Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

Torneio em homenagem ao dia do trabalhador


A Comissão Pré Liga de Futebol Amador no Engenho Maranguape, Neco , Basuca , Careca e Jhones;
Convidam Você , para participar e Prestigiar a retomada do tradicional : TONEIO EM HOMENAGEM AO DIA DO TRABALHADOR, nesta terça 1 de Maio de 2018 a partir das 8 : 30hs da manhã no Campo do Maranguape. Com Participação de 12 Equipes .
Apoio Cultural
Jorge Carreiro e Júnior Sóstenes.
Venham  Pretegie , # Quem Sabe Faz agora, não Espera Acontecer! !

Os trabalhadores podem mais


Homenagem do ex-prefeito da cidade do Paulista.

Show do padre João Carlos no Paroquial


Acontecerá no dia 09 de maio na Escola Paroquial, em Paratibe, na cidade do Paulista / PE.


Compre o presente da sua mãe na TagWoods


O dia das mães está chegando e a TagWoods tem produtos maravilhosos e preços imperdíveis para você presentear a sua mãe!

São pólos, vestidos, bolsas e óculos super estilosos! Não perca tempo e venha conhecer tudo na nossa loja, no Paulista North Way Shopping <3

Emocione sua mãe, voando alto com a TagWoods!

#DiaDasMães
#Promoção
#TagWoods
#VoeAlto

Comissão aprova cancelamento de CNPJ de empresa com trabalho escravo

Agência Câmara de Deputados

Foto: Lucio Bernardo Jr. / Câmara dos Deputados

A Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços aprovou o 
Projeto de Lei 7946/17, do deputado Roberto de Lucena (Pode-SP), que cancela, pelo período de dez anos, a inscrição no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) de empresas que fizerem uso direto ou indireto de trabalho escravo ou análogo ao escravo.
O uso deverá ter sido comprovado por meio de processo administrativo ou judicial. Os dirigentes ficarão impedidos de atuar no mesmo ramo de atividade também pelo período de dez anos.
Segundo a proposta, a mesma penalidade será aplicada às empresas que adquirirem, com conhecimento do fato, produtos oriundos da exploração do trabalho escravo ou análogo ao escravo.
Punição severa
O parecer do relator, deputado Aureo (SD-RJ), foi favorável à proposta e à emenda adotada pela Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público. A emenda deixa clara no texto a aplicação da sanção e da pena somente após o trânsito em julgado em última instância.
“A prática da exploração do trabalho escravo é uma mancha que envergonha o Brasil perante o restante das nações e precisa ser banida da nossa sociedade, impondo-se severas punições às empresas que praticam este crime horroroso”, disse Aureo.
Ele citou notícia do Correio Braziliense, de 5 de maio de 2017, segundo o qual, no Brasil, 167 mil pessoas são submetidas a condições degradantes e sub-humanas, além de serem obrigadas a trabalhar em troca de pífias remunerações ou simplesmente para pagarem dívidas contraídas com o patrão.
Punição atual
Atualmente, há três formas principais de punição a quem usa trabalho escravo no Brasil:
- multas administrativas aplicadas pelo Ministério do Trabalho e Emprego;
- ações civis e propostas pelo Ministério Público do Trabalho junto ao Judiciário; e
- ações criminais, sobretudo interpostas pelo Ministério Público Federal junto à Justiça Federal.
Tramitação
A proposta ainda será analisada em caráter conclusivo pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Comissão aprova projeto que obriga iluminação de faixas de pedestres

Agência Câmara de Notícias
A Comissão de Viação e Transportes aprovou na quarta-feira (25) proposta que altera o Código de Trânsito Brasileiro (Lei 9.503/97) para tornar obrigatória a iluminação de faixas de pedestres (Projeto de Lei 8729/17).

Pelo texto, os locais destinados à travessia de pedestres deverão ser sinalizados com faixas pintadas ao longo da via e também iluminadas de acordo com critérios definidos pelo Conselho Nacional de Trânsito Conselho Nacional de Trânsito (Contran).
JAIME MARTINS
Deputado Jaime Martins (Pros-MG)
Autor da proposta, o deputado Antonio Carlos Mendes Thame (PV-SP) se baseou no projeto “Travessia de Pedestres Iluminada”, desenvolvido pela Companhia de Engenharia de Tráfego de São Paulo (CET). 

O projeto foi implantado em julho 1996, em frente ao Terminal Rodoviário do Tietê, onde um ano antes ocorreram 27 atropelamentos, dos quais 56% à noite.Mendes Thame argumenta que a faixa de luz canalizada induz o pedestre a atravessar na faixa e faz com que o motorista fique mais atento às travessias, contribuindo para diminuir o número de atropelamentos.

O relator no colegiado, deputado Jaime Martins (Pros-MG), concordou com os argumentos de Mendes Thame e defendeu a aprovação do projeto. “A iluminação desses locais de travessia é avanço inegável em nossa legislação de trânsito. Além da redução de acidentes e a consequente preservação da vida, experiências práticas mostram diversos benefícios da iluminação das faixas de pedestres”, disse.

Tramitação
O projeto será ainda analisado conclusivamente pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Sete milhões de pessoas ainda não declararam Imposto de Renda; prazo termina no dia 30


Sete milhões de brasileiros ainda não fizeram a declaração do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) 2018. Segundo a Receita Federal, a as 17 horas dessa quinta-feira (26), foram recebidas 21.660.379 declarações. A expectativa é que 28,8 milhões de pessoas preencham as informações solicitadas pela Receita até o 30 de abril, quando termina o prazo.
Para saber como realizar a declaração, basta clicar aqui. Ao preencher o documento, o cidadão fica em dia com o Fisco. Além disso, na avaliação de educadores financeiros, essa também é uma oportunidade para se organizar e ter uma real visão das finanças.
O contribuinte que perder o prazo estará sujeito ao pagamento de multa mínima de R$ 165,74 e máxima de 20% do imposto devido. Quem não presta contas ainda fica com pendências no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF).  
Essas pessoas não conseguem fazer empréstimos, obter certidão negativa para venda ou aluguel de imóvel, tirar passaporte e até mesmo prestar concurso público. Outra consequência para quem deixa de informar à Receita são os problemas para movimentar a conta bancária. 

Foto: Pixabay

Governo muda regras do cartão de crédito para reduzir juros


Para melhorar a vida do consumidor, evitar o superendividamento e reduzir juros, o Governo do Brasil alterou parte das regras do cartão de crédito. Entre as mudanças estão a criação de um limite para os encargos em caso de atraso e um novo funcionamento para o pagamento mínimo.
As novas regras começam a valer a partir de junho. Até então, quem pagava menos de 15% da fatura entrava no chamado rotativo não regular, que tem juros mais altos. Já quem pagava mais de 15%, entrava no rotativo regular, com taxas menores. A partir dessas mudanças, haverá uma única taxa para todos os clientes.
Também ficou definido que o valor mínimo a ser pago, que até então era de 15%, será determinado pela instituição financeira. Antes dessa decisão, o percentual era estabelecido por norma. Isso significa que cada banco irá informar qual o pagamento mínimo será aceito na fatura. Essas mudanças, no entanto, não alteram as demais regras: o consumidor não pode ficar no mínimo por mais de um mês.
Tarifas
A decisão foi tomada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), formado por Banco Central, Ministério do Planejamento e Ministério da Fazenda. A partir de junho, as únicas cobranças extras que os cartões poderão fazer é a multa de 2% sobre o valor e os juros de mora de 1% ao mês, taxas que já são cobradas atualmente.
Em uma outra decisão do conselho, ficou determinado que as instituições financeiras terão de implantar uma política de segurança cibernética. O objetivo é reforçar a segurança das operações e prevenir e combater crimes cibernéticos.

Foto: USP Imagens

Progressistas é a segunda maior bancada da Câmara dos Deputados



Com as novas filiações o Progressistas se torna a segunda maior bancada da Câmara dos Deputados. O presidente nacional do partido, senador Ciro Nogueira, destacou que o objetivo da legenda é se tornar a maior representação federal.

Com a chegada dos novos filiados Átila Lins (AM); Alfredo Kaefer (PR), Osmar Serraglio (PR), Arnaldo Faria de Sá (SP), Evair Vieira de Melo (ES), Laércio Oliveira (SE) e a deputada distrital Celina Leão e dos recém-filiados o deputado federal Marinaldo Rosendo (PE) e o ministro das Cidades, Alexandre Baldy, o Progressistas passa a contar com 54 deputados federais.

O senador Ciro falou de sua satisfação em receber os novos filiados e destacou a união como marca registrada do Progressistas. “Existe um reconhecimento do partido a todos seus filiados, pois somos uma grande família formada por representantes federais, estaduais, senadores, governadores, vice-governadores, prefeitos, vice-prefeitos e vereadores, além de todos os filiados que temos em todo Brasil”.

Ciro enfatizou ainda a importante atuação da legenda nos ministérios, com o deputado Ricardo Barros que acaba de deixar o ministério da Saúde, Blairo Maggi, que está à frente do ministério da Agricultura e Alexandre Baldy (GO), que assumiu o ministério das Cidades. “Nenhum projeto político se faz sozinho e o Progressistas não cresce só em quantidade e sim em qualidade e considero que somos o partido mais unido do Brasil”, afirmou Ciro.

Prisão política de Lula é questionada pelas ruas de Curitiba

Foto: Ricardo Stuckert
Há 19 dias a cidade de Curitiba entrava na mira dos holofotes mundiais ao receber o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Na condição de preso político, Lula se apresentou à Polícia Federal para cumprir a pena de um dos processos mais controversos da História do Brasil. Hoje, a população local se vê envolvida pela trama que aprisionou o presidente mais popular do país.
Dos arredores da Superintendência da Polícia Federal, onde a resistência está concentrada, ao Centro da cidade são cerca de 10 quilômetros. Nesta quarta-feira (25), um grupo formado por acampados da Vigília Lula Livre resolveu seguir para o coração da cidade, na esquina entre as ruas XV de Novembro e Monsenhor Celso, para dialogar com a população local e debater as arbitrariedades do processo que levou Lula ao cárcere.
E se a expectativa natural era a da hostilidade, os moradores daquela que ficou conhecida como “República de Curitiba” mais uma vez surpreenderam. Paravam curiosos para ler o material preparado pela campanha Lula Livre e entender o que leva a comoção gerada entorno da prisão de Lula.
“Eu nunca votei no Lula mas não gostei de ver ele sendo preso. Tem tanta gente fazendo coisa errada e nada acontece”, afirmou a vendedora Jheniffer Godoy. “Eu sinceramente não queria que o Lula ficasse preso”.
De passagem pelo calçadão, o estudante de Direito da UFPR (Universidade Federal do Paraná), Leonardo Pellegrini, parou espontaneamente para conversar com o grupo e se colocar contra o processo que condenou Lula no caso do Triplex. “O Lula é ícone. Ele fez história. Processualmente esse caso é absurdo. Dá vergonha”, desabafou.
A caminho da igreja, Luzeni Batista parou para ler o material de defesa a Lula e mostrar sua indignação sobre a situação atual do Brasil pós golpe. “Quem tinha que tá preso era o Temer”, disparou.
Acompanhada de sua neta, Luma, a avó resumiu a ideia que levou Lula ao cárcere. “Não se joga pedra em árvore que não dá fruto. E é por isso que ele está sendo apedrejado”.

Campanha Lula Livre

Além da resistência central na Superintendência da PF e outros acampamentos pelo Brasil, ações de rua como panfletagem devem se espalhar pelo País. A intenção é de manter o diálogo com a população nas ruas e reforçar a campanha pela libertação de Lula.