Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

Livros com frete grátis!



em até 12x de R$ 5,02
LIVRO PORTUGUÊS PARA CONCURSOS CESPE

LIVRO PORTUGUÊS PARA CONCURSOS CESPE
Flávia Rita Coutinho Sarmento
Por R$ 50,00
em até 12x de R$ 5,02
LANÇAMENTO: LIVRO PORTUGUÊS DESCOMPLICADO - 8ª EDIÇÃO
LANÇAMENTO: LIVRO PORTUGUÊS DESCOMPLICADO - 8ª EDIÇÃO
Flávia Rita Coutinho Sarmento
Por R$ 120,00
Em até 12x de R$ 12,05

Final de semana do Janeiro de Grandes Espetáculos recheado de atrações. Peça, música, dança e teatro para a infância em cartaz nas principais casas de espetáculos do Recife

O final de semana do Janeiro de Grandes Espetáculos traz programação para todos os gostos. Tem música, dança, peça e teatro para a infância. “Ícaro”, “Ayrton Montarroyos e Claudette Soares”, “Espelunca”, “Frank & Ella”, “A Dita Curva”, “Encontro da Velha e Nova Geração da Viola” e “Do Vestido ao Nariz” são alguns dos destaques. Confira detalhes das montagens que entram em cartaz nesta sexta, sábado e domingo. Programação completa em www.janeirodegrandesespetaculos.com.


PROGRAMAÇÃO 12/jan

>> 19h, Teatro Arraial Ariano Suassuna | Ícaro | 
+ segunda sessão dia 13, às 18h
LM Produções (Porto Alegre/RS). Em sua estreia como dramaturgo, o ator e bailarino Luciano Mallmann reflete sobre a fragilidade do homem a partir de seis histórias fictícias de cadeirantes. Inspirado em suas próprias experiências e nas de pessoas que conheceu ao sofrer uma lesão medular, em 2004, o monólogo mistura realidade e ficção num mosaico sobre a diversidade humana, partindo de temas universais, como relacionamentos interpessoais, abandono, maternidade e preconceito. R$ 20.


>> 19h, Teatro Apolo | Dialogus Ibéricos
Favelacult Gestión Cultural (Portugal e Espanha). O projeto une música, dança, canto e teatro numa viagem contemporânea às raízes populares portuguesas e suas influências na Espanha e no Brasil. Erudito e contemporâneo, tradicional e experimental. Resultante do encontro entre um músico espanhol, uma bailarina portuguesa e uma cantora espanhola, tendo como ponto de partida o cancioneiro popular ibérico, mostra o ciclo da vida das gentes. Verdadeiros laços de identidade que nos ligam mais do que separam. Com Carlos Blanco (músico), Vanessa Muela (cantora e percussionista), Alexandra Fonseca (bailarina). Dramaturgia e encenação: Moncho Rodriguez. Poemas: Ronaldo Correia de Brito. R$ 30 e R$ 15 (meia).



>> 20h30, Teatro Hermilo Borba Filho | RetomadaTotem  (Paulista/PE). Fruto de residências com os povos Pankararu, Xukuru e Kapinawá, o espetáculo corporifica a sacralidade das terras indígenas e manifesta sua identificação com o sentimento de resistência, bem como reverencia a ancestralidade, a sabedoria anterior que nos constitui e a relação entre os planos espirituais e físicos. O corpo contemporâneo do grupo é envolvido na força da alma coletiva, que séculos de colonização não conseguiram anular. R$ 30 e R$ 15 (meia).
+ Teaser: 
https://www.youtube.com/watch?v=EVplaPgtoA0 

>> 20h30, Teatro Barreto Júnior | Espelunca | 
+ segunda sessão dia 13, às 20h
Cia Teatral Milongas e Pagu Produções Culturais (Rio de Janeiro/RJ). Espetáculo baseado na relação das figuras do palhaço Branco (manipulador) com o palhaço Augusto (manipulado). A peça tem como cenário um antigo restaurante, visivelmente decadente. Um único homem espera ansioso por clientes que nunca chegam, até que uma figura estranha entra e começa o quiproquó. Toda a encenação é conduzida sem uso da palavra. R$ 30 e R$ 15 (meia).
+ Teaser: 
https://www.youtube.com/watch?v=gfXd1Wfc0RE


>> 21h, Teatro de Santa Isabel | Ayrton Montarroyos e Claudette Soares
Recife/PE. Duas grandes vozes de diferentes gerações se juntam num show que passeia pelo ontem e pelo hoje da música popular brasileira. Claudette Soares, 60 anos de carreira, grande cantora e diva da bossa nova, apresenta os clássicos dos anos 1950, 60 e 70, passando por Vinicius de Moraes, Johnny Alf, Roberto e Erasmo, Chico Buarque. Ayrton Montarroyos, 22 anos, finalista do The Voice, da TV Globo, leva ao palco as canções que o consagraram no programa e os novos compositores que estão no elogiado álbum de estreia, que leva seu nome, lançado em 2017. R$ 40 e R$ 20 (meia).


PROGRAMAÇÃO 13/jan

>> 17h, Teatro Hermilo Borba Filho | A Máquina | + segunda sessão às 20h
Teatro de Retalhos (Arcoverde/PE). Fábula contemporânea que se passa numa cidadezinha distante demais de qualquer lugar, geográfica e culturalmente isolada, chamada Nordestina. A história gira em torno de Karina, jovem que sonha em ganhar o mundo como artista, e Antônio, apaixonado pela moça, mas sem pretensão de deixar a cidade. Antônio promete viajar no tempo ou ser dilacerado por uma máquina da morte para atrair os olhos do mundo para Nordestina. Texto: João Falcão, adaptado do romance de Adriana Falcão. Direção: Djaelton Quirino. Elenco: Alex Pessoa, Carol Viana, Éder Lopes, Ênio Felipe, Tocha Ribeiro. R$ 30 e R$ 15 (meia).

>> 20h, Teatro de Santa Isabel | Frank & EllaArthur Philipe e Cláudia Beija (Recife/PE). Frank Sinatra, batizado de The Voice, e Ella Fitzgerald, conhecida como The First Lady of Song, serão homenageados pelos pernambucanos Arthur Philipe e Cláudia Beija. A dupla reviverá as canções que marcaram a trajetória desses ícones da música internacional através de releitura de grandes clássicos. Acompanhados por uma banda formada por piano, baixo, bateria e sax, também apresentarão histórias e curiosidades sobre as carreiras de Frank e Ella. R$ 40 e R$ 20 (meia).


>> 20h, Teatro Luiz Mendonça | A Dita CurvaRecife/PE. Alicerçado na figura central do mestre Meia-Noite, pai do intérprete/criador, o bailarino Orun Santana faz uma apresentação na qual explora a capoeira como elemento motivador do movimento dançado. Dialoga dramaturgicamente com a relação pai e filho, mestre e discípulo, utilizando dinâmicas corporais que buscam a ligação entre corpo, memória e imagem como via de investigação para a cena. R$ 20 e R$ 10 (meia).


>> 20h, Teatro Marco Camarotti | Meia-Noite | + segunda sessão dia 14, às 19h
Recife/PE. A Dita Curva é um ponto de encontro entre as artistas e compositoras Aninha Martins, Aishá Lourenço, Flaira Ferro, Isaar, Isadora Melo, Sofia Freire, Luna Vitrolira, Laís de Assis, Paula Bujes e Ylana Queiroga. O show traz repertório autoral de canções costuradas por poesias e música instrumental ao som de violino, percussão, violão, viola e teclado. É um passeio poético que contempla a singularidade expressiva de cada artista, sugerindo momentos de canto em grupo, solos, duos e quartetos. R$ 40 e R$ 20 (meia).



PROGRAMAÇÃO 14/jan


>> 10h, Teatro Boa Vista | A Bela & A FeraRoberto Costa Produções (Paulista/PE). O pai de Bela vira prisioneiro da Fera e ela decide, então, entregar-se ao estranho ser em troca da liberdade do pai. No castelo, Bela descobre que a Fera é, na verdade, um príncipe que precisa de amor para desfazer um feitiço e voltar à forma humana. R$ 30 e R$ 15 (meia).


>> 16h, Teatro de Santa Isabel | Encontro da Velha e Nova Geração da ViolaMLeon Produções (Recife/PE). A arte do repente está viva e tem sua continuidade garantida. É o que confirma o show que reunirá duplas de poetas repentistas em um formato inédito: um cantador jovem, com menos de 25 anos, junta-se a um da velha guarda, acima dos 60, para exaltarem a viola nordestina.  Repentistas: Ivanildo Vila Nova e Jeferson Silva. Severino Feitosa e Felipe Pereira. Sebastião Dias e Evaldo Filho. Oliveira de Panelas e Jairo Silva. Declamador: Iponax Vila Nova. Apresentador: Rogério Meneses. R$ 40 e R$ 20 (meia).


>> 16h30, Teatro Hermilo Borba Filho | Do Vestido ao NarizCia. 2 em Cena (Recife/PE). Bilac, Carambola e Pixuruca, três palhaças que encontram um circo abandonado e resolvem torná-lo sua nova casa, apresentando ali números de palhaçaria. Mas logo começam a receber mensagens da Ordem Mundial dos Palhaços pedindo que deixem o picadeiro. Mesmo sem permissão, elas resolvem ficar e lutar pelo direito de estarem lá. O espetáculo discute, de maneira cômica e poética, o espaço da comicidade feminina no picadeiro tradicional, bem como leva a refletir sobre o papel da mulher na sociedade contemporânea. R$ 30 e R$ 15 (meia).


>> 16h30, Teatro Barreto Júnior | Vento Forte Para Água e SabãoCia. Fiandeiros de Teatro (Recife/PE). O texto narra a história de amizade entre uma bolha de sabão, chamada Bolonhesa, e Arlindo, uma rajada de vento. Sabendo dos riscos que corre por ser uma bolha, Bolonhesa já havia decidido ficar parada no seu cantinho, com medo de se arriscar a conhecer o mundo. Até se encontrar com Arlindo, que com muita diversão e cumplicidade, ajuda a bolhinha a viver uma divertida aventura, descobrindo as coisas lindas espalhadas pelo mundo e dando sentido à sua existência. Questões como vida e morte são abordadas através da metáfora da bolha de sabão, cuja própria existência é extremamente rápida e passageira. R$ 30 e R$ 15 (meia).


>> 18h, Teatro Luiz Mendonça | Chico ViveCia de Dança e Teatro Evolução (Recife/PE). Em homenagem a Chico Science, o espetáculo retrata vida e carreira do artista através de recortes reais, baseados nos depoimentos de sua mãe, filha, produtores e amigos da Nação Zumbi. É uma leitura singular sobre Chico, desde o nascimento até a morte. Um fortalecimento ao homem que exportou a cultura pernambucana para o mundo. Que viu vida onde todos viam apenas lama. R$ 30 e R$ 15 (meia).



Programação Paralela
12/jan
>> 15h e 16h, Teatro Apolo | Atividade Formativa – intercâmbio com elenco do Dialogus Ibéricos
Favelacult Gestión Cultural (Portugal e Espanha). Elenco do espetáculo Dialogus Ibéricos convida para um intercâmbio de experiências sobre música, dança, canto e teatro. 15h encontro com a percussionista espanhola Vanessa Muela. Às 16h conversa com a coreógrafa e bailarina portuguesa Alexandra Fonseca. Gratuito. Informações: moncho.teatro@gmail.com

13/jan

>> 17h40, Torre Malakoff | Sarau das ArtesRealização Grupo João Teimoso (Recife/PE). Teatro, poesia, música, dança, leituras dramatizadas, circo, performance, cinema. Nas noites de sábado, as mais variadas formas de arte vão se encontrar durante o Janeiro de Grandes Espetáculos. Entrada franca. Informações: 97904.7906 e 98897.1513

>> 9h30, Recife Praia Hotel | Seminário Internacionalização: Diálogos de intercâmbio Ibero-AmericanoRealização Iberescena e Funarte. Uma conversa sobre internacionalização das artes cênicas com base nos projetos ibero-americanos existentes, como o Iberescena e Micsul. Expositor: Fabiano Carneiro da Silva, coordenador de dança da Funarte. Público-alvo: artistas, gestores, curadores. Entrada franca.


+ Fotos: http://bit.ly/jgespetaculos 


SERVIÇOJaneiro de Grandes Espetáculos
Dias 12, 13 e 14 de janeiro 
Ingressos à venda no site 
www.compreingressos.com/janeirodegrandesespetaculos e no Teatro de Santa Isabel
Teatro Apolo: Rua do Apolo, 121, Bairro do Recife(81) 3355.3320
Teatro Barreto Júnior: Rua Estudante Jeremias Bastos, s/n, Pina. (81) 3302.5914
Teatro de Santa Isabel: Praça da República, s/n, Santo Antônio. (813355.3322
Teatro Marco Camarotti: Sesc Santo Amaro: Rua Treze de Maio, 455, Santo Amaro(81) 3216.1728
Teatro Luiz Mendonça: Parque Dona Lindu: Av. Boa Viagem, s/n, Boa Viagem. (81) 3355.9821

Reflexão de Boa Vontade Multiplicação de pães e peixes e combate ao desperdício



Paiva Netto
Em meu livro O Capital de Deus, comento uma passagem evangélica que nos traz instrutiva lição.
Conhecedor dos Soberanos Estatutos da Economia de Deus, ainda ignorados pela maioria dos seres humanos, Jesus, o Cristo Ecumênico, o Divino Estadista, pôde realizar o milagre da multiplicação de peixes e pães, conforme o relato de Mateus, 14:13 a 21.
A primeira multiplicação de pães e peixes
13 Jesus, ouvindo que João Batista fora decapitado por ordem de Herodes, retirou-se dali num barco, para um lugar deserto, à parte. Sabendo disso, as massas populares vieram das cidades, seguindo-O por terra.
14 Desembarcando, Ele viu uma grande multidão. Compadeceu-se dela e curou os seus enfermos.
15 Ao cair da tarde, aproximando-se Dele, os Discípulos Lhe disseram: Senhor, o lugar é deserto, e vai adiantada a hora. Despede, pois, o povo para que, indo pelas aldeias, compre para si o que comer.
16 Jesus, porém, lhes disse: Não precisam retirar-se; dai-lhes, vós mesmos, o alimento.
17 Ao que Lhe responderam: Senhor, não temos aqui senão cinco pães e dois peixinhos!
18 Então, o Mestre ordenou-lhes: Trazei-os a mim.
19 E, tendo mandado que todos se assentassem sobre a relva, tomando os cinco pães e os dois peixinhos, erguendo os olhos ao céu, os abençoou. Depois, havendo partido os pães, deu-os aos Discípulos, e estes, às multidões.
20 Todos comeram e se fartaram; e dos pedaços que sobraram recolheram ainda doze cestos repletos.
21 E os que comeram foram cerca de cinco mil homens, além de mulheres e crianças.
Aliado a isso, não nos esqueçamos do que o Economista Divino nos ensinou a respeito da capacidade pessoal de cada ser humano, ao dizer: “Vós sois deuses. Eu voltarei ao Pai, vós ficareis aqui na Terra; (...) portanto, podereis fazer muito mais do que Eu” (Evangelho, segundo João, 10:34 e 14:12).
Alguém, talvez por ócio, analisando o trecho anterior, poderia argumentar que Jesus é um caso único e que, por isso, não há parâmetros para equivaler a nossa competência à Dele, celestemente superior. Uma maneira de combater esse raciocínio seria considerar que, mesmo não estando ainda no altíssimo patamar espiritual do Mestre dos mestres, somos capazes de gestos simples que fazem imensa diferença.
O poder de multiplicar os pães e os peixes também está em nós, a começar pelo consumo consciente. Vamos nos empenhar, então, por corrigir o desperdício. Quanto alimento descartamos por negligência! O que é desprezado pelas populações abastadas do mundo daria para acabar com a fome dos que padecem verdadeiros tormentos. É apenas um passo. Sim, mas um passo considerável. E só pela soma das aparentemente pequenas ações alcançaremos os maiores êxitos.
Como observou Confúcio: “Transportai um punhado de terra todos os dias e fareis uma montanha”.
Faço aqui um destaque ao que revela o Evangelista Mateus, no versículo 20 do capít