Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

Serviços de apoio à mulher vítima de violência podem ser encontrados em Paulista

Sancionada em 07 de agosto de 2006, a Lei Maria da Penha completou 12 anos, nesta última terça-feira (07.08). Em meio a vários crimes cometidos contra as mulheres, a legislação desempenha um papel importante para a proteção dos direitos femininos, ao endurecer a punição por qualquer tipo de agressão no ambiente doméstico e familiar.


De acordo com o Ministério dos Direitos Humanos (MDH), que administra a Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência, o Ligue 180, foram registradas no primeiro semestre deste ano quase 73 mil denúncias. O resultado é bem maior do que o registrado em 2006 (12 mil), primeiro ano de funcionamento da Central.
As principais agressões denunciadas são cárcere privado, violência física, psicológica, obstétrica, sexual, moral, patrimonial, tráfico de pessoas, homicídio e assédio no esporte. As denúncias também podem ser registradas pessoalmente nas delegacias especializadas em crime contra a mulher.
Através da Lei Maria da Penha, o Código Penal passou a prever estes tipos de agressão como crimes, que geralmente antecedem agressões fatais. O código também estabelece que os agressores sejam presos em flagrante ou tenham prisão preventiva decretada se ameaçarem a integridade física da mulher.
Em Paulista, as mulheres vítimas de violência doméstica e familiar podem procurar ajuda no Centro Especializado de Atendimento à Mulher (CEAM). A unidade conta com uma equipe multidisciplinar que oferece apoio psicológico, jurídico e assistência social, e funciona na Rua Santa Tereza, número 384, no bairro da Aurora. Além dos serviços oferecidos pela gestão municipal, elas também devem se dirigir à Delegacia da Mulher, que fica no Complexo de Segurança Pública, no Centro da cidade.

Fonte: Agência Brasil
Foto: Empresa Brasileira de Comunicação (EBC)

0 comentários:

Postar um comentário

Comentários ofensivos não serão publicados.