Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

Uso de medicamento sem prescrição é um perigo disfarçado de resultados


Visto como uma solução rápida, a automedicação pode se tornar um grande perigo para saúde. Ir até uma farmácia pedir por remédios que não precisam de receitas, ou até mesmo pegar aquele comprimido na gaveta de casa, pode custa muito mais que o tempo que seria necessário para procurar um médico.

O número um responsável por quase metade da medicação sem prescrição médica é a “dor de cabeça”. Ela pode ser gerada por vários fatores, e aparecer em repentinos momentos, o que faz alguém sempre ter um medicamento para problema na bolsa. Além de ser errado, o uso continuo de remédio pode mascarar o diagnóstico correto. As dores de cabeças constantes podem ser sinais de outros problemas, sejam neurológicos ou crônicos, por isso, é necessário ir ao médico para que seja identificada a causa.

É querendo sanar a doença com mais rapidez, pois, quem tem dor tem pressa, que o Brasil se tornou o recordista mundial de automedicação, pesquisas apontam que mais de 72% da população tomam remédios por conta própria. Como é necessário identificar o que está resultando um desconforto ou até mesmo uma dor local, é que 40% utilizam da internet para autodiagnostico, algumas pessoas simplesmente descrevem seus sintomas, e recebem além do diagnósticos a medicação necessária para a solução do caso.

O top cinco dos remédios mais usados é: analgésicos, anti-inflamatórios, antialérgicos antibióticos e ansiolíticos. O perigo estar na intoxicação por medicamentos, além ainda de esconder uma doença importante, e isto podem gerar consequências muito graves, desde efeitos colaterais mais comuns, como uma cefaleia, náuseas, diarreia, vômitos, reações alérgicas à insuficiência respiratória, parada cardíaca e morte. 

É preciso sair do ciclo da autoprescrição, não apenas os remédios vendidos em farmácias são considerados automedicação, mas aqueles indicados de formas “naturais” podem consistir de algum tipo de ervas ou misturas que podem afetar seu organismo. Não esqueça: você não é médico e nem qualquer pessoa ou ferramenta da internet é medico. 

Sempre procure um médico para tirar suas duvidas sobre medicamentos, se a dor ou desconforto forem algo persistente, a consulta serve como orientação para os tipos, doses além de períodos em que serão utilizados os remédios. Se caso for uma necessidade de urgência, a principal escolha ainda deve ser as emergência de hospitais.

0 comentários:

Postar um comentário

Comentários ofensivos não serão publicados.