Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

Senador Fernando Bezerra faz balanço de 2018 e dos primeiros quatro anos de mandato: mais de 500 propostas e R$ 40 milhões em emendas

Brasília, 21/12/18 – O senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) fez hoje (21) um balanço da atuação parlamentar em 2018 e também nos quatro primeiros anos do mandato no Senado. Além dos 506 projetos de lei, Propostas de Emenda à Constituição (PECs), pronunciamentos, requerimentos e relatorias que ele apresentou no quadriênio, o senador presidiu diferentes comissões e defendeu a aprovação de medidas como a renegociação de dívidas rurais; a compra subsidiada de milho e rebanhos pelo governo federal; investimentos em adutoras, barragens e perímetros irrigados; mais recursos para a saúde e educação; modernização da lei de licitações; e o aprimoramento da distribuição de recursos obtidos com a comercialização de petróleo, entre outras. Fernando Bezerra também destinou mais de R$ 40 milhões em emendas parlamentares para ações em benefício a diferentes municípios pernambucanos.
Este ano, o senador ainda assegurou um total de R$ 15.420.774,00 para Pernambuco, no Orçamento Geral da União de 2019às áreas desaúde, educação, agricultura, cidades e esportes. Parte deste total já está destinada ao Instituto Federal do Sertão (IF-Sertão) e ao Campus Petrolina da Universidade de Pernambuco (UPE)”, explica. “São recursos importantes para a realização de investimentos nestas unidades como também para a melhoria da atenção básica e especializada no Sistema Único de Saúde (SUS), da infraestrutura urbana, da agricultura e do esporte”, acrescenta Bezerra Coelho, que também garantiu recursos para a Rede Sarah de Hospitais de Reabilitação.
INFRAESTRUTURA HÍDRICA E IRRIGAÇÃO – Prioridade do mandato de Fernando Bezerra, a garantia de água e saneamento aos pernambucanos norteou os primeiros quatro anos de trabalho no Senado. Só para a Adutora do Agreste – uma das principais obras da Transposição do São Francisco, iniciada no período em que o senador foi ministro da Integração Nacional (de 2011 a 2013) e que beneficiará mais de 70 municípios do agreste de Pernambuco – o parlamentar atuou para que o governo federal liberasse R$ 375 milhões nos dois anos de gestão do presidente Michel Temer.
Bezerra Coelho também pontua outras ações e investimentos que permitirão o avanço da infraestrutura hídrica no estado. Ele cita a Barragem de Ingazeira e da Adutora do Pajeú, no Pajeú; os projetos de irrigação de Itaparica, como o Fulgêncio e o Pontal; a modernização do Projeto de Irrigação Senador Nilo Coelho; e a perfuração de poços, cisternas e aguadas no Sertão e no Agreste.
Graças ao empenho de Fernando Bezerra junto ao governo federal, municípios pernambucanos foram contemplados com recursos da Caixa Econômica (CEF), no segundo semestre deste ano, para Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento (Finisa). No total, foram liberados R$ 463 milhões para as cidades de Recife (R$ 200 milhões), Jaboatão (R$ 120 milhões), Caruaru (R$ 83 milhões) e Petrolina (R$ 60 milhões). “Recursos direcionados a obras de infraestrutura necessárias para estes municípios, incluindo drenagem e pavimentação”, observa.
IRRIGAÇÃO – Também prioridade do mandato de Fernando Bezerra Coelho, o senador empenhou-se para ampliar a irrigação em Pernambuco. No início deste mês, por exemplo, ele esteve na cidade-natal de Petrolina para acompanhar o ministro da Integração Nacional, Antônio de Pádua, e o prefeito Miguel Coelho em uma série de anúncios e ações que beneficiam cerca de 90 mil pessoas em oito municípios do estado, com investimentos de mais de R$ 30 milhões.
Além de inaugurar a automação do sistema de operação do Projeto de Irrigação Senador Nilo Coelho (PNC)/Núcleo C1, eles também entregaram títulos de posse a 299 colonos e 19 empresas agroindustriais do Projeto de Irrigação do Pontal que, por meio de projeto de lei de Fernando Bezerra, deverá ter o nome alterado para Projeto de Irrigação Deputado Osvaldo Coelho.