Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

Abreu e Lima recebe caravana de Miguel Ricardo



O Movimento Minha Cidade está alcançando todo o Estado com sua caravana. Nesta sexta-feria (27), a programação chega ao município de Abreu e Lima conduzida pelo pré-candidato a uma vaga na Alepe, o jovem empresário Miguel Ricardo, que tem se destacado por suas opniões e atuações na política brasileira. O objetivo é reunir a sociedade para explicar sobre o projeto inovador, que visa debater soluções para uma cidade melhor, com a participação da população. O encontro acontecerá na Vila Mirelly Recepções, no bairro do Desterro, a partir das 19h.


CNM: Armando é eleito senador mais comprometido com os municípios

Armando Monteiro (PTB) foi considerado pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM) o senador mais atuante em defesa dos municípios em 2017. O ranking, divulgado pela entidade, analisa a atuação de deputados e senadores em relação à pauta municipalista no Congresso Nacional. Com 84 pontos, Armando dividiu a primeira posição com o senador do Pará Flexa Ribeiro. No ranking por Estado, o senador petebista também foi o primeiro colocado.



“Vejo como um reconhecimento do nosso trabalho para fortalecer os municípios, buscando sempre uma distribuição mais justa de recursos, para que os cidadãos possam ser atendidos em suas necessidades básicas onde vivem”, comemorou o senador. 

Armando foi o relator e grande negociador para que o Fundo de Participação dos Municípios (FPM) fosse aumentado, garantindo mais recursos para as cidades. “Mais de 80% das cidades brasileiras, que têm até 9 mil habitantes, dependem totalmente do Fundo de Participação dos Municípios para manter os serviços públicos, como saúde, educação, limpeza pública e pagamento de pessoal. Por isso, defendi o aumento do FPM tanto em 2014 quanto em 2017. Foi uma luta vitoriosa dos prefeitos que tenho orgulho de ter participado e contribuído”, lembrou.

MAIS AÇÕES - Outro projeto importante que contou com participação decisiva do senador Armando Monteiro recentemente foi o que permite aos municípios considerarem como Manutenção e Desenvolvimento do Ensino as despesas com merenda e uniformes escolares – hoje a aplicação mínima obrigatória de 25% em educação não inclui esses gastos. O petebista foi o relator do projeto, de autoria do senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), aprovado pela Comissão de Assuntos Econômicos. A CNM reúne mais de 5 mil municípios.

Foto: Ana Luiza Sousa/Divulgação

Pedagoga do Tribunal de Justiça faz palestra em Paulista sobre adoção


O Grupo de Apoio à Adoção do Paulista (GAAP) promove um encontro para pais adotivos, pretendentes e o público interessado na temática. A pedagoga da Vara da Infância e Juventude de Olinda do Tribunal de Justiça, Alexsandra Rabelo, falará sobre família solidária e busca ativa – dois mecanismos legais aplicados pela Justiça na concretização de adoções. O encontro ocorrerá neste sábado (28.07), das 15h às 17h, no auditório do Ministério Público de Pernambuco, na Avenida Senador Salgado Filho, s/n, Centro, Paulista. O acesso é gratuito. Outras informações pelo fone: 9.8166.0691.

Oficina de atualização reúne Agentes de Combate às Endemias em mais dois encontros

Dando continuidade às oficinas de atualização dos Agentes de Combate às Endemias do município, a Secretaria de Saúde do Paulista promove mais dois encontros nesse mês de julho, no Bloco B do Centro Universitário Joaquim Nabuco, em Paulista. O primeiro deles ocorreu na manhã desta quinta-feira (26.07), e o próximo será nesta sexta (27.07). Estão sendo abordados assuntos sobre doenças como esporotricose, leishmaniose e animais sinantrópicos. 

O superintendente de Vigilância em Saúde do Pauslista, Fabio Diogo, destacou que os encontros mensais abordam assuntos pertinentes ao dia a dia dos ACEs nas comunidades, para que eles possam aprimorar o conhecimento e consiga transmitir da maneira mais didática para o cidadão. 

“No mês passado já tivemos o tema arbovirose, e nesse mês será sobre esporotricose, que é uma doença que está muito em alta, por conta de um fungo transmitido pelos gatos. Também vamos abordar sobre animais sinantrópicos, combatendo e controlando a população de escorpiões e roedores. E, por fim, a leishmaniose, que acomete tanto o homem quanto os animais por meio da picada de um mosquito”, explicou. 

A oficina abrange a totalidade dos Agentes de Combate às Endemias, no entanto, além deles, outros profissionais da Vigilância em Saúde também estão participando dos encontros. É o caso de Isabel Cristina Pereira, de 51 anos. Ela é ACE, mas está lotada na Vigilância. “Tem sido proveitoso, principalmente para quem não está atuando nesse momento como ACE, porque é a oportunidade de relembrar tudo que aprendemos na capacitação que tivemos anteriormente”, disse. 

A agente de endemias Márcia Galvão, de 43 anos, atua no bairro de Maranguape I, e também esteve nesse encontro. “Eu achei maravilhoso porque o trabalhador tem de ter a qualificação, tem de estar sempre se atualizando. Foi um presente que a nossa secretária Fabiana Bernart nos deu junto com a nossa associação”, elogiou Márcia.



De acordo com a presidente da Associação dos Agentes de Combate às Endemias do Paulista (AMACEPA), Luci Souza, até o final do ano, serão realizados dois encontros mensais com os ACE, divididos em duas turmas, abordando todas as endemias. “A gente precisa de uma atualização, precisa saber como o município trabalha com cada uma das endemias, e a gente entrou num acordo de fazer um projeto de educação continuada”, ressaltou Luci. Ainda segundo ela, os encontros reúnem em torno de 65 pessoas por dia. 

Fotos: Almir Martins/Prefeitura do Paulista

Cirurgia plástica – Saiba os cuidados para evitar complicações

Atualmente, uma onda de relatos envolvendo erros de procedimentos estéticos vêm enchendo os principais canais de comunicação com notícias tristes. É que o número de casos que levaram pacientes à morte ou que causaram transtornos físicos e psicológicos aumentaram drasticamente no último mês.


A procura por um corpo perfeito é constante, principalmente pelas mulheres que se baseiam nos corpos de grandes modelos e atrizes da televisão, as cirurgias mais comuns no Brasil são a prótese mamária e lipoaspiração. Muitas dessas mulheres não se preocupam com o lugar ou com a reputação do médico que vai realizar a cirurgia, e por causa disso os delitos vêm acontecendo.
Para que o médico seja capaz de realizar uma cirurgia plástica é necessário concluir o curso de medicina, dois anos de residência em cirurgia geral e três anos de residência em cirurgia plástica. São 14 mil horas de treinamento. Depois, o médico faz provas para ter o título de membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).
Se, mesmo com a formação, o paciente quiser saber se o médico já teve problemas antes, é possível consultar o histórico do profissional no Conselho Regional de Medicina ao qual ele é filiado. Eventuais punições que aquele especialista já tiver recebido ficam registradas.
A sociedade não tem o poder de fiscalização desses médicos, no entanto, ela pode fazer uma denúncia no Conselho Federal de Medicina ou também pela justiça em casos de perceber irregularidades.
Antes de fazer uma cirurgia os pacientes devem se consultar com o cirurgião para traçar o perfil, onde serão respondidas questões sobre medicamentos que o paciente use, doenças e exames. É comum a ocultação de algumas informações para que a cirurgia seja feita, mas a falta de informações pode levar à morte.
Feito os exames, conheça o lugar que será realizada a cirurgia e verifique se é regulamentado pelo Conselho Regional de Medicina e pela Vigilância Sanitária. Não esqueça de perguntar sobre a anestesia e quantas horas o procedimento cirúrgico vai durar.
Para que você fique informado, aqui vão as 7 principais complicações das cirurgias plásticas:
1.      Hematomas e marcas roxas
O desenvolvimento de um hematoma é a complicação mais comum da cirurgia plástica, que ocorre devido ao acúmulo de sangue na região operada, causando inchaço e dor. Além disso, também podem surgir manchas roxas ocasionadas por vasos sanguíneos que se rompem durante a cirurgia em alguns casos.
2.      Acúmulo de líquido
Quando se verifica inchaço, pele avermelhada, dor e sensação de flutuação no local da cicatriz, pode-se estar desenvolvendo uma complicação chamada seroma. Para evitar esta complicação é fundamental usar uma faixa, cinta ou curativo compressivo no pós-operatório, repousar e usar um dreno para remover o líquido em excesso.
3.      Abertura dos pontos
A abertura dos pontos ou grampos pode causar deiscência, que é quando ocorre a separação das bordas dos tecidos que foram unidos e, o risco de desenvolver uma infecção é maior e o tempo de cicatrização aumenta.
4.      Infecção
O risco de infecção é mais comum em torno da cicatriz, mas também pode ocorrer infecção interna, causando sintomas como inchado, dor, febre e pus. Além disso, nos casos de colocação de prótese o risco aumenta, pois, o corpo pode rejeitar a prótese.
5.      Trombose
Quando ocorre a formação de trombos ou coágulos é normal sentir inchaço e dor intensa nas pernas, além da pele brilhante e arroxeada. Se não forem tratados rapidamente, os coágulos podem deslocar-se e causar embolia pulmonar. Para evitar esta complicação é necessário tomar remédios anticoagulantes.
6.      Cicatrizes deformadas
O surgimento de cicatrizes grossas, deformadas e queloides, é comum em qualquer cirurgia plástica, quanto maior for a cicatriz, maior será o risco de cicatrizes deformadas. Além disso, também podem desenvolver nódulos debaixo da pele que é causado pelo tecido duro.
7.      Diminuição de Sensibilidade
A perda da sensibilidade na região operada pode ocorrer devido ao inchaço da região, mas a sensação vai diminuindo com o passar do tempo.
Além destas 7 complicações da cirurgia plástica também podem ocorrer necrose, que é a morte dos tecidos por falta de sangue e oxigênio e a perfuração de órgãos, no entanto estas complicações são mais raras e estão relacionadas a inexperiência do cirurgião plástico.
A cirurgia plástica não deve ser banalizada. Para que o barato não saia caro, confira se o médico está inserido na Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. A lista dos profissionais está no site (http://www.cirurgiaplastica.org.br).