Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

Festival Nacional do Frevo chega à sua grande final; Portal recifeolinda.com

Concurso musical realizado pela Prefeitura do Recife, por meio da Secretaria de Cultura e da Fundação de Cultura Cidade do Recife, com objetivo de assegurar renovação e fôlego ao gênero musical que é um dos principais pilares da cultura pernambucana, o Festival Nacional do Frevo chega ao fim nesta sexta-feira (13).
A grande celebração à cultura pernambucana e a um de seus maiores símbolos começa às 19h, no Teatro de Santa Isabel. O evento será gratuito e aberto ao público. Para retirar o ingresso na bilheteria do teatro e entrar na torcida, basta chegar uma hora antes do início da apresentação.
Os candidatos irão se apresentar acompanhados de coral feminino e da orquestra regida pelo consagrado maestro Edson Rodrigues, com exceção dos finalistas da categoria Frevo Livre Instrumental - Autoral, que se apresentarão com formação e músicos próprios, conforme previsto em edital.
Entre as exibições de uma categoria e outra, a plateia será premiada também com a execução de frevos clássicos, que já ganharam as ruas e os corações recifenses há décadas. Ao final das apresentações dos candidatos, antes do anúncio do resultado final, tem mais atração: o Balé Popular do Recife fará uma breve apresentação de frevo, celebrando também o frevo dança, derivado dos golpes da capoeira, mistura de luta e alegria.
Votação - Quem não puder comparecer, não vai perder nem um detalhe do evento. A final terá transmissão em tempo real no perfil da Prefeitura do Recife no Facebook, para ninguém ficar de fora.
Além de torcer, o público pode participar da seleção dos vencedores. Antes e até durante a final, internautas de todo o país poderão conhecer cada uma das 12 músicas finalistas e votar nas suas preferidas. Tudo isso no site do concurso: http://festivalnacionaldofrevo.recife.pe.gov.br. O voto popular irá compor a pontuação final de cada candidato.
Finalistas – Revelando uma heterogênea, mas fiel amostra da produção de frevo pernambucana atual, o Festival Nacional do Frevo, realizado pela Prefeitura do Recife, por meio da Secretaria de Cultura e da Fundação de Cultura Cidade do Recife, atraiu desde renomados compositores, como o maestro Duda, até talentos ainda desconhecidos, a maioria jovens músicos, com muito a contribuir para a cultura pernambucana.
Ao todo, foram contabilizadas 274 inscrições. As categorias que tiveram mais inscritos foram Frevo Canção, com 121 músicas, e Frevo de Rua, com 66.
Na noite desta sexta-feira, irão se apresentar 12 finalistas de quatro categorias: Frevo de Bloco, Frevo de Rua, Frevo Canção e Frevo Livre Instrumental – Autoral. Os seguintes candidatos foram selecionados em três eliminatórias, nos dias 11 e 18 de maio e no dia 3 de julho, nas duas unidades do Compaz e no Paço do Frevo: 

Categoria Frevo de BlocoTempo de Saudade, de Luiz Guimarães
Matando Saudade, de Luiz Gonzaga de Castro
No Primeiro Dia do Nosso Amor, de Lourenço Gato e Flávio Souza

Categoria Frevo de Rua
Adriana no Frevo e Cia., de Parrô Mello
Sapecando, de Marcos FM
Alvoroçado, de Bené Sena

Categoria Frevo Canção
Sabor de Rum Hortelã Café, de Edinho Queirós
Frevo Bregado, de Carlos de Melo Brasil
Claudionor, o Menino do Frevo, de Bráulio de Castro e João Araújo

Categoria Frevo Livre Instrumental - Autoral
Tubarão no Circo, de Zé Freire
Frevo da Amizade, de Ronaldo Batata
Primeiro de Maio, de Romero Bomfim

Premiação - Para fomentar a cadeia produtiva do frevo, o Festival Nacional do Frevo irá assegurar material de trabalho e palco para os vencedores. Os primeiros colocados nas quatro categorias participarão da grade de programação do Festival de Inverno de Garanhuns 2018 e do Carnaval do Recife 2019 e ganharão ainda uma gravação audiovisual (15 horas em estúdio) da música que defenderam.
Os segundo e terceiro lugares também participarão da grade do próximo Carnaval do Recife, sendo que o segundo colocado ganhará também uma gravação master da sua música vencedora (10 horas de estúdio). Haverá premiação ainda para o melhor arranjo e o melhor intérprete do concurso, que serão contemplados com a gravação de uma música.
Saiba mais sobre os compositores dos 12 frevos que serão apresentados na final do Festival Nacional do Frevo, no próximo dia 13 de julho, no Teatro de Santa Isabel.

CATEGORIA FREVO DE BLOCO
Tempo de Saudade – Composição e Arranjo: Luiz Guimarães

Médico, compositor, escritor e poeta, Luiz Guimarães já participou de inúmeros festivais. Como produtor cultural, já divulgou mais de 80 CDs, muitos deles dedicados ao frevo pernambucano, com artistas como Capiba, Getulio Cavalcanti, Coral Edgard Moraes, Jota Michiles, entre outros. Ocupa a Cadeira nº 17 da Academia Pernambucana de Música, sucedendo Luiz Bandeira, cujo Patrono é Luiz Gonzaga.

Matando Saudade – Composição: Luiz Gonzaga de Castro (Arranjo de Bozó 7 Cordas)

Luiz Gonzaga de Castro é professor universitário, mas prefere se creditado como folião pernambucano. Foi membro do Centro da Música Carnavalesca de Pernambuco. Possui treze frevos gravados, de rua ede bloco. Já foi premiado no Concurso de Música Carnavalesca de Pernambuco. Ardoroso defensor do frevo, é um dos fundadores e diretores da Orquestra Paranampuká, que prestigia compositores pouco executados nas ruas do Recife e Olinda. Compôs Matando Saudade há muitos anos, quando residia em São Paulo

No Primeiro Dia do Nosso Amor – Composição: Lourenço Gato e Flávio Souza (Arranjo de Fábio Valois)

Cantor e compositor pernambucano, Lourenço Gato tem músicas gravadas por grandes artistas como Claudionor Germano, Alceu Valença, Banda de Pau e Corda, Quinteto Violado entre outros. Já participoude diversos concursos musicais e, entre os troféus que conquistou está o primeiro lugar do Abraça Brasil com a música Estrela de Salú.  Sua música mais conhecida pelo grande público é O tarado da Sé, que compôs em parceria com Luciano Padilha e João Sales. Já Flávio de Souza é compositor e cantor pernambucano, com vários prêmios em festivais de música, como o Abraça Brasil, em que se classificou emprimeiro lugar no ano de 2014. Flávio também compõe trilhas sonoras para programas de televisão.

CATEGORIA FREVO DE RUA
Adriana no Frevo e Cia. - Composição e Arranjo: Parrô Mello

Saxofonista, clarinetista, arranjador, compositor e produtor, graduado em Música pela UFPE e Pós Graduado pela UNINTE, o maestro Parrô Mello já foi finalista de vários festivais de música de Pernambuco, defendendo canções como Coroação e Nação Elefante. Além disso, produz e toca com vários artistas, como DJ Dolores e Ylana Queiroga. O frevo que defenderá foi composto há oito anos, em homenagem a Adriana do Frevo e sua Companhia: Brasil por Dança.

Sapecando - Composição e Arranjo: Marcos FM

Marcos FM é professor do Conservatório Pernambucano de Música e do Centro de Educação Musical de Olinda, leciona contrabaixo elétrico, arranjo, entre outras disciplinas. Marcos é também o maestro da Banda Sinfônica do Conservatório. Formado em Licenciatura em Música pela UFPE, lidera a Orquestra Quebramar e já foi premiado como o melhor arranjador no concurso de música carnavalesca pernambucana em 2007. É autor do livro Arranjando o Frevo de Rua e está escrevendo, junto a Climério de Oliveira, o segundo livro: Batuque Book de Frevo, que conta a história do ritmo.

Alvoroçado - Composição e Arranjo: Bené Sena

Bené Sena é guitarrista, compositor, arranjador e professor. Trabalhou com diversos artistas, como Alcymar Monteiro, André Rio, Roberto Menescal, Spok, Morais Moreira, Elba Ramalho, Biafra, Cristina Amaral, entre outros. Como arranjador, fez seu primeiro trabalho no CD Bloco Troças e Foliões, de André Rio. Também trabalha como professor na Escola Técnica Estadual de Criatividade. Possui cerca de30 composições nos gêneros frevo, choro e baião. Já foi vencedor de outros concursos de música carnavalesca.

CATEGORIA FREVO CANÇÃO

Sabor de Rum Hortelã Café - Composição e Arranjo: Edinho Queirós (Arranjo de Fábio Valois)

Cantor, compositor, violonista, arranjador e produtor, iniciou sua carreira em Macau. Canta desde os 12 anos e dedicou boa parte de sua carreira à defesa do frevo, gênero pelo qual nutre especial carinho desde quando ouvia, ainda criança de colo, seu pai cantarolar frevos de Nelson Ferreira e Capiba. De lá para cá, adquiriu uma vasta e eclética experiência musical, tanto no Brasil como na Itália, país em que morou por 10 anos, com vários discos lançados. 

Frevo Bregado - Composição: Carlos de Melo Brasil (Arranjo de Marcos FM)