. Todo esse histórico vai tornar o trabalho muito mais eficiente. Já conseguimos uma grande redução da população do mosquito na nossa cidade, mas o uso da tecnologia e da inovação no aplicativo, desenvolvido pela própria Prefeitura, vai permitir que esse trabalho seja ainda mais eficiente", disse o prefeito, durante o lançamento do aplicativo, na Unidade de Saúde da Famíila Bernard Van Leer, em Brasília Teimosa, Zona Sul do Recife. "Vamos fazer primeiro esse projeto piloto, com os 60 agentes, testar os smartphones e, em seguida, vamos estender para todos os outros bairros e, tenho certeza que com isso vamos fazer com que a população tenha mais saúde", acrescentou.
A ferramenta vai dar mais agilidade ao trabalho dos agentes e qualidade na coleta de dados, transmissão, consolidação, identificação automática e mais ágil da presença de focos dos mosquitos na cidade. Dessa maneira, a ferramenta adotada contribui para o desenvolvimento de ações de prevenção e promoção da saúde e, consequentemente, a tendência é gerar uma redução dos casos de arboviroses. O secretário de Saúde, Jaílson Correia, explica que o aplicativo vai registrar o roteiro dos agentes no dia-a-dia. "Com isso, nós vamos poder utilizar os relatórios e informações para que possamos utilizar em nível central e em cada distrito para tomarmos as decisões. Isso vai nos ajudar a acelerar focos de mosquitos e agirmos mais rapidamente", contou.

0 comentários:

Postar um comentário

Comentários ofensivos não serão publicados.