Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

Solos em cartaz no Janeiro de Grandes Espetáculos


Espetáculo inédito de dança com Valéria Vicente e monólogo autobiográfico sobre racismo do Grupo Teatro de Fronteira compõem a terça-feira (16) no Janeiro de Grandes Espetáculos. Programação completa em www.janeirodegrandesespetaculos.com. Detalhes abaixo:




PROGRAMAÇÃO 16/jan (terça-feira)


Luzir é Negro! | Grupo Teatro de Fronteira (Recife)
19h, Teatro Marco Camarotti: Sesc Santo Amaro - Rua Treze de Maio, 455, Santo Amaro. (81) 3216.1728
R$ 30 e R$ 15 (meia). 2h. 14 anos

Espetáculo autobiográfico do ator e cantor Marconi Bispo, com direção de Rodrigo Dourado, investiga o racismo e suas manifestações na vida de um homem negro, nordestino, gay, candomblecista e periférico. Um país em combustão, antigos senhores de escravos transmutados e atuando por intermédio dos seus sucessores e casos de discriminação racial pipocando nas redes sociais alertaram a companhia para a necessidade de discutir em cena a tão proclamada – e falaciosa – democracia racial. Na pele de um ator que muitos insistem em chamar de ‘moreno’, esta falsa democracia estava inscrita. Coube ao grupo fazer surgir – luzir! – essas pequenas dores e algumas vitórias que se sobrepujaram a elas. Assim, partiram desta encruzilhada – elemento simbólico tão caro ao povo de santo: as memórias familiares de Marconi, as memórias da sua trajetória no teatro, suas memórias como filho de santo/praticante do candomblé, as memórias cravadas em textos teatrais sobre o negro e o debate público sobre as questões raciais contemporâneas. Resultou numa dramaturgia que transita entre passado e presente muito recente, público e privado, ficção e realidade. Luz e escuridão. As minorias precisam ter suas histórias ouvidas, sabidas, encenadas. A preservação da memória é um ato político. O extermínio da memória – consequentemente da cultura, terreno onde está se faz e se eterniza – é uma das primeiras ações de uma ditadura. Como se viu, como se vê. 

Concepção, criação e dramaturgia: Marconi Bispo e