Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

Esta sexta-feira, deputado Marinaldo Rosendo será entrevistado ao vivo no Facebook



O deputado federal Marinaldo Rosendo (PP) será entrevistado ao vivo no Programa No Papo Político, na CineTV Nordesteesta sexta-feira (13), às 21h. Serão abordados os seguintes temas: janela partidária; prisão do ex-presidente Lula; e a conjuntura política nacional.

A emissora transmite sua programação diária na rede social, através do Facebook. 
Para acompanhar a entrevista do deputado Marinaldo Rosendo e enviar suas perguntas, acesse a página da CineTV NE.

Link: https://www.facebook.com/cinetvnordeste/posts/1481935901932944:0

Ninho fará transmissão ao vivo no facebook

Secretário de Agricultura participa de reunião na liderança do Governo na Alepe



O secretário da Agricultura e Reforma Agrária, Wellington Batista, foi recebido pelo deputado Isaltino Nascimento, líder do Governo do Estado na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe). O objetivo do encontro foi estreitar a relação entre a pasta e a Alepe. Na ocasião, houve ainda a discussão de demandas relacionadas às comunidades quilombolas do Estado, como obras de infraestrutura hídrica e projetos produtivos. 

“É muito importante estreitarmos as relações entre a Secretaria de Agricultura, a Alepe e as lideranças sociais. Colocamos-nos à disposição no que estiver ao alcance de nossa pasta para atendermos as demandas dos parlamentares e dos movimentos sociais da melhor maneira possível”, pontuou Wellington Batista. Estiveram presentes representantes da Comissão Estadual das Comunidades Quilombolas.

PRÉ-SAL – Relator da MP 811, senador Fernando Bezerra apresenta texto que preserva recursos para saúde e educação



Brasília – Acolhendo 42 emendas de senadores e deputados ao texto da Medida Provisória 811/2017, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) apresentou, nesta tarde (10), relatório que aprimora a MP, definindo claramente as atribuições da Pré-Sal Petróleo S/A (PPSA) no processo de comercialização direta do petróleo destinado à União. De acordo com o novo texto proposto pelo relator, fica autorizado que o regime de partilha permita o pagamento não só com óleo bruto como também em pecúnia (dinheiro) para se reduzir custos de comercialização e resguardar o Fundo Social. “Que é o instrumento mais importante para investimentos em educação e saúde; sobretudo, em tempos de restrição fiscal e orçamentária”, destacou Fernando Bezerra.

A pedido de parlamentares que integram a comissão mista do Congresso Nacional responsável pelo aprimoramento da MP 811/2017, o vice-líder do governo no Senado acolheu a segunda mudança mais importante ao texto original da matéria: permitir a realização de leilões para estimular o processamento e o refino do petróleo no país. “Ao se resolver a questão da comercialização do excedente do óleo que vem do regime de partilha, teremos uma diretriz para estimular o processamento do chamado ‘petróleo cru’ aqui no Brasil, ampliando-se a cadeia de refino e expandindo-se a indústria petroquímica nacional”, acrescentou Bezerra Coelho.

ALERTAS – Durante a leitura do relatório, o senador ressaltou dados da Agência Nacional do Petróleo (ANP) que revelam que as refinarias brasileiras produziram 221,4 milhões de barris de derivados de petróleo no primeiro quadrimestre do ano passado. Isto representa, segundo a ANP, o menor volume para o período desde 2010, além de uma queda de 7,7% com relação aos primeiros quatro meses de 2016. “Quase 20% do mercado é, atualmente, abastecido por produtos importados”, observou Fernando Bezerra.

Conforme alertou o relator, este cenário sinaliza um alto risco de racionamento de combustíveis, a partir de 2025, por falta de refinaria para processar o petróleo e de infraestrutura para as importações. “Um eventual racionamento poderia levar a enormes perdas para a população, como em qualquer racionamento, com o agravante de que o combustível é essencial para o deslocamento e para a definição dos preços em geral”, pontuou.

APERFEIÇOAMENTO – Para o aprimoramento da Medida Provisória 811/2017, foram realizadas duas audiências públicas conduzidas pelo senador Fernando Bezerra Coelho, em Brasília. A primeira delas, no último dia 22 de março, contou com a participação do secretário de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia (MME), Marcio Felix Carvalho; do então presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Luiz Augusto Barroso; e do diretor da ANP, Aurélio Cesar Amaral.

Ao segundo debate, na última quarta-feira (4), compareceram o consultor jurídico da Empresa Brasileira de Administração de Petróleo e Gás Natural – Pré-Sal Petróleo S/A (PPSA), Olavo Bentes David, e o secretário-executivo adjunto do Ministério do Planejamento, Walter Baere Filho, além do presidente da PPSA, Ibsen Flores. Por decisão do presidente da comissão mista responsável pela análise da MP 811/2017, deputado Júlio Lopes (PP-RJ), foi concedida vista coletiva à matéria, que deverá ser votada em uma nova reunião do colegiado marcada para as 15h desta quarta-feira (11). Confira aqui a íntegra do relatório de Fernando Bezerra Coelho à Medida Provisória 811/2017.

Funase terá seleção simplificada para contratar 496 agentes socioeducativos


Chamamento público para escolha da empresa responsável pelo processo foi publicado no Diário Oficial 

A Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) se prepara para abrir uma seleção pública simplificada com 496 vagas para agentes socioeducativos por tempo determinado. Na edição de terça-feira (10) do Diário Oficial do Estado (DOE), a instituição publicou o Aviso de Chamamento Público 02/2018, que tem como objetivo contratar a empresa que ficará responsável pelo processo seletivo.

As vagas a serem abertas serão voltadas ao preenchimento de quadros nas unidades situadas na Região Metropolitana do Recife. Inicialmente, seriam 296 oportunidades, mas, a partir de um esforço do Governo do Estado, por meio da Funase, esse quantitativo foi ampliado em mais 200 vagas, o que permitirá uma recomposição mais abrangente do número de funcionários.

“Tínhamos autorização para 296 vagas, mas houve um esforço integrado da Funase e da Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude (SDSCJ) e conseguimos ampliar esse quantitativo”, comentou a diretora geral de Gestão do Trabalho e Educação da Funase, Nadja Oliveira, durante o Encontro de Gestores da instituição, realizado nesta terça, no auditório do Centro de Formação dos Servidores e Empregados Públicos do Estado de Pernambuco (Cefospe).

O termo de referência para a seleção pública simplificada está disponível nos sites www.funase.pe.gov.br e www.licitacoes.pe.gov.br.

Combate às Fakes News

Dando sequência às atividades de combate aos crimes cibernéticos em Pernambuco, a  Frente Parlamentar de Combate a Crimes Digitais da Alepe, que é presidida pelo deputado estadual Aluísio Lessa (PSB), realizou nesta última terça-feira (dia 10) visita técnica à Delegacia de Repressão aos Crimes Cibernéticos, e amanhã (dia 12 abril, às 11h) estarão sendo recebidos pela equipe do Porto Digital.  


CARTÃO E CHEQUE – Senador Fernando Bezerra faz apelo para Bacen reduzir juros que afetam classe média e assalariados


Brasília  – Vice-líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) reforçou, nesta terça-feira (10), apelo para que o Executivo – por meio do Banco Central (Bacen) – reduza “de forma sensível” os juros do cartão de crédito e do cheque especial. Dirigindo-se ao presidente do Bacen, Ilan Goldfajn, o senador também defendeu que o governo atue para estimular a concorrência bancária, o que, conforme destacou Fernando Bezerra, resultará na queda de taxas e serviços cobrados pelos bancos, facilitando o crédito e aquecendo a economia.

“A diminuição da Selic (taxa básica de juros da economia) tem que vir associada à redução dos juros para as famílias e não só às empresas”, ressaltou o vice-líder. “Precisamos dar um alento aos brasileiros; sobretudo, à classe média e aos assalariados”, acrescentou o senador, durante audiência pública na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), que discutiu as diretrizes, a implementação e as perspectivas da política monetária nacional. 

Em menos de 15 dias, esta foi a segunda vez que Fernando Bezerra defendeu publicamente – à alta cúpula do governo federal – o nivelamento de juros cobrados no Brasil a taxas praticadas em outros países. No último dia 27, também na CAE do Senado, o vice-líder pontuou ao ministro-chefe da Casa Civil da Presidência da República, Eliseu Padilha, que os juros incidentes sobre o cartão de crédito e o cheque especial “ainda são absurdos”, mesmo tendo sido reduzidos, pelo atual governo, de mais de 400% para próximo de 300% ao ano.
No entendimento de Bezerra Coelho, não há justificativas para que estas taxas sejam superiores a 100% ao ano. “Especialmente, em um ambiente econômico favorável, como estamos percebendo nos últimos meses", afirmou.
Durante o debate na CAE do Senado – com a presença do chefe da Assessoria Econômica do Bacen, Fábio Araújo – o presidente do Bacen ressaltou que o índice atual da Selic (6,5% ao ano) alcança o menor patamar desde 1986. Esta e outras medidas conduzidas por Ilan Goldfajn à frente do Banco Central foram reconhecidas e elogiadas por Fernando Bezerra Coelho: "são acertos na agenda econômica”.
O senador ainda observou que, em 24 anos, a taxa de inflação chegou ao menor percentual, saindo de mais de 10% (em 1994) para 2,68% (índice abaixo do valor mínimo previsto para a inflação neste ano, projetada em 3%). “Graças, também, a medidas duras e amargas tomadas pelo Congresso Nacional, como foi o caso da aprovação do limite do Teto do Gasto Público (em dezembro de 2016)”, lembrou Fernando Bezerra.
De acordo com Ilan Goldfajn, o Bacen vem implementando medidas que impeçam o acúmulo de dívidas com o cartão de crédito. “Para que o cliente pague a totalidade ou o mínimo da fatura e evite que a dívida se transforme em uma bola de neve”, disse. Sobre o cheque especial, Goldfajn explicou que novas regras serão anunciadas pela Federação Brasileira dos Bancos (Febraban).

BANCOS – Em relação à concentração bancária no país, o presidente do Bacen afirmou que a orientação é para que a concorrência no sistema seja estimulada. As principais medidas adotadas, segundo Ilan Goldfajn, é o “empoderamento” dos médios e pequenos bancos – incluindo as cooperativas – e a valorização das fintecs, empresas financeiras ligadas à tecnologia que geram inovações no sistema financeiro.
O senador Fernando Bezerra Coelho também questionou o presidente do Bacen sobre as chamadas “operações compromissadas” a cargo do banco. Conforme observou o vice-líder, 1/4 da atual dívida pública brasileira corresponde às tais operações. Nova audiências públicas na CAE do Senado, com Ilan Goldfajn, estão programadas para ocorrerem novamente nas primeiras quinzenas de julho e outubro.

Sesi/PE lança campanha de vacinação contra gripe no Estado

Entidade pretende imunizar 20 mil trabalhadores que estão fora da faixa atendida pela rede pública

O Serviço Social da Indústria de Pernambuco (Sesi/PE) lançou, nesta quarta-feira (11), a Campanha 2018 de Vacinação contra a Gripe. A iniciativa pretende proteger os trabalhadores da indústria contra o pior surto da gripe que atingiu os Estados Unidos na última década e já começa a fazer vítimas no Brasil. Para isso, o Sesi/PE antecipa a campanha e começa a vacinar o público já a partir deste mês. A meta é imunizar 20 mil trabalhadores em todo o Estado para evitar prejuízos à saúde do colaborador e à produtividade das empresas. Mais informações pelo telefone 0800.600.9606.
As doses fazem parte de um lote preparado para combater a mutação mais recente do vírus Influenza em suas três formas mais graves, especialmente a H3N2, responsável por 47 mil infectados e 63 mortes nos Estados Unidos até fevereiro deste ano e que, de acordo com o Ministério da Saúde, já provocou 10 das 28 mortes no país por gripe até março deste ano e outros 57 infectados.
"A tendência é que com a chegada do inverno os casos de infectados aumentem", afirma coordenadora do programa de Vacinação do Sesi/PE, Ana Flávia Borba. As outras formas de Influenza (H1N1 e B) já provocaram 228 casos e 28 óbitos no Brasil. A Secretaria Estadual de Saúde já identificou a circulação dos três vírus (H3N2, H1N1 e Influenza B) em Pernambuco.
Apesar de ser considerada uma doença comum, de fácil transmissão, a gripe pode desencadear problemas respiratórios graves e até levar à morte. Anualmente, são registrados de 650 mil óbitos decorrentes de gripe no mundo, segundo último levantamento da Organização Mundial de Saúde (OMS). Ainda, de acordo com a instituição, a gripe é a maior causa de perturbações na vida diária e faltas ao trabalho de pessoas entre 18 e 64 anos.
“É importante lembrar que nossa campanha não concorre com a rede pública, mas é complementar a ela, pois vacinamos aquelas pessoas que normalmente estão fora dos grupos de cobertura do governo. Somos mais um agente atuando para garantir a qualidade da saúde da sociedade”, lembra Borba. Por isso, o Sesi oferece a dose pelo valor entre R$ 17,00 até R$ 41,25 para as indústrias, um valor 62% abaixo do praticado pelo mercado. “Estamos subsidiando o valor da vacina para garantir que a indústria possa proteger a saúde do seu colaborador”, assevera o superintendente da entidade, Nilo Simões.
Vale destacar que muitas empresas têm direito a vacinar seus trabalhadores pelo Sesi e não sabem. Para se ter uma ideia, as pessoas que trabalham em padaria, pizzaria, oficina mecânica, construção civil, confecção, gráfica, fabricação de alimentos, bebidas, tijolos e telhas, móvel, empresas de refrigeração e climatização, instalação e manutenção de redes e telecomunicação, marmorarias, material de limpeza e gelo, gesso, cimento, adubos, plantação de cana-de-açúcar podem ser vacinadas pelo Sesi, pois são trabalhadores da indústria. “É importante que as pessoas saibam que indústria não é apenas quem trabalha em grandes empresas com linha de montagem, mas toda pessoa que atua na transformação de um produto ou outro”, esclarece Simões.
Uma vantagem da vacinação do Sesi é que a aplicação é realizada na própria empresa, durante o expediente, o que reduz a ausência do posto de trabalho, ou na unidade do Sesi/PE mais próxima. A entidade pretende finalizar as imunizações até julho ou quando acabar o estoque.

Sancionada lei que cria a Universidade Federal do Agreste, em Garanhuns




A Universidade Federal do Agreste de Pernambuco (UFAPE), uma reivindicação de pelo menos 16 anos da população da região, tornou-se realidade: o presidente Michel Temer sancionou, nesta quarta-feira (11), em solenidade no Palácio do Planalto,  emenda do senador Armando Monteiro (PTB-PE) a projeto de lei criando a UFAPE, com sede em Garanhuns. “É um velho sonho que se concretiza”, assinalou Armando em rápido pronunciamento na cerimônia de sanção.

"Com a UFAPE, não só democratizamos o maior acesso à educação universitária, como estaremos formando quadros voltados para as demandas específicas da região”, comemorou. Lembrou que em Pernambuco há universidades que atendem a Região Metropolitana do Recife, a Zona da Mata e o sertão, mas faltava uma instituição para o agreste.

A nova universidade, cuja implantação está orçada em R$ 121 milhões, resultará do desmembramento do campus da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) em Garanhuns.

Para o senador petebista, a UFAPE será “um ativo estratégico no desenvolvimento de Pernambuco”. O prefeito de Garanhuns, Izaías Regis (PTB), viu na iniciativa de Armando a realização de uma antiga aspiração do município, levada por ele em 2002 como deputado estadual ao então presidente eleito Luís Inácio Lula da Silva, quando visitou a terra natal pela primeira vez após sua eleição.    

RELEVÂNCIA - A criação da UFAPE resultou de parecer de Armando Monteiro a projeto de lei originário da Câmara dos Deputados implantando a Universidade Federal do Delta do Parnaíba, no Piauí, cuja instalação também foi sancionada por Temer nesta quarta-feira. Ele destacou a contribuição ao projeto da UFAPE do então ministro da Educação, Mendonça Filho. “O ministro sempre foi sensível à iniciativa”, completou.

Na emenda ao projeto de lei, o senador pernambucano destacou que a implantação da UFAPE é “extremamente relevante para o agreste de Pernambuco”. A escolha de Garanhuns para sediar a UFAPE se justifica não apenas por aproveitar as instalações locais da Universidade Federal Rural como, pontuou seu parecer, “pela relevância socioeconômica e cultural do município, polo de desenvolvimento da microrregião do Agreste Meridional”.

A emenda de Armando Monteiro determina que os alunos do campus da Universidade Federal Rural de Pernambuco passam a integrar automaticamente a UFAPE.  A lei cria os cargos de reitor e vice-reitor e até 600 cargos de professor na nova universidade federal, além de cargos administrativos.

O campus da Universidade Federal Rural em Garanhuns, que será transformado na Universidade Federal do Agreste, oferece atualmente os cursos de veterinária, agronomia, ciência da computação, zootecnia, engenharia de alimentos e licenciatura em letras e em pedagogia.

Foto: Ana Luiza Sousa/Divulgação

No Plenário do Senado, Fernando Bezerra lamenta: “destruíram a política de segurança em Pernambuco”



Brasília – O senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) destacou nesta noite (10), no Plenário do Senado, que a segurança pública no estado de Pernambuco foi “destruída”. “Uma política que foi referência para o Brasil, referência internacional para diversos órgãos que acompanharam a implantação pelo Pacto pela Vida; mas que, nos últimos três anos, sofreu uma grave interrupção”, lamentou.

Ao manifestar apoio a projeto de lei que proíbe contingenciamento de recursos para qualquer despesa com segurança pública, em todo o país, o vice-líder do governo no Senado também ressaltou que, em três anos, Pernambuco registrou 17 mil homicídios. “Dados, digamos assim, desanimadores”, afirmou Bezerra Coelho.

Aprovado há pouco pelo Plenário do Senado, o Projeto de Lei (PLS) 90/2007, apresentado pelo senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA), altera dispositivos da Lei Complementar 101/2000, determinando que os recursos destinados no Orçamento da União para a segurança pública não podem ser objeto de limitação de empenho e movimentação financeira.

“Se estamos decidindo que não vai haver contingenciamento é porque queremos priorizar a liberação de recursos para a área de segurança pública, tendo em vista os alarmantes índices