Curta o Paulista Atualizado no facebook e receba todas as nossas atualizações!

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

Prefeitura Trabalhando

A Secretaria Executiva de Serviços Públicos realizou 48 ações de limpeza e manutenção do município nesta semana. O mutirão de limpeza está localizado no bairro de Maranguape II, com os trabalhos de capinação, roçadeira, pintura, e remoção de entulhos.

Devido os feriados da semana, as atividades realizadas pela equipe interna da secretaria vão paralisar nesta quinta (01.10) e sexta-feira (02.10), mas os serviços da limpeza urbana vão acontecer normalmente.
No Janga, aconteceu uma grande ação de remoção de entulhos, onde várias ruas puderam ser limpas. Para fazer uma denúncia de remoção de entulhos é só entrar em contato com a Secretaria Executiva ou baixar o aplicativo Paulista Conectada.
O cemitério foi contemplado com uma ação especial para o dia dos finados, nesta sexta-feira (02.10), ações de pintura, capinação, varrição, poda, reparos na iluminação e outros serviços necessários para receber os visitantes.
A Diretoria de Iluminação informou que está realizando os reparos em postes e trocando lâmpadas por LED em todo município. Para fazer uma denúncia é só ligar para o 0800.006.0550 ou usar o aplicativo Paulista Conectada. Em ambos os casos, a solicitação é atendida num prazo de 72 horas. Lembrando que no aplicativo também tem opções de denúncias para ponto de entulho e segurança. Ações de limpeza urbana, como o recolhimento do lixo domiciliar não estão nos números.

Indicação de Moro para o Ministério da Justiça divide opiniões

Agência Brasil
Publicado em 01/11/2018 - 13:44
Por Luiza Damé - Repórter da Agência Brasil  Brasília

(Foto: Abr)


A confirmação do juiz federal Sergio Moro para comandar o Ministério da Justiça e Segurança gerou reações distintas. Nesta quinta-feira (1º), Moro aceitou o convite feito pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro. Enquanto aliados do presidente eleito elogiaram a escolha, a oposição criticou. "Sem dúvida alguma, a sua posição à frente do ministério vai resgatar cada vez mais a esperança do povo brasileiro", disse o senador Ronaldo Caiado (DEM-GO), eleito governador de Goiás, no primeiro turno.
Em vídeo publicado nas mídias sociais, Caiado se dirigiu diretamente ao presidente eleito, enaltecendo a sensibilidade de Bolsonaro ao escolher "um homem do quilate, da competência e da capacidade de Sergio Moro para combater a corrupção em nosso país".

Moro aceita convite para ser ministro da Justiça no governo Bolsonaro

Agência Brasil
Publicado em 01/11/2018 - 11:25
Por Luiza Damé - Repórter da Agência Brasil  Brasília


O juiz federal Sergio Moro, que comanda as investigações da Operação Lava Jato, aceitou nesta quinta-feira (1º) o convite do presidente eleito Jair Bolsonaro e será o ministro da Justiça. O anúncio foi feito por Moro, em nota. "Após reunião pessoal, na qual foram discutidas políticas para a pasta, aceitei o honrado convite",afirmou.
O juiz Sergio Moro e o futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, no Rio de Janeiro - EFE/Antonio Lacerda/Direitos reservados


O presidente eleito, Jair Bolsonaro, confirmou o nome de Moro no ministério. "Sua agenda anticorrupção, anticrime organizado, bem como o respeito à Constituição e às leis será o nosso norte", escreveu o presidente eleito. Em suas redes sociais, Bolsonaro anunciou a fusão das pastas da Justiça e da Segurança Pública.

Sergio Moro ficou cerca de uma hora e meia com o presidente eleito. Ao sair da reunião, acenou para as pessoas que se aglomeravam em frente à casa, mas não deu entrevista.

O juiz lamentou abandonar 22 anos de magistratura. "No entanto, a perspectiva de implementar uma forte agenda anticorrupção e anticrime organizado, com respeito à Constituição, à lei e aos direitos, levaram-me a tomar esta decisão. Para ele, na prática o cargo significa "consolidar os avanços contra o crime e a corrupção e afastar riscos de retrocessos por um bem maior".

Segundo Moro, a Operação Lava Jato continuará em Curitiba. "Para evitar controvérsias desnecessárias, devo, desde logo, afastar-me de novas audiências, acrescentou.
Natural de Maringá (PR), Sergio Fernando Moro, além de magistrado é escritor e professor universitário. Graduado em Direito pela Universidade Estadual de Maringá, tem mestrado e doutorado pela Universidade Federal do Paraná. É juiz federal desde 1996, com especialização em crimes financeiros.