Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

Prefeitura do Paulista e Sindicato dos Servidores fecham acordo em 2,5% da campanha salarial 2018


Depois de quatro meses de negociação, na rodada final que aconteceu na tarde desta Segunda-feira, 18.06, o prefeito Junior Matuto fechou acordo com representantes do Sinsempa (Sindicato dos Servidores Municipais do Paulista) sobre a campanha salarial 2018, onde ficou acordada a implantação de reajuste salarial de 2,5%.
Da pauta de reivindicações apresentada pelo sindicato, todos os 18 pontos foram acordados entre as partes. A implantação do reajuste será retroativo a Março, data base da categoria. Alguns pontos pauta de reivindicações merecem destaque, como a criação de uma gratificação para realizar cursos técnicos visando melhorar a qualificação profissional dos servidores e os serviços prestados à população; Outro ponto importante foi a Implantação do reajuste diferenciado de 50% do salário base dos Técnicos em Edificação e o aumento da gratificação dos motoristas de 60% para 70%. Quanto ao PCVV (o Plano de Cargos e Carreiras e Vencimentos), as discussões continuam ao longo deste ano.  
Pelo acordo os agentes de segurança devem ser beneficiados com a criação da gratificação de agrupamento de 10%, bem como o reajuste da gratificação de eventos extraordinários de R$75 para R$100. E para os agentes Administrativos será concedido um reajuste diferenciado de 5%.
O reajuste geral dos salários se chegou a um percentual de 2,5 %, beneficiando os ativos, aposentados, pensionistas. “Nosso maior cuidado tem que ser com o limite prudencial imposto pela le, não descuidando do compromisso que a gestão tem com os servidores efetivos do município.” Garantiu Alessandro Correia, secretário de Administração do município.
A presidente do Sinsempa Jucineide Lira fez questão de salientar o desempenho da gestão em avançar no acordo e a relação de respeito que a prefeitura vem demonstrando com o servidor municipal. “Acho que o senhor, prefeito, foi um bom aluno de Eduardo Campos. Nos últimos anos, construímos uma relação de diálogo em prol do servidor. Em comparação com muitos municípios, estamos numa zona de conforto com a relação respeitosa que construímos.” Afirmou Jucineide.
O prefeito confirmou que aprendeu muito como o ex-governador, “Eduardo me dizia que quem age com magoa no coração, pode estar em qualquer canto do mundo, menos na politica. Então, o que temos conseguido unidos a todos os atores políticos do município, foi conquistado com o diálogo permanente,” avaliou Junior Matuto.
O Sinsempa na próxima semana levará este acordo para a assembleia, para que a categoria possa analisar os pontos acordados com a gestão e colocar em votação.
Participaram da reunião de negociação, no Centro Administrativo da prefeitura, em Maranguape I os secretários de Administração Alessandro Correia e o Chefe de Gabinete Francisco Padilha. Acompanhando a presidenta Jucineide Lira, estavam presentes à reunião os diretores José Inácio da Luz, Luciana Vieira, Manuel Damásio, José Ângelo Damasceno e Ana Paula de Lima Freitas. 

Copa Paulista de Futebol Sub-18 tem início no Paulista e Região


Com o intuito de fortalecer cada vez mais o esporte na cidade, nesta segunda-feira (18.06) foi dado o ponta pé inicial da Copa Paulista de Futebol Sub-18. Com jogos no período da manhã e da tarde, a iniciativa conta com times de várias cidades da Região Metropolitana.
Logo no início do dia o Esperança do Amanhã venceu o Projeto Gol por 2 a 1. Já no período da tarde, na primeira partida, o Juventude de Arthur Lundgren empatou com o Real Marítimo com apenas um gol para cada lado. No segundo jogo da tarde o Inter/União venceu o Navarro por 1 a 0.
O secretário de Políticas Sociais e Esportes do Paulista, Augusto Costa, comentou sobre os locais de jogos. “Hoje começaram no Estádio Ademir Cunha as rodadas da Copa, o local será a sede do Campeonato, mas também serão utilizados outros campos, como o de Maranguape II, o Zeca Bocão e o do Tururu, que ficam aqui em Paulista, e os Estádios Grito da República em Olinda e Santos Dumont em Boa Viagem, pois o campeonato é regional, e para facilitar a vida dos atletas, nós descentralizamos os polos de jogos”.
Augusto Costa ainda destacou que tudo isso acontece por conta do suporte que a gestão vem dando ao esporte local. “Vale frisar que essas atividades só acontecem na nossa cidade por causa do apoio que o prefeito Junior Matuto vem dando ao esporte amador, o que faz com que as atividades esportivas cheguem para toda a comunidade”.
A Copa conta com a participação de 32 equipes, divididas em oito grupos, o que dá um total de 640 atletas. A primeira fase da Copa Paulista de Futebol Sub-18 segue desta segunda (18) até o sábado (23). A segunda fase será na terça-feira (26.06), quando acontecerão as oitavas de final.

Seminário internacional reúne, em Olinda (PE), pescadores artesanais de vários países da América Latina para discutir as Diretrizes da Pesca de Pequena Escala

Foto: Divulgação

O objetivo é trocar experiências e debater formas de implementar as Diretrizes da Pesca de Pequena Escala no Brasil

Pescadores e pescadoras artesanais, pesquisadores, cientistas e ativistas de várias partes do mundo participarão do Seminário Internacional das Diretrizes da Pesca de Pequena Escala, entre os dias 18 e 21 de junho, no Centro de Formação Recanto do Pescador, em Olinda (PE), das 8h às 18h. O encontro organizado pelo Movimento dos Pescadores e Pescadoras Artesanais (MPP) e pelo World Forum of Fisher Peoples (WFFP) tem o objetivo de aprofundar debates em torno dos princípios das Diretrizes para a Pesca de Pequena Escala.

O documento das Diretrizes para a Pesca de Pequena Escala é o primeiro instrumento acordado internacionalmente que é inteiramente dedicado ao extremamente importante, mas até agora frequentemente negligenciado, setor da pesca artesanal. O documento lançado em junho de 2014, pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), após nove anos de intensos debates por pescadores de todo o mundo, tem o Brasil como um dos países signatários. Contudo, como a implementação das Diretrizes não é obrigatória, até hoje o Brasil não deu passos concretos que levem à implementação das Diretrizes da Pesca de Pequena Escala.

“O Seminário terá uma grande importância para nós pescadores e pescadoras artesanais de todo o Brasil e de outros países porque a nossa vontade é que em todos os países sejam reconhecidas as Diretrizes da Pesca de Pequena Escala, sejam respeitadas e implementadas de fato. Esse Seminário tem como objetivo principal ampliar as Diretrizes, para que elas sejam reconhecidas e garantidas e assim possamos continuar tendo soberania alimentar”, defende a pescadora e coordenadora do MPP Nacional, Josana Serrão. Josana também acredita que em virtude do contexto político atual de ataques às leis de conservação e proteção ambientais, com ameaças à pesca artesanal, aos territórios pesqueiros e aos ecossistemas naturais, a implementação das Diretrizes para a Pesca de Pequena Escala se faz ainda mais urgente.

O Seminário contará com a participação de pescadores da Costa Rica, de Trinidad e Tobago, além de representantes da FAO. Alguns dos participantes falarão do bem sucedido processo de implementação das Diretrizes de Pequena Escala nos seus respectivos países para assim ajudar os pescadores, pescadoras e as organizações da sociedade civil brasileiros a pensarem estratégias que levem o Estado Brasileiro a implementar o instrumento.

“É preciso que os pescadores participem ativamente para que essas diretrizes sejam implementadas não somente no Brasil, mas em todos os países para fortalecer a pesca de pequena escala. Então esse é um momento muito importante para nós, principalmente para nós do Movimento dos Pescadores e Pescadoras artesanais (MPP)”, defende Josana Serrão.

Sobre as Diretrizes e a pesca artesanal

As diretrizes são um instrumento internacional estabelecido no contexto da erradicação da Pobreza e Segurança Alimentar e definem que: comunidades de pesca de pequena escala devem ter direitos de posse assegurados; o papel das comunidades na preservação dos ecossistemas deve ser reconhecido; medidas devem ser adotadas para a conservação de longo prazo dos recursos; as comunidades devem ser incluídas na discussão sobre o manejo; trabalhadores devem fazer parte do regime de segurança social; a cadeia de valor deve ser reconhecida completamente; pescadores de pequena escala devem ter padrão de vida adequado, evitando condições de trabalho abusivas e garantindo saúde ocupacional e segurança; igualdade de gênero; entre outras.

As Diretrizes Voluntárias têm, portanto, caráter amplo, e vão desde medidas para melhorar os sistemas de governança da pesca e as condições de trabalho e de vida a recomendações sobre como os países podem ajudar os pescadores artesanais e os trabalhadores do setor pesqueiro a reduzir as perdas e o desperdício pós-colheita de alimentos.

O documento reconhece a importância dos pescadores e pescadoras artesanais e da pesca artesanal, que representa mais de 90 por cento da pesca de captura do mundo e dos trabalhadores do setor pesqueiro – cerca da metade dos quais são mulheres – e fornece ao redor de 50 por cento das capturas mundiais de peixes. É uma valiosa fonte de proteína animal para bilhões de pessoas em todo o mundo e, frequentemente, sustenta as economias locais nas comunidades costeiras e nas que vivem nas margens de lagos e rios.


Serviço:
O que: Seminário Internacional das Diretrizes da Pesca de Pequena Escala
Quando: 18 a 21 de junho de 2018