Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

Programa Esporte Sem Assédio combate violência e assédio a atletas brasileiras

Foto: Gazeta  Esportiva

O Ministério do Esporte e a Secretaria Nacional de Políticas para Mulheres (SPM) lançaram, na manhã desta quinta-feira (29.03), o programa Esporte Sem Assédio, uma iniciativa conjunta que tem o objetivo de prevenir e combater a violência e o assédio às atletas brasileiras, sejam amadoras ou profissionais.
"O programa tem como finalidade chamar a atenção da sociedade para o assédio e a violência contra as mulheres. O Ministério do Esporte participa usando o esporte como um dos vetores dessa comunicação. Tivemos recentemente casos de assédio que se tornaram públicos e que chocaram o mundo", explicou o ministro do Esporte, Leonardo Picciani, durante a cerimônia realizada no Velódromo do Parque Olímpico da Barra, no Rio de Janeiro. "Temos o canal de denúncia, o Ligue 180, para que as mulheres possam denunciar, se informar e se proteger. A campanha é um recado àqueles que pretendem transgredir que essa transgressão não ficará sem resposta do poder público e da sociedade. O esporte se soma a esse movimento", acrescentou o ministro.
O Ligue 180 é a Central de Atendimento à Mulher da SPM, adotada como canal de denúncia tanto no Brasil como no exterior. Com o Esporte Sem Assédio, estão sendo realizados a capacitação dos atendentes para receber as denúncias de atletas, a criação e implementação de fluxo de assistência psicossocial e jurídica, o tratamento das informações recebidas por meio de indicadores padronizados e o monitoramento. O programa prevê, também, a efetivação de protocolo único entre o Ministério do Esporte, a SPM, o Conselho Nacional de Justiça e a Rede Nacional de Enfrentamento à Violência.
"Essa parceria nasceu porque é preciso falar sobre assédio no esporte. É uma coisa muito séria. Precisamos falar sobre isso e fazer com que as mulheres possam se sentir seguras para denunciar e para que possamos prevenir o assédio. Não podemos aceitar que muitas meninas se sintam tolhidas de praticar o esporte porque sentem medo de serem assediadas", afirmou a secretária Nacional de Políticas para Mulheres, Fátima Pelaes. A iniciativa faz parte do Brasil Mulher, estratégia de mobilização em rede lançada pelo Governo Federal.
"Falar sobre o assédio é importantíssimo - e no esporte não poderia ser diferente. Um ambiente saudável no esporte é um ambiente com profissionais comprometidos com a ética e com seus valores. Os clubes precisam, também, demonstrar que têm uma política clara quanto ao assédio. Esse programa integra ações para unirmos mulheres, homens e toda a sociedade", disse a ex-ginasta Luísa Parente, que participou das Olimpíadas de Seul 1988 e Barcelona 1992. Luísa faz parte da 2a Câmara do Tribunal de Justiça Desportiva Antidopagem, criado com o objetivo de julgar violações a regras internacionais antidopagem.
Presente à cerimônia, a nadadora Joanna Maranhão é ativa no combate a violências que crianças e jovens possam srofrer. "Fui vítima de abuso aos 9 anos pelo meu técnico da época e demorei muito para verbalizar. Estive em quatro Jogos Olímpicos, mas poderia não ter ido a nenhum se não tivesse o apoio psicológico e jurídico que tive. Muitas outras crianças não têm essa ajuda", contou a nadadora Joanna Maranhão, que esteve presente à cerimônia. "A iniciativa é super importante. Nos últimos anos, estamos abrindo portas para que as mulheres falem sobre o machismo e a violência que sofremos. Virão muitas histórias à tona. Ter coragem de verbalizar uma violência sofrida é viver ela de novo. Quando chegam pedindo provas e perguntando porque demorou tanto para falar, isso fere muito. É o momento de ter empatia pelas vítimas que têm coragem de contar suas histórias", acrescentou.
#EsporteSemAssédio
Sob a hashtag #EsporteSemAssédio, a campanha também está sendo veiculada em redes sociais, com engajamento de várias atletas, ex-atletas e personalidades do esporte. "Temos mobilização de várias das principais atletas do país. As mulheres - e também os homens - podem contribuir muito para que esse tema entre na ordem do dia da nossa sociedade para que possamos erradicar essa mazela", disse Picciani.
No próximo domingo (01.04), as federações de futebol do Rio de Janeiro, São Paulo e Pernambuco e os times envolvidos nas finais dos campeonatos estaduais vão divulgar o programa, com atletas utilizando faixas e camisetas da campanha durante a entrada em campo.

PREFEITURA DA ESCADA DISTRIBUI PEIXE PARA POPULAÇÃO NA SEMANA SANTA

Beneficiado foram principalmente famílias em condição de vulnerabilidade social.

A Prefeitura Municipal da Escada através da Secretaria do Desenvolvimento Social realizou na manhã desta quarta-feira (28/03) a distribuição de peixe do programa “PEIXADA NA MESA” para famílias em condição de vulnerabilidade social, beneficiárias do Programa CAD único e famílias atendidas pelos serviços socioassistenciais do município.
De acordo com a Secretaria, a ação beneficiou quase 17.000 mil famílias com a distribuição descentralizada em 14 pontos em toda zona urbana e também na zona rural, foram no total mais de 20 toneladas de peixe castanha para a população, “O governo municipal que propõe em suas ações atender a quem mais precisa.", falou a Secretária do Desenvolvimento Social Nilbe Moreira.
Segundo o Prefeito, mesmo com dificuldades, conseguimos cumprir com o programa “PEIXADA NA MESA” distribuindo peixe para as famílias escadenses, “Nosso foco principal foi atender as famílias em condição de vulnerabilidade social, para que eles possam passar a semana santa com peixe na mesa para celebrar esse momento com alegria e Deus no coração.” disse Lucrécio Gomes.
Além da distribuição em vários locais da cidade, também foram atendidas 1.300 famílias em suas residências nos bairros do Riacho do Navio, Jaguaribe e Nova Descoberta, como também distribuído em Abrigos, Hospital Regional e Cadeia Pública.

Com informações da Assessoria.

FOTOS: Alef Souza - ASCOM PME

Petrolina ganha centro pioneiro de energia solar

O prefeito Miguel Coelho e o ministro de Minas e Energia, Fernando Filho, inauguraram, nesta quinta (29), a primeira etapa do Centro de Referência em Energia Solar de Petrolina (Cresp). A unidade é a primeira em funcionamento no Brasil com este formato e servirá para pesquisas e desenvolvimento de matrizes energéticas renováveis. A estrutura também será utilizada para geração de energia para abastecimento interno da Chesf, reduzindo os custos da companhia.

O Centro fica situado na região do Pontal, zona rural de Petrolina. A estrutura tem área total de 45 hectares. Nessa fase, o ministro e o prefeito entregaram uma planta fotovoltaica com 7600 módulos de geração de energia solar de 2,5 megawatts (volume suficiente, a grosso modo, para atender 60 mil famílias). Além da estrutura energética, foi inaugurado o prédio administrativo do Cresp, com ambientes para debates da evolução tecnológica, salas de monitoramento e laboratórios de pesquisa.




A primeira etapa do empreendimento já recebeu R$ 30 milhões em investimentos do Ministério de Minas e Energia e começa a produzir energia (em caráter de pesquisa) em abril. “No total, deixamos garantidos cerca de R$ 200 milhões para concluir esse Centro. Petrolina sai na frente dando um passo fundamental para o desenvolvimento da energia solar em nosso País”, disse o ministro Fernando Filho.

Segundo o prefeito, a unidade de pesquisa também vai ajudar a cidade sertaneja no processo de implantação de projetos pioneiros para energia renovável. Uma dessas ações é a criação de uma Parceria Público-Privada para produzir energia solar em todos prédios da Prefeitura de Petrolina. “Estamos escrevendo o nome na história da pesquisa e do desenvolvimento de energia sustentável do Brasil. Vamos ser, portanto, a primeira cidade do Brasil na geração de energia renovável na rede municipal”, adiantou Miguel.

A conclusão de todo o projeto do Centro de Referência em Energia Solar de Petrolina (Cresp) está prevista para o próximo ano. A unidade de pesquisa e tecnologia será gerenciada pela Chesf e contará com parcerias de universidades, institutos de pesquisa e da Prefeitura para o desenvolvimento de matrizes energéticas no Sertão de Pernambuco.


​FOTOS: Jonas Santos