Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

MPPE realiza curso de combate ao narcotráfico em Petrolina

Curso ocorrerá em Petrolina e é destinado aos promotores de Justiça, o comando da Polícia Militar e delegados da Polícia Civil de Pernambuco



Nos próximos 24 e 25 de maio, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE), por meio da Escola Superior do Ministério Público (ESMP), realiza o curso “Atuação da Polícia Judiciária no Combate ao Narcotráfico e Segurança nos Municípios”, na cidade de Petrolina. A capacitação é voltada aos promotores de Justiça do MPPE das cidades de Petrolina, Serra Talhada, Afogados da Ingazeira e Salgueiro. Participam ainda comandantes da Polícia Militar de Pernambuco (PMPE) e delegados da Polícia Civil de Pernambuco (PCPE) da região. O curso ocorre das 8h às 18h, no auditório do Sest/Senat, na Rua Zito de Souza Leão, nº. 10.

O curso tem o objetivo de proporcionar aos participantes o aprimoramento profissional, capacitando para a atuação no combate ao tráfico de drogas, através da execução de abordagens, buscas e ainda no desenvolvimento de habilidades e técnicas investigativas específicas. “Queremos aperfeiçoar ainda mais grupo de servidores que atuam nesta área no MPPE, bem como os demais atores institucionais envolvidos no combate ao narcotráfico. Nosso objetivo é oferecer conhecimento para que seja possível melhor identificar o infrator que está trazendo entorpecentes para comercialização, bem como despertar habilidades e técnicas avançadas de identificação do narcotraficante”, disse o procurador-geral de Justiça, Francisco Dirceu Barros. Ele irá ministrar a palestra de abertura do encontro.

Entre os convidados estão os delegados da Polícia Civil do Maranhão (PCMA), Thiago Salgado e Danilo Veras; bem como o investigador de polícia do mesmo Estado, Diego Nascimento. “Todas as pessoas desejam a mesma coisa: paz e tranquilidade na vida social. É com isso em mente que o MPPE vem executando diversas atividades que procuram priorizar e promover a segurança do pernambucano. Só conseguiremos fazer isso com ações multi-institucional, fazendo parcerias com outros órgãos de combate ao narcotráfico”, disse Barros.

Durante o curso, os participantes terão a oportunidade de discutir acerca da atuação da polícia judiciária no combate ao narcotráfico e as propostas práticas para intervenção do MPPE na segurança dos municípios. “Estamos realizando essa primeira edição do curso e pretendemos, no segundo semestre, realizar uma edição no Agreste, atendendo profissionais da região”, disse o promotor de Justiça e diretor da Escola Superior do Ministério Público (ESMP), Sílvio Tavares.

Serviço
Curso Atuação da Polícia Judiciária no Combate ao Narcotráfico e Segurança nos Municípios
Onde: Petrolina, auditório do Sest/Senat, na Rua Zito de Souza Leão, nº. 10
Informações: (081) 3182-7348, 3182-7451 e 3182-7379

Programação

Quinta-feira, 24 de maio de 2018
8h - Credenciamento/Entrega de materiais.
8h30 - Mesa de abertura e palestra inaugural, procurador-geral de Justiça, Francisco Dirceu Barros.
10h15 - Intervalo.
10h30 - “Atuação da polícia judiciária no combate ao narcotráfico: uma abordagem prática de técnicas investigativas”, Polícia Civil e convidados.
12h30 - Intervalo para almoço.
14h - Continuação: “Atuação da polícia judiciária no combate ao narcotráfico: uma abordagem prática de técnicas investigativas”, Polícia Civil e convidados.
16h30 - Intervalo
16h45 - Continuação: “Atuação da polícia judiciária no combate ao narcotráfico: uma abordagem prática de técnicas investigativas”, Polícia Civil e convidados.
18h - Encerramento dos trabalhos do dia

Sexta-feira, 25 de maio de 2018
9h - “Segurança nos municípios - Projeto Cidade Pacífica: lançamento do projeto institucional na Circunscrição de Petrolina”, promotor de Justiça, Luís Sávio Loureiro, e procurador-geral de Justiça, Francisco Dirceu Barros.
10h30 - Intervalo.
10h45 - Continuação: “Segurança nos municípios - Projeto Cidade Pacífica: lançamento do projeto institucional na Circunscrição de Petrolina”, promotor de Justiça, Luís Sávio Loureiro, e procurador-geral de Justiça, Francisco Dirceu Barros.

13h - Encerramento da capacitação.

DPU no Recife participa de Semana da África em parceira com Unicap e Prefeitura do Recife



Recife - A Defensoria Pública da União (DPU) no Recife, em parceria com a Universidade Católica de Pernambuco (Unicap) e a Prefeitura da Cidade do Recife (PCR), participará, nos dias 21 e 25 de maio, da Semana da África, em comemoração ao Dia da África, na sexta-feira (25). A iniciativa tem o tema “Existe uma História da África sem o Brasil, mas não existe uma história do Brasil sem a África” e trará várias atividades como roda de diálogo, aula pública, mutirão de serviços e ações culturais.

O evento tem ainda entre os parceiros a Associação Senegalesa de Pernambuco, o Escritório de Apoio à Cidadania Africana de Pernambuco e o Conselho Municipal de Política de Promoção da Igualdade Racial.

Na próxima segunda-feira (21), será realizado um ato solene de homenagem a Fátima Silva (Quilombo Onze Negras) e a Amadou Touré (Associação Senegalesa de Pernambuco), das 14h às 16h, na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe). E também a roda de diálogo: Eu vim de lá – África o berço da humanidade, com a coordenação de Dayse Cabral, doutora em Educação e coordenadora do Núcleo de Estudos Afrobrasileiros da UFPE- NEAB, e como convidados: Vera Baroni, advogada, fundadora da Rede de Mulheres de terreiro e do Uiala Mukaji, Fernando Sabonete, angolano, Mestre em teologia e Usman Abdulhadi, nigeriano, veterinário e professor. A roda será das 18h às 21h, no Auditório D. Helder Câmara, térreo do Bloco A da Unicap.

Já na terça-feira (22), haverá a roda de diálogo: O papel das organizações na garantia dos direitos dos afrodescendentes, com coordenação de Girlana Diniz, gerente de Igualdade Racial da Prefeitura do Recife e participação de representantes da Unicap, DPU, Defensoria Pública do Estado de Pernambuco, Escritório de Assistência a Cidadania Africana de Pernambuco – EACAPE. A reunião ocorrerá das 14h às 17h, no Museu da Cidade, Forte das Cinco Pontas. Haverá também, a partir das 19h, no Pátio de São Pedro, a Terça Negra Especial, com Políticas Públicas para Capoeira, Balé Afro Majê Molê (20h), Afoxé Omolu Pá Keru Awô (21h) e Coco dos Pretos (22h).

Na quarta-feira (23), será promovido um mutirão de serviços, das 08 às 16h, no hall do bloco G da Unicap, com a Fundação Altino Ventura, DPU, Centro de Referência em Direitos Humanos – Margarida Alves, Sebrae, Expresso Recife, Agência do Trabalho Recife, Secretaria Municipal de Saúde.

Na quinta-feira (24), ocorrerá a aula pública: África relação ancestral, com Moises Santana, doutor em Educação e professor da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), na Praça do Carmo, das 14h às 16h.
E na sexta-feira (25), a culminância, das 9h às 18h30, no hall do bloco G da Unicap, com feira africana, roda de capoeira com o grupo Chapéu de Couro, desfile de moda africana e Maracatu Porto Rico.

Case Cabo recebe visita da Comissão de Direitos Humanos do TJPE

Grupo esteve em diversos espaços da unidade e também conheceu as instalações do futuro Case Cabo II



Representantes da Comissão de Direitos Humanos do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) visitaram, nesta sexta-feira (18), o Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) Cabo de Santo Agostinho. A equipe, capitaneada pelo presidente da comissão, desembargador Bartolomeu Bueno, foi recepcionada pelo secretário de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude de Pernambuco, Cloves Benevides. Na ocasião, o grupo também visitou as instalações do futuro Case Cabo II, que está na fase final de construção e deve ser aberto no próximo mês de julho.

Os integrantes da comissão conheceram alojamentos, salas de aula, espaços para refeições e ambientes onde são realizadas oficinas e atividades profissionalizantes. Além do desembargador Bartolomeu Bueno, estiveram na comitiva do TJPE, entre outros nomes, o desembargador Waldemir Tavares, que é membro da Comissão de Direitos Humanos, o juiz da Vara de Execuções de Penas Alternativas, Flávio Fontes, e o secretário da Comissão de Direitos Humanos, João Passos.

"As unidades da Funase estão abertas à comissão para qualquer esclarecimento que se faça necessário e sugestões que visem a melhorar o atendimento socioeducativo no Estado, meta almejada pela SDSCJ e pelo governador", declarou o secretário Cloves Benevides.

A presidente da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase), Nadja Alencar, acompanhou a visita e explicou uma série de medidas que estão sendo adotadas pelo Executivo estadual, como a construção de novas unidades – além do Case Cabo II, ainda estão sendo erguidos os Cases Jaboatão II e Recife – e a seleção simplificada para contratação de 496 agentes socioeducativos.

Já o coordenador de Segurança da Funase, coronel Jonas Barbosa, explicou aos representantes da comissão as ações tomadas nesse setor dentro daquela e de outras unidades da instituição em todo o Estado, além de mencionar o Plano Operativo de Segurança Socioeducativa (POSS), que padronizará procedimentos nos centros e casas. A coordenadora geral do Case Cabo, Tatiane Moraes, também representou a Funase na recepção à equipe do tribunal.

No fim da visita, o desembargador informou que eventuais demandas seriam tratadas via documentação oficial, mas, numa avaliação preliminar, mostrou-se satisfeito com o cenário encontrado. "É importante garantir não só o bom atendimento aos adolescentes que cumprem medidas socioeducativas, mas garantir efetivamente sua reintegração à família e à sociedade com um trabalho efetivo com os egressos. Combater a reincidência é essencial", destacou Bueno, lembrando o período em que esteve à frente da Vara da Infância da Capital e dos desafios enfrentados para a implementação das diretrizes apontadas pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

No mesmo sentido, a presidente da Funase viu a presença da comissão como algo positivo. "Visitas como esta de uma comissão de tão alto nível e de grande responsabilidade são importantes para comprovar se estamos no caminho certo na garantia dos direitos dos socioeducandos no Estado, conforme preconiza o ECA. O controle externo é vital", declarou Nadja Alencar.

Imagens: Celso Araújo/SDSCJ

Audiência pública da Comissão de Cidadania marca Dia Internacional de Luta contra a LGBTfobia


“Opressão a gente não discute, a gente elimina”, discursou a militante transfeminista Dália Costa durante a audiência pública que lembrou o Dia Internacional de Luta contra a LGBTfobia. A fala da ativista marcou a tônica do evento, realizado pela Comissão de Cidadania.  Membros de movimentos sociais e representantes de órgãos públicos participaram do debate e ressaltaram a necessidade de as organizações da sociedade civil que atuam com a questão resistirem a possíveis recuos da rede de proteção existente. “Vamos ocupar espaços, pontuar nossas demandas, notificar os casos de violência, falar das realidades que as pessoas fingem que não existem”, defendeu Dália

Cursos gratuitos de qualificação para jovens de Olinda

Interessados devem procurar o CAIC de Peixinhos

O projeto Qualifica Olinda, promovido pela Prefeitura do município, oferece 200 vagas para cursos gratuitos de capacitação destinados aos jovens de 14 a 29 anos. As inscrições têm início nesta segunda (21) e podem ser feitas na Casa das Juventudes, no CAIC de Peixinhos, das 9h às 12h e das 14h às 16h.
São diversos cursos, como Administração do Tempo, Autoconfiança, Imagem Profissional, Atendimento ao Cliente, Currículo sem segredo, entre outros. Outras informações através do número 3305-1098.

II Seminário Sociocultural do Lamento Negro agita fim de semana em Olinda

Programação acontece até domingo (20), no Casa Crer


Tendo a mulher negra como foco temático, o “II Seminário Sociocultural do Lamento Negro Candaces: espelho da nossa verdadeira face” deu seu pontapé inicial nesta sexta-feira (18). Com programação até o domingo (20.05), o evento tem como eixos pontos críticos de direcionamento e de avanços nas áreas, dentre outras, como: educação, saúde, direitos humanos, comunicação, segurança da mulher e igualdade racial. O evento ocorre na Casa Crer, na Avenida Sigismundo Gonçalves, no Carmo, Olinda.
Os participantes encontram, a partir das 14h, uma série de palestras, debates, apresentações culturais e outras atividades norteadas por temáticas contemporâneas e emergentes no sentido de lutas e combates, por exemplo, à discriminação e sexismo. A entrada é gratuita. O encontro homenageará Mãe Lúcia e contará com nomes como Vera Baroni, Gabrielle Conde e Preta MC. Além de Dança para Oxum com Milla Andrade, Sarau Poético Letras Pretas, com Odailta Alves, Coletivo Bartira e Experimento Safira.
“Desde os dez anos de idade eu tenho uma vivência nessas temáticas de valorização da mulher, empoderamento feminino, no qual devemos ter nossas atitudes e movimentos sociais. Muitas mulheres precisam servir cada vez mais de exemplo para atingir um coletivo maior. Por isso o nome Candaces, que significa ‘mulher guerreira’”, explicou a coordenadora do Centro de Cultura e Arte Lamento Negro e idealizadora do seminário, Conceição Fayola.
Fundado pelo Mestre Maia, em 1987, o Lamento Negro foi criado no final da década de 80 com o objetivo de reduzir a criminalidade no bairro de Peixinhos, que era o segundo mais violento da América Latina. Para Maia, o apoio da Prefeitura de Olinda ao evento é fundamental. Segundo ele, a dificuldade dos negros, principalmente as mulheres, perante a sociedade, faz com que a raça se torne cada vez mais forte e com força de vontade. É com o apoio dos governos, as ações são valorizadas.
“É muito importante o apoio do governo municipal, estadual e federal. Não só ao Lamento, mas também outras atividades de outros grupos. Assim conseguimos o empoderamento de nós, negros e negras. Quando somos reconhecidos, dá mais vontade de fazer o nosso trabalho. Essa visão do prefeito Professor Lupércio é importante, antes não tínhamos esse olhar. Vivíamos presos em nossas senzalas, isolados no mundo, e os governantes lá, com outra realidade. Hoje entramos no Palácio da Justiça, hoje tocamos nossa música e somos ouvidos. Isso é importante para a nossa cultura negra. Ainda não temos o cenário que gostaríamos, mas estamos caminhando”, acrescentou o presidente do Lamento Negro, Mestre Maia.
O seminário do Lamento Negro conta com apoio da Prefeitura de Olinda, através da Coordenadoria de Igualdade Racial, e do Governo do Estado. “Realizamos recentemente conferência de igualdade racial. Dela, deliberamos algumas coisas que estamos tirando do papel. Lançamos há pouco tempo um plano contra intolerância religiosa e de política LGBT também. Nosso prefeito está bem presente nessas causas e podemos contar sempre com ele. Ele dá liberdade para a coordenadoria exercer o trabalho”, disse o coordenador de Igualdade Racial de Olinda, Clayton Gouveia.
Lamento Negro
O Lamento Negro tem 31 anos, foi criado em Peixinhos, e realiza um trabalho social através da capoeira, dança, cultura afro, educação, teatro, entre outros. Os músicos, seguindo o exemplo do Olodum, que fazia grande sucesso na época, tocavam ritmos como o afoxé e o samba-reggae. Mais tarde, foi trocado os tambores de estilo baiano pelo de maracatu, feitos com peles de alfaia.
Confira a programação do fim de semana
SÁBADO (19)
14h – Abertura – Intervenção com Mila Andrade
14h40- Palestra Transgeneridade: enfrentamento à transfobia
16h15 – Intervenção Mulher e daí
16h30 – Estética negra opressão e resistência
17h30 – Intervenção letra preta
17h45 – Lei 10.639/03: o porquê da relutância à cultura afro nas escolas
18h30 – Encerramento toqueata
DOMINGO (20)
14h – Abertura
14h30 – Desfile lassana
15h – Lei 10.639/03 em Pernambuco: abordagem sem luz?
15h45 – Experimento safira
16h – Intolerância religiosa
17h45 – Coletiva bartira
18h – Encerramento: falas e Mãe Lúcia canta epahei e mulheres guerreiras
18h30 – As Kallinas

Ato no Recife em defesa de Lula e apoio à pré-candidatura de Marília



Este domingo (20) será realizada, no Clube Internacional do Recife, uma plenária em apoio à pré-candidatura da vereadora do Recife, Marília Arraes (PT), ao Governo de Pernambuco. O ato também tem como foco a defesa da liberdade do ex-presidente Lula e pelo direito dele disputar as eleições presidenciais. O evento começará a partir das 10h e é voltado para os filiados do PT e simpatizantes. Representantes de municípios de todas as regiões do Estado já confirmaram presença.

Também participarão do ato lideranças sindicais (rurais e urbanas), parlamentares, dirigentes partidários (PT), militantes e representantes de entidades ligadas às áreas de Saúde, Educação, Cultura, Direitos Humanos, entre outros. O ator, diretor, produtor, autor e militante político Sérgio Mamberti é um dos que virão de fora do Estado para o evento.

A plenária faz parte das atividades previstas no calendário interno do PT para as eleições de 2018. Outros encontros similares já foram realizados em outras regiões do Estado, como Sertão, Agreste e Zona da Mata.

SERVIÇO:
Ato no Recife em defesa de Lula e em apoio à pré-candidatura de Marília Arraes
Dia 20.05.2018 (domingo)

A partir das 10h

Local: Clube Internacional do Recife – Rua Benfica, nº 505, Madalena.