Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

Prefeitura realiza capinação, podação entre outros serviços no Cemitério Campo Santo São José

No Cemitério Campo Santo São José, em Paulista/PE, a Secretaria de Serviços Públicos executou alguns serviços hoje (09.05). Capinação, retirada de entulhos, podação, conserto no calçamento do estacionamento, na frente dos velórios, e pintura dos meios fios.






Projeto que define novo prazo para obtenção de dados públicos pelo cidadão é aprovado em Justiça



Uma proposição que estabelece prazo para que órgãos públicos de Pernambuco prestem informações após o julgamento de recursos no Comitê de Acesso à Informação foi aprovada pela Comissão de Justiça. De autoria da deputada Priscila Krause (DEM), o PL nº 1902/2018 acrescenta a exigência à Lei Estadual de Acesso à Informação, que regulamenta a obtenção de dados públicos por cidadãos no Executivo.

Oposição acusa Governo do Estado de reduzir investimentos em programas sociais


Parlamentares da oposição fizeram críticas à gestão de Paulo Câmara. O líder da bancada, deputado Sílvio Costa Filho (PRB) expôs resultado de um levantamento apontando, em 2017, uma redução de cerca de R$ 60 milhões em investimentos nos programas sociais do Estado, como o Chapéu de Palha, Mãe Coruja e Ganhe o Mundo. Já o deputado Edilson Silva (PSOL) criticou os gastos do Executivo com publicidade institucional, face a políticas públicas que estariam paralisadas.

Priscila Krause quer apoio para PEC que garante mais transparência na execução de emendas



Em discurso na Reunião Plenária, a deputada Priscila Krause (DEM) pediu apoio dos parlamentares para a aprovação da PEC n° 12/2018, que busca tornar mais transparente o processo de execução das emendas parlamentares impositivas pelo Governo do Estado. De autoria da democrata, a matéria quer que os dados relativos a esse procedimento sejam disponibilizados no Relatório Resumido de Execução Orçamentária, divulgado a cada dois meses pelo Poder Executivo. 

Frente Parlamentar da Pessoa com Deficiência discute acessibilidade em hotéis e restaurantes​



As medidas que proprietários de restaurantes e hotéis deverão adotar a partir da regulamentação da Lei Brasileira de Inclusão (Lei Federal nº 13.146/2015), em março deste ano, foram tema de audiência pública da Frente Parlamentar de Defesa da Pessoa com Deficiência nesta terça (8). O Decreto Presidencial nº 9.296/2018 trouxe as exigências que serão cobradas para garantir acessibilidade nesses estabelecimentos. Durante o debate, uma pauta foi elaborada pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes para conscientizar os proprietários sobre a necessidade de mudanças.

Jovens do Case/Cenip Arcoverde dão primeiro passo para a inclusão digital

Adolescentes estão participando de curso de informática básica
ofertado por meio de parceria entre a Funase e a Prefeitura



Socioeducandos do Case/Cenip Arcoverde estão se profissionalizando por meio de um curso de informática básica. A turma, oferecida em parceria com a Prefeitura de Arcoverde, contempla dez jovens da unidade. O curso dura, em média, três meses. A iniciativa é considerada uma vitória para os alunos, muitos deles, oriundos de comunidades carentes e sem acesso aos meios tecnológicos.

O curso é ofertado no Centro de Cultura de Arcoverde, onde, além do Centro de Informática Popular, também funciona uma biblioteca municipal. O retorno dado pelos socioeducandos é positivo. “Eles dizem que gostam bastante. Sabemos que muitos vêm fragilizados, com pouca escolaridade. Proporcionar essa oportunidade de inclusão digital é muito importante, um primeiro passo para uma transformação na vida deles”, comentou a coordenadora geral do Case/Cenip Arcoverde, Alane Mendes.

A parceria entre a Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) e a Prefeitura de Arcoverde tem viabilizado que o curso aconteça uma vez por semestre, sempre com turmas exitosas. No fim das aulas, os alunos recebem um certificado.

Imagem: Divulgação/Funase

Sertão de PE iniciará produção pioneira de alimentos através do sistema agrovoltaico




O pioneirismo resulta da ação de uma rede de pesquisados do país que afirma ser possível 'plantar água', 'comer Caatinga' e 'irrigá-la com o sol'

Nos próximos dois meses, o semiárido pernambucano pode ser pioneiro nacional na produção integrada de alimentos vegetais, peixe e captação pluvial através da implantação de um sistema agrovoltaico sustentável a partir da transformação da radiação solar em energia distribuída. Os trabalhos técnicos para a instalação do sistema fotovoltaico estão sendo realizados por uma startup local dentro da escola Serta em Ibimirim. A iniciativa visa demonstrar provas materiais do conceito científico de uma rede de pesquisadores nacionais (Ecolume), financiada pelo CNPq e liderada pela climatologista e Doutora em Recursos Hídricos, Francis Lacerda, coordenadora técnica do Laboratório de Mudanças Climáticas do Instituto Agronômico de PE (IPA). O conceito Ecolume defende que é possível "plantar água", "comer Caatinga" e "irrigá-la com o sol" do local.

"No final do próximo mês ou início de agosto, inauguraremos o primeiro sistema agrovoltaico sustentável da América do Sul", celebra Francis, fazendo referência a revisão da literatura científica que fez a respeito. Quando estiver totalmente implantado, terá a capacidade de tornar todo complexo da escola Serta autossuficiente em energia elétrica. "Nesta 1ª fase, serão instalados 30% do sistema fotovoltaico planejado, auxiliando na redução imediata de um terno dos custos com energia convencional", fala o doutor em Botânica, Diogo Araújo, proprietário da VertSol, startup parceira do Ecolume com foco em eficiência energética que doou placas fotovoltaicas que serão instaladas com a participação de alunos do local.

A energia gerada através do sol será utilizada nos vários experimentos agroecológicos do Ecolume/Serta, realizado pelo sistema agrovoltaíco - cujo integra a utilização de todos os potenciais dos seus componentes. Os painéis fotovoltaicos instalados também servirão de recipientes para a captação da chuva, além de gerar a energia solar e bombear a água já armazenada para o cultivo de peixes e de plantas, inclusive as nativas da Caatinga, com alto valor nutricional. Tal produção se dará através do sistema de aquaponia, pois garante o uso, reuso e reciclagem da água, possibilitando até adubação orgânica proveniente das fezes dos peixes.     

Em seis meses, o sistema agrovoltaico Ecolume/Serta terá a capacidade de produzir 60 quilos de carne retirados das 100 tilápias por tanques de mil litros de água. E este recurso hídrico será usado de forma integrado e simultâneo para o cultivo, em tubos, de 72 plantas de 12 espécies de colheita contínua e diferentes, em especial do tipo medicinais, temperos e hortaliças. Dentre elas, hortelã – 40 dias (contínua), rúcula – 40 dias, alface – 40 dias, taioba – 40 dias, bertalha – 40 dias, couve-folha – 40 dias, chapéu de couro – 40 dias, manjericão – 40 dias, coentro – 40 dias, espinafre – 40 dias, cebolinha – 40 dias, menta – colheita em 40 dias (contínua), tomates e cereja variados – 60 dias e alecrim – 60 dias.

O gerenciamento da água capitada e bombeada também será utilizado para irrigação sustentável dos viveiros de plantas originais da Caatinga para a alimentação humana, a exemplo do umbu e outras, que podem entrar em extinção se não houver o devido recaatingamento. O replantio dessas espécies do semiárido, já adaptadas geneticamente às altas temperaturas, servirá como alimento humano, mas também ajudará na manutenção da umidade do solo e regulação do clima local. "Portanto, a partir do recaatingamento, é possível sim plantar água e comer Caatinga como trata o Ecolume", defende o diretor do Serta, Sebastião Alves.

O dirigente garante que ainda serão produzidos outros frutos e Plantas Alimentícias não Convencionais (Pancs), que têm alto valor nutricional e agregado, a partir da operacionalização desse sistema agrovoltaico do Ecolume no Serta. As Pancs são uma nova visão alimentar e gastronômica para as vegetações nativas pouco usadas para tais fins. O criador desse conceito é o pesquisador internacional Valdely Kinupp. Ele ministrará inclusive uma palestra no Recife sobre o tema, no dia 1º de junho, a convite do Ecolume, às 9h no auditório do IPA, no Bairro de San Martin.

"A aplicação e operacionalização desses experimentos através do nosso sistema agrovoltaico sustentável será um dos resultados principais do nosso conceito ecolumiano, pois demonstrará a possibilidade de plantar água, comer Caatinga e irrigá-la com o sol - metáforas estas que podem ser tornar muito reais através da fusão do potencial solar local gerando energia, integrado à produção de alimentos vegetais, peixes e captação pluvial num sistema cíclico", destaca a climatologista do IPA Francis

Além dos benefícios socioeconômicos e ambientais, o conceito e projeto do Ecolume prima pelo eixo educacional e transmissão de conhecimento tecnológico para as comunidades atendidas. Assim, a VertSol também capacitará os alunos do Serta sobre energia solar, elementos, instalação do sistema fotovoltaico e etc. "Nosso compromisso com o Ecolume é que cada um desses estudantes, a maioria deles filhos de agricultores, seja capaz de replicarem tal sistema em suas comunidades", diz Diogo.

Atualmente, a unidade do Serta em Ibimirim tem 150 estudantes na área de Agroecologia, oriundos de cerca de 100 municípios de cinco estados do Nordeste. Uma palestra teórica sobre energia solar e fotovoltaica será ministrada pela startup para todos alunos. Quinze deles receberão treinamento teórico e prática sobre elementos e instalação do sistema.
  
"Sem duvida, o experimento do Ecolume dentro da nossa escola ajudará na formação teórico e prática de nossos estudantes, funcionando como laboratório", diz Sebastião. Ele espera que todos esses conhecimentos do sistema agrovoltaico por aquaponia para criação de peixes, vegetais e para viveiros de plantas nativas da Caatinga possam ser reaplicados em diversas áreas do semiárido, inicialmente pelos próprios alunos, mas também pelas demais instituições parceiras que forma a rede Ecolume.

Além da atuação do IPA e do Serta, e da parceria da startup de energia VertSol, a rede Ecolume é formada pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Instituto Nacional do Semiárido (Insa), Instituto Federal do Sertão e a Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Sustentabilidade.

Juventude Presente abre inscrições para seis mil vagas em oficinas

Oficinas socioculturais para jovens começam, em maio, nas comunidades atendidas pelo Governo Presente