Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

1º Festival de Cerveja Artesanal de Olinda vai movimentar cidade em junho

O evento ocorrerá na Praça do Carmo 


Ela é servida gelada, combina com petiscos... É a queridinha dos brasileiros nas mesas dos bares e das casas: a cerveja. Bebendo com moderação e sem o uso da direção de veículos ela é bem-vinda para reunir amigos e familiares. Nos dias 1, 2 e 3 de junho será uma oportunidade para os amantes dessa bebida participarem do 1º Festival de Cerveja Artesanal de Olinda, na Praça do Carmo. No local, serão montados estandes para comercialização, palco para apresentações culturais, feirinha de artesanato e um parque infantil.  
  
A Secretaria de Turismo, Desenvolvimento Econômico e Tecnologia da cidade  promoverá o evento em parceria com a Associação Pernambucana das Cervejas Artesanais (APECERVA). Na sexta-feira (01.06) o festival será realizado das 16h à 0h. Já no sábado (02.06) e domingo (03.06) será das 17h à 0h. O evento vai contar também com apresentações de coco, samba e cover de Reginaldo Rossi. Além das apresentações culturais, o Festival contará com shows, na sexta terá: Tributus (Rock e pop nacional), no sábado o público pode conferir Banda Seu Lunga (MPB, POP e Rock) e já no domingo sobe ao palco banda Junior Chumbago e família (Rock, POP Internacional, MPB e baladas românticas).  
  
Segundo especialistas, a principal diferença entre a cerveja industrial e a artesanal (também chamada de gourmet) é o processo de produção e fabricação. Na industrializada, geralmente se utiliza 60% de malte (grãos selecionados como a cevada) e se acrescenta outros cereais e produtos químicos para diminuir os custos de produção. Já a gourmetizada é feita com ingredientes mais selecionados. Há um aumento do teor do malte e demora na fermentação. Esses procedimentos acabam elevando um pouco o valor do produto. 
  
No 1º Festival da Cerveja Artesanal de Olinda, os apreciadores ou quem ficar curioso para provar outros sabores da bebida sem ser a industrial podem conferir marcas como: Seis PunhosPernambucanaCapungaBabylonDuváliaArmorial e Weissdorn, Patt Lou e HellcifeNavegantes GrunhsBierEkäutQuatro CantosFriedaHaus + CavallottiDebron BierManguezal.  
  
No primeiro dia da programação, o público poderá conferir, às 16h, uma palestra com especialista em produção de cervejas artesanais, vigilância sanitária e representantes do Ministério da Agricultura para aprender sobre a bebida e desafios da cerveja artesanal no país.   
  
"Esse festival será para promover a cerveja mais bem produzida e para gerar impacto na economia do município e valorizar esse segmento das fábricas e gerar mais empregos", destacou o secretário Turismo, Desenvolvimento Econômico e Tecnologia de Olinda, João Luiz.  
  
CURIOSIDADES:  
  
Pernambuco está entre os cinco estados do Brasil com maior produção de cerveja artesanal do País.   
  
cerveja surgiu por acaso há mais de 8 mil anos, logo após o surgimento do pão. A massa de pão que sobrava era armazenada em vasos, já que era difícil encontrar alimento. Segundo historiadores, alguns vasos foram esquecidos e com a chuva pode ter ocorrido o processo de fermentação. Ao tomar aquele “pão líquido”, as pessoas começaram a se sentir diferentes e alegres.   

Segurança infantojuvenil



Paiva Netto

Abuso e exploração sexual infantojuvenil. Assuntos que não podem ser ignorados. Problemas de magnitude global que exigem alerta constante de todos nós, principalmente dos pais e dos governos. Nada melhor que procurarmos caminhos eficientes em prol da assistência aos pequeninos.

Juntamos nossos esforços aos de numerosas organizações do Terceiro Setor e aos do próprio governo no combate a essa terrível violência.

A Boa Vontade TV (Oi TV — Canal 212 — e Net Brasil/Claro TV — Canais 196 e 696), no programa Sociedade Solidária, trouxe elucidativa entrevista com a professora Dalka Chaves de Almeida Ferrari, membro da diretoria do Instituto Sedes Sapientiae, de São Paulo/SP, e coordenadora-geral do Centro de Referência às Vítimas de Violência (CNRVV).

A segurança das crianças e dos jovens, segundo a professora Dalka, carece de uma mobilização geral: “Trata-se de trabalho contínuo que merece uma atenção constante da política pública para fazer esse enfrentamento. E hoje são necessárias a capacitação e a sensibilização dos hotéis, com seus gerentes e todo o corpo de trabalho, dos taxistas, do pessoal da rodoviária, dos ônibus, dos aeroportos. Se for pensar em política, todos os ministérios teriam que ser capacitados para fazer esse enfrentamento”.

Quebrar o pacto do silêncio
Durante sua conversa com o sociólogo Daniel Guimarães, apresentador do Sociedade Solidária, a professora Dalka Ferrari enfatizou também a imprescindível providência de proteção da criança dos abusos sexuais nos ambientes doméstico e social: “Quebrar o pacto do silêncio, conseguir falar desse assunto, porque ainda é muito velado, é meio tabu dentro da sociedade. Se a gente tiver jovens esclarecidos, conscientizados, sensibilizados sobre os cuidados que têm que ter com o próprio corpo, os limites que são dados, eles se sentirão bem e não deixarão que esse corpo seja invadido. Então, é quase que uma reeducação do autoconhecimento. A pessoa tem que se conhecer, saber exatamente o que ela quer para sua vida, os riscos que pode correr com os envolvimentos”. (...)

E prossegue, enfática: “Isso tudo é algo que precisa ser discutido, porque, se a gente não conscientizar, desde a criança, o adolescente, o jovem até os pais, os educadores, que cuidam dessa criança e desse adolescente todo dia, a gente não vai fazer esse problema vir à tona. As pessoas têm vergonha de falar, não querem enfrentá-lo. E, à medida que o jovem ficar autônomo, sabendo como se defender, ele poderá ajudar outro jovem, poderá ser um multiplicador desses conhecimentos”.

Ministério Público de Pernambuco é o terceiro mais transparente do Brasil

Terceira colocação foi obtida com a avaliação do primeiro semestre de 2018, realizada pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP)


O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) é o terceiro MP mais transparente do Brasil. A classificação foi obtida após avaliação do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), órgão colegiado que é responsável pelo Transparentrômetro, ranking que analisa semestralmente questões como divulgação dos recursos orçamentários, gastos, detalhamento das despesas, publicidade na concessão de diárias e passagens, licitações e contratos, só para citar alguns itens. São 320 os pontos de análise utilizados para a composição do monitoramento. Nesta avaliação, o MPPE atingiu 99,69% de atendimento ao monitoramento eletrônico.

“No início de 2017 estávamos no 25º lugar, no segundo semestre do ano passado evoluímos para a quarta posição e já neste primeiro semestre alcançamos a terceira colocação. Isso é fruto do trabalho empenhado de todos os setores do órgão no sentido de proporcionar mais transparência aos atos administrativos, para que o MPPE seja o Ministério Público mais transparente do País. Temos procurado, também, estabelecer parcerias com outros órgãos públicos no sentido de trocar informações e metodologias de controle e transparência. Todo esse esforço favorece a evolução do sistema de transparência do MPPE”, disse a secretária-geral do MPPE em exercício, Cristiane Caitano.

O resultado foi divulgado pela Comissão de Controle Administrativo e Financeiro (CCAF) do CNMP, que analisou as 31 unidades do Ministério Público no Brasil. “Essa melhora que obtivemos é resultado claro de uma mudança cultural, na qual os gestores estão cada vez mais engajados na prestação de contas à sociedade e com uma prática muito mais transparente" registrou o controlador ministerial interno do MPPE, Rodrigo Amaro.

A Lei Federal n.º 12.527/11, conhecida como Lei de Acesso à Informação (LAi), é que dá a tônica das obrigações de publicidade de informações à todos os órgãos públicos. No âmbito do CNMP, a Lei é complementada pelas resoluções n.º 86/2012, 89/2012 e 115/2014, que buscam um aprofundamento bem mais detalhado e específico do que o cobrado pela LAI.

TRANSPARÊNCIA - Ainda segundo Amaro, dentre os objetivos da publicidade de informações no portal estão fortalecer as práticas de transparência ativa do órgão, em sintonia com a LAI, com o fomento do controle social e da fiscalização do MPPE pela sociedade. Em primeira colocação ficou o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), na segunda,  o Ministério Público Federal (MPF) e o Ministério Público do Trabalho (MPT).

O Portal de Transparência do MPPE pode ser acessado pelo endereço http://www.mppe.mp.br/transparencia/. N o cidadão pode ter acesso à informações como a execução orçamentária e financeira, licitações contratos e convênios já firmados, informações de gestão de pessoas, planejamento estratégico e salário dos servidores.